“Redentor do Nordeste”: as obras contra as secas e o projeto político de José Américo de Almeida no Ministério de Viação e Obras Públicas (1930-1934)

Autores

  • Luiz Mário Dantas Burity Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n45.58317

Palavras-chave:

José Américo de Almeida, Obras contra as secas, Governo Provisório

Resumo

À frente do Ministério de Viação e Obras Públicas entre 1930 e 1934, José Américo de Almeida empreendeu uma campanha contra as secas com recursos em uma proporção não antes vista na região. Isso se devia, sobretudo, à coalização de forças do Bloco do Norte. O objetivo desse texto é compreender os capitais, o trabalho político e as intenções do ministro na condução do programa de assistência social e obras contra as secas. A documentação acessada incluiu jornais, relatórios, correspondências, diários, romances para entender as ideias e disputas de poder então em jogo. A partir das leituras de Michel Offerlé (1987), percebemos que o sentido do seu trabalho político não era a construção de uma oligarquia “americista”, como é difundido por uma parte da historiografia, mas antes de tudo, a defesa de uma representação política nortista no Executivo Federal e de uma agenda de investimentos na região, sobretudo nos espaços mais atingido pelas estiagens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Mário Dantas Burity, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Doutor em História pela UNIRIO, mestre e graduado em História pela UFPB.

Referências

ALBUQUERQUE JR., Durval Muniz de. A invenção do Nordeste e outras artes. São Paulo: Cortez, 2011.

ALMEIDA, José Américo de. A Paraíba e seus problemas. 3. ed. João Pessoa: A União, 1980.

ALMEIDA, José Américo de. A Bagaceira. 14 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1978.

ALMEIDA, José Américo de. O Ministério de Viação no Governo Provisório. Rio de Janeiro: Oficina dos Correios e Telégrafos, 1933.

ALMEIDA, José Américo de. O ciclo revolucionário no Ministério de Viação. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1934.

ALMEIDA, José Américo de. Eu e eles. Rio de Janeiro: Nosso Tempo; INL, 1970.

BARBOSA, Jivago Correia. A integração dos “Brasis”: José Américo de Almeida e o Ministério de Viação e Obras Públicas durante o governo provisório (1930-1934). In: SANTOS NETO, Martinho Guedes; SILVA, Waniéry Loyvia de Almeida (orgs.). Regime de interventorias: política e sociedade na Paraíba da Era Vargas (1930-1945). João Pessoa: UFPB, 2020, p. 187-218.

BOBBIO, Norberto (org.). Dicionário de Política. Tradução Carmen Varriale. Brasília: UNB, 1998.

CAMARGO, Aspásia; RAPOSO, Eduardo; FLAKESMAN, Sergio. O Nordeste e a política: diálogo com José Américo de Almeida. Rio de Janeiro: FGV, 1984.

FERREIRA, Lúcia de Fátima Guerra. Raízes da indústria da seca: o caso da Paraíba. João Pessoa: UFPB, 1993.

GOMES, Angela de Castro. A representação de classes na Constituinte de 1934. In: GOMES, Angela de Castro (org.). Regionalismo e centralização política: partidos e constituinte nos anos 30. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980, p. 427-487.

GURJÃO, Eliete. Morte e vida das oligarquias: Paraíba, 1889-1945. João Pessoa: UFPB, 1994.

LIMA, Janilson. “A Liga Eleitoral Católico é Partido Político?”: a LEC e as eleições no Ceará. 329f. Tese (Doutorado em História). Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: 2020.

LOPES, Raimundo Hélio. Um vice-reinado na República do pós-30: Juarez Távora, as interventorias do Norte e a Guerra de 1932. 319f. Tese (Doutorado em História, Política e Bens Culturais). Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro, 2014.

MAGALHÃES, Juraci. O último tenente. Depoimento a J. Gueiros. Rio de Janeiro: Record, 1996.

MORAES, Kleiton de Sousa. O sertão descoberto aos olhos do progresso: a inspetoria de obras contra as secas (1909-1918). 168f. Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: 2010.

NEVES, Frederico de Castro. Getúlio e a seca: políticas emergenciais na Era Vargas. Revista Brasileira de História, v. 21, n. 40, 2001, p. 107-131.

OFFERLÉ, Michel. Les partis politiques. 4 ed. Paris: PUF, 2002.

OFFERLÉ, Michel. A nacionalização da cidadania cívica. Tradução de Guilherme Teixeira. In: CANÊDO, Letícia Bicalho (org.). O sufrágio universal e a invenção democrática. São Paulo: Estação Liberdade, 2005, p.343-361.

PANDOLFI, Dulce. A trajetória do Norte: uma tentativa de ascenso político. In: GOMES, Angela de Castro (org.). Regionalismo e centralização política: partidos e constituinte nos anos 30. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980, p. 339-425.

SANTANA, Martha. Poder e intervenção estatal: Paraíba 1930-1940. João Pessoa: UFPB. 2000.

SANTOS, Wanderley Guilherme. O sistema oligárquico representativo da Primeira República. Dados, v. 56, n. 1, 2013, p. 9-37.

SANTOS NETO, Martinho Guedes dos. Os Domínios do Estado: a interventoria de Anthenor Navarro e o poder na Paraíba (1930-1932). 160f. Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa: 2007.

SOUSA NETO, Bento Correia de. Governo interventorial e relações de poder na Paraíba Pós-1930: a administração de Gratuliano Brito (1932-1934). 241f. Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, 2016.

TÁVORA, Juarez. Uma vida e muitas lutas: 2. A caminhada no planalto. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1974.

VARGAS, Getúlio. Diário (1930-1936). Rio de Janeiro: Siciliano, 1995.

ZULINI, Jaqueline. Por além do discurso moralizador: os interesses políticos e o impacto da criação da justiça eleitoral em 1932. In: RICCI, Paolo (org.). O autoritarismo eleitoral: dos anos trinta e o Código Eleitoral de 1932. Curitiba: Appris, 2019, p. 163-198.

Downloads

Publicado

2021-12-29

Como Citar

BURITY, L. M. D. “Redentor do Nordeste”: as obras contra as secas e o projeto político de José Américo de Almeida no Ministério de Viação e Obras Públicas (1930-1934). Saeculum, [S. l.], v. 26, n. 45 (jul./dez.), p. 89–108, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n45.58317. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/58317. Acesso em: 24 jul. 2024.