Avaliação da influência das embalagens de vidro e PET na qualidade da aguardente de algaroba (Prosopis juliflora (Sw.) DC.)

  • Viviane Brasileiro de Holanda Msc. em Engenharia Agrícola, Profa. Assistente II, UFCG, Campina Grande, PB
  • Regilane Marques Feitosa Tecnóloga de Alimentos, Pesquisadora PNPD/CAPES, Engenharia de Processos, UFCG Campina Grande, PB
  • Analha Dyalla Feitosa Lins Mestranda em Engenharia de Agrícola, UFCG, Campina Grande, PB
  • Mário Eduardo Rangel Moreira Cavalcanti Mata Eng. Agrícola, Prof. Associado, Unidade Acadêmica de Engenharia de Alimentos, UFCG, Campina Grande, PB

Resumo

A aguardente produto bastante consumido e de valor econômico para algumas regiões, precisa ser armazenado para o seu devido consumo. O armazenamento objetiva maturar o produto melhorando suas características de sabor e aroma. Desta forma o produto deve ser acondicionado em garrafas que apresentem certa permeabilidade ao oxigênio. Este estudo foi realizado com o objetivo de avaliar o armazenamento da aguardente de algaroba, produzida em alambique de cobre, acondicionada em garrafas de vidro e em garrafas plásticas de polietileno tereftalato (PET), verificando a influencia da embalagem em alguns parâmetros. A aguardente foi mantida a temperatura ambiente e avaliada quanto ao pH, teor alcoólico e acidez volátil, a cada 30 dias, durante 120 dias. Constatou-se que a embalagem de vidro conservou o teor alcoólico sem alteração, e manteve os valores de pH e acidez menores que a aguardente acondicionada na embalagem PET.
Publicado
2015-06-13
Seção
Artigo Científico