Políticas indígenas e indigenistas no Continente de São Pedro na segunda metade do século XVIII

Autores

  • Karina Moreira Ribeiro da Silva e Melo Universidade de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n44.58896

Palavras-chave:

Políticas indígenas, Políticas Indigenistas, Aldeamentos no Continente de São Pedro

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar as maneiras através das quais as políticas indigenistas foram vistas e praticadas por sujeitos históricos relacionados à formação e manutenção dos aldeamentos indígenas de Nossa Senhora dos Anjos e São Nicolau do Rio Pardo na segunda metade do século XVIII. Os indígenas, as autoridades coloniais e a sociedade envolvente estabeleceram conflitos e alianças em torno das diretrizes assimilacionistas oriundas do Diretório dos Índios e do contexto de estabelecimento de fronteiras na região platina. A documentação de cunho administrativo analisada é proveniente do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, do Arquivo Nacional do Rio de Janeiro, da Biblioteca Nacional de Lisboa e da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Houve estratégias e tomadas de posição políticas distintas para promover a integração social, algumas delas incluindo violência, tanto por parte dos indígenas aldeados em São Nicolau do Rio Pardoe Nossa Senhora dos Anjos, quanto por parte de autoridades coloniais e particulares. As possibilidades de escolha não foram equânimes, mas algumas delas, feitas em situações limite, foram importantes nos processos de apropriação cultural e, por conseguinte, nos processos de formação social e reelaboração de identidades no Continente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karina Moreira Ribeiro da Silva e Melo, Universidade de Pernambuco

Karina Moreira Ribeiro da Silva e Melo é doutora em História Social pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Mestra, licenciada e bacharela em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atua principalmente nos temas: história indígena, Brasil colonial e imperial, fronteiras. É professora adjunta na Universidade Estadual de Pernambuco/UPE e é professora colaboradora do Mestrado Profissional em Culturas Africanas, da Diáspora e dos Povos Indígenas (PROCADI).

Referências

Abreviaturas

AHRGS – Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul

ANRJ – Arquivo Nacional do Rio de Janeiro

BNL – Biblioteca Nacional de Lisboa

IHGB – Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro

Documentos manuscritos

Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul

Códice 1244, fl. 157-157v; fl. 171v-172; fl. 173; fl.175-175v; fl. 185.

Arquivo Nacional do Rio de Janeiro

Códice 104 v.6, fl.174v-175.

Biblioteca Nacional de Lisboa

Divisão de Reservados, PSS, caixa 3.

Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.

, 3, 48.

Instrumento de pesquisa

Anais do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul. Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1995. Volume 11.

Documentos Microfilmados

Microfilme 024-97, Notação 2 – Correspondência do Vice-Rei com governadores – Cartas do Marquês do Lavradio para José Marcelino de Figueiredo, p. 2.32-2.35; 2.52-2.53; 2.54-2.56.

Documentos impressos

AHRS, Os Índios d’Aldeia dos Anjos: Gravataí, século XVIII. Porto Alegre, EST, 1990.

REVISTA TRIMENSAL DO INSTITUTO HISTÓRICO GEOGRÁPHICO E ETHNOGRÁPHICO BRASILEIRO; tomo XXXV, Companhia Tipográfica do Brasil, Rio de Janeiro, 1872. Carta de Francisco Xavier de Mendonça Furtado para o vice-rei Conde da Cunha. Lisboa, 18.03.1767.

Diretório que se deve observar nas povoações dos índios do Pará e do Maranhão enquanto sua majestade não mandar o contrário. Apud, ALMEIDA, Rita Heloísa de. O Diretório dos Índios. Um projeto de civilização no Brasil do século XVIII. Brasília: Editora UnB, apêndice.

Referências

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Metamorfoses indígenas: identidade e cultura nas aldeias coloniais do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2003.

ALMEIDA, Rita Heloísa de. O Diretório dos Índios. Um projeto de civilização no Brasil do século XVIII. Brasília: Editora UnB, 1997.

BOCCARA, Guillaume. Memoria Americana. Cuadernos de Etnohistoria. Génesis y estructura de los complejos fronterizos euro-indígenas, repensando los márgenes americanos a partir (y más allá) de la obra de Nathan Wachtel. Buenos Aires, n. 13, 2005.

FLORES, Moacyr. A transmigração dos guaranis para a Aldeia de Nossa Senhora dos Anjos. In: Anais do II Simpósio Estadual sobre cultura Gravataiense, Gravataí: do êxodo à composição étnica. Gravataí: Secretaria de Educação e Cultura, 1990.

GARCIA, Elisa Frühauf. As diversas formas de ser do índio: políticas indígenas e políticas indigenistas no extremo sul da América. Niterói, PPG-História/UFF, Tese de Doutorado, 2007.

KÜHN, Fábio. O “Governo dos Índios”: a Aldeia dos Anjos durante a administração de José Marcelino de Figueiredo (1769-1780). Em texto da comunicação oral ao III Encontro de Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional. Florianópolis, 2007.

LANGER, Protásio Paulo. Os Guarani-Missioneiros e o Colonialismo Luso no Brasil Meridional, Projetos Civilizatórios e Faces da Identidade Étnica (1750-1798). Porto Alegre: Martins Livreiro, 2005.

MELO, Karina Moreira Ribeiro da Silva e. A Aldeia de São Nicolau do Rio Pardo no Oitocentos: histórias vividas por índios guaranis (séculos XVIII-XIX). 2011. 167 p. Dissertação (Mestrado em História). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

MELO, Karina Moreira Ribeiro da Silva e. A execução do tratado de Santo Ildefonso e as atuações indígenas na fronteira platina. Revista Brasileira De História & Amp; Ciências Sociais, v. 10 (19), p. 169-187, 2018.

PERRONE-MOISÉS, Beatriz. Índios Livres e Índios Escravos: Os princípios da legislação indigenista do período colonial (séculos XVI a XVIII). In: CUNHA, Manuela Carneiro da (org.). História dos Índios do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1992, p. 115-132.

RIBEIRO, Max Roberto Pereira. A terra natural desta nação guarani: identidade, memória e reprodução social indígena no Vale do Jacuí (1750-1801). 2017. Tese (Doutorado em História). São Leopoldo: Universidade do Vale dos Sinos.

SAMPAIO, Patrícia Maria Melo. Espelhos Partidos: etnia, legislação e desigualdade na Colônia. Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas, 2011.

SIDER, Gerald. Identity as History, Ethnohistory, Ethnogenesis and Ethnocide in the Southeastern United States. Identities Global Studies in Culture and Power. New Hampshire, vol. 1, 1994.

Downloads

Publicado

2021-07-29

Como Citar

MELO, K. M. R. da S. e. Políticas indígenas e indigenistas no Continente de São Pedro na segunda metade do século XVIII. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 26, n. 44, p. 388–404, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n44.58896. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/58896. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

Diretório dos Índios: Políticas Indígenas e Indigenistas na América Portuguesa