Terrorismo no Nordeste

atentados de extrema-direita em Fortaleza na abertura da ditadura civil-militar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2023v28n48.64256

Palavras-chave:

Ditadura civil-militar, Extrema-direita, Terrorismo

Resumo

No final da década de 1970 e começo da seguinte, extremistas de direita, em geral ligados aos órgãos de repressão, realizaram vários atentados à bomba e ameaças terroristas pelo País, na intenção de barrar a distensão/abertura da ditadura e conter o que entendiam ser uma ameaça comunista. A onda terrorista trouxe destruição material, provocou vítimas e gerou medo na sociedade. Ao contrário de uma memória bastante difundida, os ataques não se restringiram aos centros políticos mais dinâmicos do processo político da abertura, ocorrendo por várias cidades brasileiras. No segundo semestre de 1980, na cidade de Fortaleza, bancas de jornais, templos católicos e logradouros, afora a Universidade Federal do Ceará, foram alvos de ataques e ameaças do Movimento Anticomunista. O MAC era composto por jovens, todos civis, sem ligações diretas com a ditadura civil-militar. A intenção do artigo é compreender as motivações específicas que levaram aos ataques terroristas na capital cearense, a partir de documentos do próprio regime e matérias na imprensa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Arquivos

“Atos terroristas ocorridos no Brasil”, de 1987. Arquivo Nacional. https://sian.an.gov.br/sianex. Notação: br_dfanbsb_v8_mic_gnc_aaa_87063851_d0001de0001. Acesso a 29/10/2020.

Informe nº 122 – S/5/AC/SEI, de 6 de novembro de 1980. Arquivo Público do Ceará. Notação BR CEAPEC SEI INFM 05 (36).

Informe Especial nº 54 do Serviço Estadual de Informação, de 21 de novembro de 1980, Arquivo Público do Ceará, Notação: BR CEAPEC SEI INFM 05 (51 e 52).

Relatório final do inquérito da Superintendência da Polícia Federal da Paraíba nº 067/80, de 30 de dezembro de 1980, anexado ao relatório de Informação do SNI nº 008/116/ARE/81, Prisão de terroristas – João Pessoa-PB, de 16 de janeiro de 1981. Arquivo Nacional.

http://sian.an.gov.br/sianex Notação:

BR_DFANBSB_V8_MIC_GNC_III_81001550_d0001de0003. Acesso a 05/04/2020.

Relatório de informação nº 205/116/AFZ/80, sobre o Movimento Anticomunista – MAC, de 12 de dezembro de 1980. O relatório traz, em anexo, o interrogatório prestado pelos acusados à Superintendência da Polícia Federal do Ceará. Arquivo Nacional. http://sian.an.gov.br/sianex. Notação br_dfanbsb_v8_mic_gnc_qqq_80000687_d0001de0001 Acesso a 14/02/1980.

Relatório de Diligência nº 179/80, de 12 de agosto de 1980. Arquivo Público do Ceará. Notação: BR CEAPEC SEI REL D 05 (25 e 26).

Relatório de Diligência nº 207/80, datado de 12 de setembro de 1980. Arquivo Público do Ceará. Notação: BR CEAPEC SEI REL D 05 (98 e 99).

Relatório de informação nº 036/116/AFZ/81, “Atividades subversivas”, datado de 30 de março de 1981. Arquivo Nacional. http://sian.an.gov.br/sianex Notação: br_dfanbsb_v8_mic_gnc_qqq_81000760_d0001de0001 acesso a 17/09/2020.

Termos de declaração de João Batista Moreira e de Francisco Antônio Santos da Silva, prestados à Delegacia de Ordem Política e Social, a de 5 de novembro de 1980. Arquivo Público do Ceará. Notação: BR CEAPEC DCE TD 03.

Periódicos

Correio do Ceará (1980-82) Diário do Paraná (1980-82) Isto É (1980-82)

Jornal do Brasil (1980-82) O Povo (1980-82)

Tribuna da Imprensa (1980-82) Tribuna do Ceará (1980-82) Veja (1980-82)

Bibliografia

ARAÚJO, Paulo César de. Eu não sou cachorro, não: música popular cafona e ditadura militar. Rio de Janeiro: Record, 2015.

BONANATE, Luigi. Terrorismo político: In: BOBBIO, Noberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Giafranco. Dicionário de Política. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2004, p. 1242-1245.

BRITO, Antônio Maurício Freitas. A subversão pelo sexo: representações anticomunistas durante a ditadura no Brasil. Varia História, Belo Horizonte, vol. 36, n. 72, p. 859-888, 2020.

CANCIAN, Renato. Igreja Católica e ditadura militar no Brasil. São Paulo: Claridade, 2011.

CORDEIRO, Janaina Martins. A ditadura em tempos de milagre: comemorações, orgulho e consentimento. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015.

CUNHA, Diogo. Das catacumbas: os homens da Igreja e a renovação do catolicismo durante a ditadura civil-militar no Brasil. In: AARÃO REIS, Daniel; CORDEIRO, Janaina Martins; LEITE, Isabel Cristina; SILVEIRA, Diego Omar de (orgs.). À sombra das ditaduras. Rio de Janeiro: Mauad X, 2014, p. 39-50.

DECKES, Flávio. Radiografia do terrorismo no Brasil. 66/80. São Paulo: Ícone, 1985.

FARIAS, José Aírton de. Explosões conservadoras: atentados de extrema-direita na distensão da ditadura civil-militar. Em Tempo de Histórias, vol. 1, n. 38, p. 148-167, 2021.

FICO, Carlos. “Prezada Censura”: cartas ao regime militar. Topoi, Rio de Janeiro, vol. 5, p. 251-286, 2002.

HUGGINS, Martha K.; HARITOS-FATOUROS, Mika; ZIMBARDO, Philip G. Operários da violência: policiais torturadores e assassinos reconstroem as atrocidades brasileiras. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2006.

LAQUEUR, W. A history of terrorism. New Brunswick: Transaction Publishers. In: RABELLO, Aline Louro de Souza e Silva. O conceito de terrorismo nos jornais americanos: uma análise do New York Times e do Washington Post logo após os atentados de 11 de setembro. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais). Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2006.

LOPES, Gustavo Esteves. Ensaios de terrorismo: história oral da atuação do Comando de Caça aos Comunistas. Salvador: Editora Pontocom, 2014.

LIMA, Danielle Barreto. O Comando de Caça aos Comunistas (CCC): do estudante ao terrorista (1963-1980). Dissertação (Mestrado em História). São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2020.

KUCINSKI, Bernardo. Jornalistas e revolucionários: nos tempos da imprensa alternativa. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2018.

MARCELINO, Douglas Attila. Salvando a pátria da pornografia e da subversão: a censura de livros e diversões públicas nos anos 1970. Dissertação (Mestrado em História). Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2006.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. Em guarda contra o “perigo vermelho”: o anticomunismo no Brasil (1917-1964). São Paulo: Perspectiva: FAPESP, 2002.

MONTENEGRO, Antônio Torres. Travessias: padres europeus no Nordeste do Brasil. Recife: CEPE, 2019.

MÜLLER, Angélica. O Movimento estudantil na resistência à ditadura militar (1969-1979). Rio de Janeiro: Garamond, 2016.

NAPOLITANO, Marcos. 1964: história do regime militar brasileiro. São Paulo: Contexto, 2018.

NASSER, Reginaldo Mattar. As Falácias do Conceito de “Terrorismo Religioso”. In: MELLO, André de Souza; NASSER, Reginaldo Mattar; MORAES, Rodrigo Fracalossi de (orgs.). Do 11 de Setembro de 2001 à Guerra ao Terror: reflexões sobre o terrorismo no século XX. Brasília: IPEA, 2014, p. 65-88.

PORTUGAL, Niedja Lima Torres. Estudantes em movimento: Fortaleza, 1969-1979. Dissertação (Mestrado em História). Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2008.

RABELLO, Aline Louro de Souza e Silva. O conceito de terrorismo nos jornais americanos: uma análise do New York Times e do Washington Post logo após os atentados de 11 de

setembro. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais). Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2006.

RESENDE, Pâmela de Almeida. Os vigilantes da ordem: a cooperação Deops/SNI e a suspeição aos movimentos pela anistia (1975-1983). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2015.

SAMPAIO FILHO. José Aírton. “Eu vou à luta com essa juventude”: o movimento estudantil secundarista em Fortaleza e a Comissão Pró-CESC em fins da década de 1970. Dissertação (Mestrado interdisciplinar em História e Letras). Quixadá: Universidade Estadual do Ceará, 2020.

SILVA, Elizete Américo. Espaços públicos e territorialidades: as praças do Ferreira, José de Alencar e o Passeio Público. Dissertação (Mestrado em Geografia). Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2006.

SOARES, Thiago Nunes. Gritam os muros: pichações e ditadura civil-militar no Brasil. Curitiba: Appris, 2018.

SOUZA, André Pinheiro de. Do Movimento Feminino pela Anistia (MFPA-CE) ao Comitê Brasileiro pela Anistia (CBA-CE): as motivações e os caminhos percorridos pela anistia política no Ceará (1975 a 1980). Dissertação (Mestrado em História). Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará, 2012.

TAVARES, Ruth de Fátima Oliveira. Igreja Católica e política: padres estrangeiros no Brasil.

OPSIS, Catalão, vol. 12, n. 1, p. 249-268, 2012.

Downloads

Publicado

2023-08-10

Como Citar

DE FARIAS, A. Terrorismo no Nordeste: atentados de extrema-direita em Fortaleza na abertura da ditadura civil-militar. Saeculum, [S. l.], v. 28, n. 48, p. 45–62, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2023v28n48.64256. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/64256. Acesso em: 25 jul. 2024.