A atuação do Tribunal do Santo Ofício no distrito de Castelo Branco

os Pessoa Tavares da Vila de Fundão

Autores

  • Gislaine Gonçalves Dias Pinto Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n44.57469

Palavras-chave:

Idade Moderna, Inquisição, Cristãos-novos

Resumo

Quando o Tribunal do Santo Ofício foi criado nos reinos de Espanha no contexto das guerras de “Reconquista”, cujo intuito era unificar o território sob a coroa católica, os cristãos-novos –judeus convertidos ao catolicismo –foram duramente perseguidos. Para preservarem suas vidas e fé, intentaram fuga para o reino português. Desta forma, a fronteira entre os dois Estados Modernos se viu com uma grande população conversa. Este artigo abordará a perseguição empreendida pela Inquisição contra os cristãos-novos em uma das regiões portuguesas próxima à fronteira com a Espanha, o distrito de Castelo Branco e, mais particularmente, a Vila de Fundão, durante o século XVIII. Nosso foco é uma família de mercadores que foi duramente perseguida e sofreu vexações até mesmo após o fim da distinção entre cristãos-velhos e cristãos-novos, no ano de 1773. Nosso intuito é discutir como a perseguição contra tal grupo foi intensa na região devido ao seu posicionamento geográfico, bem como por querelas entre os moradores da mesma –cujos motivos eram mais políticos e econômicos do que religiosos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gislaine Gonçalves Dias Pinto, Universidade Federal de Minas Gerais

Gislaine Gonçalves Dias Pinto é doutoranda em História Social da Cultura, pelo departamento de Pós-Graduação em História, da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Universidade Federal de Minas Gerais), sob orientação Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses – pesquisa financiada pela FAPEMIG. Mestre em História pela mesma Universidade, sob orientação da Prof. Doutora Júnia Ferreira Furtado. Foi bolsista da CAPES durante o mestrado. Atuou como pesquisadora do Instituto Histórico Israelita Mineiro entre os anos de 2011 a 2014.

Referências

Fontes

ANTT. Arquivo do Desembargo do Paço, Corte, Estremadura e Ilhas, Mç 1497, nº8. Requerimento de Antônio Lobo da Gama Saraiva de Amaral, pedindo o suprimento do consentimento materno, para casar-se com D. Maria Henriqueta Francisca Pessoa Amorim, 1815.

ANTT. Processo de Baptista da Cunha. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 9035.

ANTT. Processo de Branca Nunes. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 9028.

ANTT. Processo de Custódio da Cunha. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Coimbra, proc. 6946.

ANTT. Processo de Diogo Nunes. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 4443.

ANTT. Processo de Francisca da Cunha. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 2347.

ANTT. Processo de Gabriel Tavares. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 4612

ANTT. Processo de Isabel Henriques. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 8146.

ANTT. Processo de João Pessoa. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 3785.

ANTT. Processo de Luís da Cunha. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 3037.

ANTT. Processo de Madalena Henriques. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 6510.

ANTT. Processo de Manuel da Cunha. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 2109.

ANTT. Processo de Martinho da Cunha de Oliveira. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 8106-1.

ANTT. Processo de Miguel da Cunha Falcão. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 340

ANTT. Processo de Miguel Pessoa da Cunha. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 11285.

ANTT. Processo de Pedro Henriques. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 11496.

ANTT. Processo de Rosa Maria Pessoa. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 11431.

ANTT. Processo de Sancho Pessoa. Cota: Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Coimbra, proc. 9478.

Referências

ANDRADE, António J., GUIMARÃES, Maria Fernanda Guimarães. Isabel Luís, La Bonita: puesta en la casa del infierno por volverse loca. Maguén – Escudo. Revista Trimestral de la Asociación Israelita de Venezuela y del Centro de Estudios Sefaradíes de Caracas, n. 168, 2013.

ASHERI, Michael. O Judaísmo Vivo. As tradições e as Leis dos Judeus Praticantes. Rio de Janeiro: IMAGO,1987.

BETHENCOURT, Francisco. Rejeições e polêmicas. In: GOUVEIA, António Camões; MARQUES, João Francisco (coords.). História Religiosa de Portugal – v. 2. Rio de Mouro: Círculo de Leitores, 2000, p. 49-93.

CUNHA, Dom Luís da. Testamento político, ou Carta escrita pelo Grande Dom Luís da Cunha ao Senhor Dom Jose I. Lisboa: Impressão Régia, 1820.

FREITAS, Isabel Vaz de Freitas. Mercadores que cruzam fronteiras. Estudos em homenagem ao Professor Doutor José Marques, Porto, v. 2, p. 292-300, 2006.

GARCIA, Maria Antonieta. Um motim no Fundão em 1580. Actas das Primeiras Jornadas do Património Judaico da Beira Interior, Trancoso – Belmonte, 2008, p.171-179.

SARAIVA, José António. Inquisição e cristãos-novos. Lisboa: Editorial Estampa, 1985.

TAVARES, Maria José Ferro. Os judeus da Beira interior: a comuna de Trancoso e a entrada da Inquisição. Sefarad (Sef), vol. 68:2, p. 371-391, 2008.

VAINFAS, Ronaldo. Jerusalém colonial: judeus portugueses no Brasil holandês. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

Downloads

Publicado

2021-07-29

Como Citar

PINTO, G. G. D. A atuação do Tribunal do Santo Ofício no distrito de Castelo Branco: os Pessoa Tavares da Vila de Fundão. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 26, n. 44, p. 266–280, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n44.57469. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/57469. Acesso em: 28 set. 2021.