Memória, religiosidade e arte nas práticas culturais do sensível de um guineense do século XXI

Autores

  • Artur Cesar Isaia Universidade La Salle
  • Maristela de Godoy Universidade La Salle

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n45.59259

Palavras-chave:

Memória, Religiões, Rituais

Resumo

Este artigo enfoca as narrativas de um guineense, Roberto Mendes, sua arte, sua poesia, sua etnia manjaca e seus costumes, as celebrações ao Irã, além das celebrações religiosas características de sua etnia. A influência do catolicismo e do cristianismo é significativa na vida desse artista nascido na Guiné Bissau, região de Cacheu, em uma Tabanca chamada Bianga. Através da vida de Roberto Mendes, relata-se uma realidade vivida por muitos guineenses. Por meio da arte de Roberto Mendes, percebe-se toda influência que ele recebeu, tanto da sua etnia manjaca, como também do cristianismo. Roberto passou um período de sua vida junto com os padres na cidade de Canchungo, para concluir seus estudos. Posteriormente, os padres o auxiliaram para que ele pudesse estudar em Portugal. Atualmente, mora na Guiné Bissau e contribui para que as crianças tenham acesso à cultura e à arte

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Artur Cesar Isaia, Universidade La Salle

Professor da Universidade La Salle (UNILASALLE), Canoas, RS, desenvolvendo atividades de docência e pesquisa no Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Bens Culturais. Professor Titular em História da Universidade Federal de Santa Catarina, onde desenvolveu atividades de docência e pesquisa no Programa de Pós-Graduação em História até 2020. Pesquisador do CNPq 1C. Desenvolveu estágio de pós-doutoramento na École de Hautes Études en Sciences Sociales em Paris e no Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Maristela de Godoy, Universidade La Salle

Psicóloga graduada pela Faculdade Meridional (IMED, 2011), com pós-graduação em Relações Familiares e de Casal (IMED, 2011). Possui mestrado em Filosofia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS, 2004) e graduação em Filosofia (2000). É tradutora/intérprete de Língua Brasileira de Sinais (nível superior). Atuou como professora nos níveis fundamental, médio e superior, no média na área de Filosofia e Sociologia, nível superior na área de Psicologia Social, Terapia sistêmica, desenvolvimento humano, ética, coordenando estágio clínico e escolar.

Referências

AUGEL, Moema Parente. Vozes que não se calaram. Heroização, ufanismo e guineidade. Scripta, v. 14, n. 27, p. 13-27, 2010.

BELL, Catherine. Ritual perspectives and Dimensions. New York: Oxford University Press, 1997.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaina. Usos e abusos da História Oral. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2006.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas. São Paulo: Editora da USP, 1996.

CARDOSO, Leonardo. Sistemas de herança entre os papéis, Manjacos e Mancanhas. Soronda. Bissau: INEP, nº 6, p. 147-177, 2003.

COUTO, Hildo Honório do; EMBALÓ, Filomena. Literatura, língua e cultura na Guiné Bissau. Um país da CPLP. Papia, n. 20, p. 1-253, 2010.

CYNTRÃO, Sylvia Helena. Como ler o texto poético: caminhos contemporâneos. Brasília: Plano, 2004.

DOVE, Nah. Mulherisma africana. Uma teoria afrocêntrica. Jornal de Estudos Negros, v. 28, n. 5, p. 4-23, 1998.

DW NOTÍCIAS. Conselho de Segurança da ONU preocupado com a situação em Bissau. Disponível em: https://www.dw.com/pt-002/conselho-de-seguran%C3%A7a-da-onu-preocupado-com-a-situa%C3%A7%C3%A3o-em-bissau/a-54030638. Acesso: 02 mar. 2021.

FAVARATO, Claudia. A Religião Tradicional na Cultura Política da Guiné- Bissau. Janus-Net.E. Journal of International Relations, v. 9,n. 2, p. 98-113, 2018.

FIUZA, Antônio Montenegro. Poilão e cassangas. O Imparcial. Presidente Prudente, n.p, 14 abr. 2021. Disponível em: https://www.imparcial.com.br/noticias/poilao-e-cassangas,42961. Acesso em 30 abr. 2021.

GODOY, Maristela. Diário de Bordo. Canchungo: Mimeo, 1998.

HALLBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2004.

HENRIQUES, José Marques. Entrevista concedida a Maristela de Godoy, a 21 de janeiro de 2021 (Acervo da Autora).

HOUNTONDJII, Paul. Conhecimento de África, conhecimento de africanos: duas perspectivas sobre os estudos africanos. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 80, p. 149-160, 2008.

MAPAS DO MUNDO. Guiné Bissau. Disponível em: https://pt.mapsofworld.com/guinea-bissau/. Acesso: 01 fev. 2021.

MENDES, Paulina. Entre os “saberes locais” e o “saber universal”: a modernização das comunidades manjaco e a mandjização do estado na Nova Guiné. Coimbra: Universidade de Coimbra (Tese de doutoramento em Pós-Colonialismo e Cidadania Global), 2014.

MENDES, Roberto. Entrevista concedida a Maristela de Godoy, a 17 de julho de 2020 (Acervo da Autora).

MENDES, Roberto. Catálogo de Pinturas e Poesias. [s.l]: mimeo. [s.d].

MINISTÉRIO DA ECONOMIA. Recenseamento Geral da População e Habitação Guiné Bissau. Bissau: Instituto Nacional de Estatística, 2009. Disponível em: https://dataspace.princeton.edu/bitstream/88435/dsp01w6634600z/6/DSPACEGuineaBissaucensus2008caracteristicassociocultural.pdf. Acesso: 19 abr. 2021

OLIVEIRA, Maria da Glória. Quem tem medo da ilusão biográfica? Indivíduo, tempo e história de vida. Topoi, Rio de Janeiro, v. 18, n. 35, p. 429-436, 2017.

PAIVA, Eduardo França. História & Imagens. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Os sete pecados da capital. São Paulo: Hucitec, 2008a.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História & História Cultural. Belo Horizonte: Autêntica, 2008b.

POLLAK, Michael. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos, v. 5, n. 10, p. 01-15, 1992.

RICOUER, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: UNICAMP, 2007.

Downloads

Publicado

2021-12-29

Como Citar

ISAIA, A. C.; GODOY, M. de. Memória, religiosidade e arte nas práticas culturais do sensível de um guineense do século XXI. Saeculum, [S. l.], v. 26, n. 45 (jul./dez.), p. 109–124, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n45.59259. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/59259. Acesso em: 18 jun. 2024.