EDUCAÇÃO EM COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO TERRITÓRIO DE IDENTIDADE DO VELHO CHICO/BA

indagações acerca do diálogo entre as escolas e as comunidades locais

Autores

  • Dinalva de Jesus Santana Macêdo Santana Macêdo Universidade do Estado da Bahia, Universidade do Sudoeste da Bahia, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8702-5048

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2018v2n11.40915

Palavras-chave:

Educação escolar quilombola, Currículo, Interculturalidade, Diferença e especificidades étnico-culturais

Resumo

Esta tese tem como objetivo central analisar de que modo a educação escolar dialoga com as especificidades étnico-culturais das comunidades quilombolas de Araçá Cariacá, Brasileira e Rio das Rãs. O lócus investigativo constitui-se de três escolas: a Escola Municipal Araçá Cariacá, a Escola Municipal Quilombola Emiliano Joaquim Vilaça e a Escola Municipal Elgino Nunes de Souza, localizadas no município de Bom Jesus da Lapa/BA, pertencente ao Território de Identidade do Velho Chico. Este estudo caracteriza-se como uma pesquisa qualitativa de perspectiva etnográfica, que tem como interlocutores os/as professores/as, as diretoras, vice-diretores, uma coordenadora pedagógica, os/as alunos/as, os pais e as lideranças quilombolas das comunidades. A pesquisa de campo utilizou-se de entrevistas semiestruturadas, observações participantes, análises de documentos, grupos focais, registros fotográficos e anotações em diário de campo. Para a análise dos dados, recorreu-se da técnica de análise de conteúdo na modalidade temática. Os resultados evidenciam que as especificidades étnico-culturais das comunidades locais, bem como as temáticas relacionadas à população afro-brasileira e africana são trabalhadas nas escolas de maneira pontual e superficial, com metodologias tradicionais, em datas comemorativas, no componente curricular de história, ou através de gincanas e outros eventos. As práticas acabam reproduzindo uma concepção tradicional de educação, sem relação com o universo sociocultural dos/as educandos/as. Todavia, constatamos algumas experiências significativas para além do componente curricular de história nas três escolas em foco, de professoras que vêm transgredindo os currículos para dialogar com os conteúdos culturais e históricos das comunidades. Nesse contexto, as lideranças quilombolas lutam por uma educação escolar diferenciada que tenha “a cara dos quilombos”, isto é, que inclua de forma efetiva nos currículos, nos materiais didáticos e nas práticas educativas, a história, a cultura, os valores, os costumes, os saberes e o modo de vida de suas comunidades. Diante disso, é urgente superar as propostas de educação impostas às escolas quilombolas pelo Sistema Oficial de Ensino, para elaborar currículos interculturais diferenciados, referendados pela ecologia de saberes partindo de dentro das comunidades quilombolas, de maneira que os conteúdos escolares dialoguem com os saberes e as práticas desses sujeitos. A implementação da educação escolar quilombola se constitui numa política sociocultural necessária para a melhoria da educação escolar nas comunidades quilombolas. Portanto, para garantir uma educação intercultural diferenciada a essas populações, é imperativo escolas com autonomia, professores/as locais formados/as e concursados/as por processos específicos, capazes de repensar os currículos e as práticas pedagógicas à luz da história e realidade locais, ou seja, implica numa organização sistêmica da educação escolar quilombola em regime de colaboração entre os entes federados (Municípios, Estados, Distrito Federal e a União). Esperamos que esta pesquisa sirva de inspiração para a elaboração e a implementação de políticas públicas de educação escolar diferenciadas, para as comunidades quilombolas locais e regionais.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Dinalva de Jesus Santana Macêdo Santana Macêdo, Universidade do Estado da Bahia, Universidade do Sudoeste da Bahia, Brasil.

Doutora em Educação e Contemporaneidade e Professora da Universidade do Estado da Bahia, Campus XII de Guanambi e do Programa de Pós-Graduação em Educação- PPGED da Universidade do Sudoeste da Bahia.

Referências

ABRAMOWICZ, Anete; RODRIGUES, Tatiane Cosentino; CRUZ, Ana Cristina Juvenal da. A diferença e a diversidade na educação. Contemporânea – Revista de Sociologiada UFSCar. São Carlos, Departamento e Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFSCar, 2011, n. 2. (p. 85-97).

ABREU, Martha; MATTOS, Hebe. Em torno das “Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana”: uma conversa com historiadores. Estudos Históricos. Rio de Janeiro: FGV, vol. 21, nº. 41, jan./jun. 2008, (p. 5-20).

ALMEIDA, Elvina Pérpetua Ramos. Linguagem e Identidade Etnicorracial no Quilombo de Araçá- Cariacá. Salvador, 2010, 161 fl. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) Universidade Federal da Bahia: UFBA, Salvador, 2010.

ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno de. Os Quilombos e as Novas Etnias. In: Quilombos: identidade étnica e territorialidade. Eliane Cantarino O’Dwyer, organizadora. — Rio de Janeiro: Editora FGV, 2002. (p. 43- 81).

AMORIM, Roseane Maria de. NETO, José Batista. As práticas curriculares em uma escola da rede municipal do Recife: os fios e trama da educação das relações étnico-raciais no cotidiano escolar.R. In: Revista Lugares de Educação, Bananeiras/PB, v. 1, n. 2, p. 288-310, jul.-dez. 2011 ISSN 2237-1451 Disponível em <http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rle>. Acesso em: 8 de ago. 2014.

ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Tendências atuais da pesquisa na escola. Cadernos CEDES, v. 18, n. 43, Campinas, São Paulo, 1997.

ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. Brasília: Liber livros, 2005.

ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Etnografia da Prática escolar. 15. ed. Campinas. São Paulo: Papirus, 2008.

ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Trajetória, desafios e perspectivas da pesquisa em educação. CICLO DE FORMAÇÃO, realizado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade- PPGEduc, em Salvador, nos dias 12 e 13 de setembro de 2011.

ANJOS, Rafael Sanzio Araújo dos. A territorialidade dos quilombos no Brasil contemporâneo: uma aproximação. In: Igualdade racial no Brasil: reflexões no ano internacional dos afrodescendentes/ Tatiana Dias Silva, Fernanda Lira Goes, organizadoras. – Brasília: Ipea, 2013 (p. 137- 152).

ARROYO, Miguel Gonzalez. Repolitizar as análises do Estado e das políticas educativas. In: Anais do XV ENDIPE – Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino. Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente: políticas e práticas educacionais, Belo Horizonte, 2010.

ARROYO, Miguel Gonzalez. Currículo, Território em Disputa. 2. Ed. Vozes, Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

ARROYO, Miguel Gonzalez. Outros Sujeitos, Outras Pedagogias. 2. Ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: 2014.

ARRUTI, José Maurício. Escolas em comunidades quilombolas: conceitos, números e o esboço de uma pauta de trabalho. 2010 / Educar em Revista (no prelo), (23 p.)

ARRUTI, José Maurício; MAROUN, Kaila; CARVALHO. Ediléia. Educação quilombola em debate: a escola em Campinho da Independência (RJ) e a proposta de uma Pedagogia Quilombola. In: Construindo Quilombos, desconstruindo mitos: a Educação Formal e a realidade quilombola no Brasil/ Ana Stela de Almeida Cunha (org). C972C - São Luís, SETAGRAF, 2011 (p. 29-43).

BACKES, José Licínio. Os conceitos de multiculturalismo/interculturalidade e gênero e a ressignificação do currículo da educação básica. In: Questio, Sorocaba, SP, v. 15, n. 1, p. 50-64, maio, 2013. Disponível em:<http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php?journal=quaestio&page=article&op=view&path%5B%5D=1632>. Acesso em: 5 jul. 2014.

BAHIA, Superitendência de Desenvolvimento da Educação Básica- SUDEB, Diretoria de Inclusão e Diversidade- DIREM- Coordenação de Educação das Relações Étnico-Raciais e Diversidade – CED. II Fórum Bainao de Educação Quilombola- Relatório das Atividades, Seabra, BA, 2010.

BAHIA. Territórios de Identidade. Secretaria do Planejamento do Estado da Bahia (SEPLAN). Disponível em: <http://www.seplan.ba.gov.br/territorios-de-identidade/mapa>. Acesso em: 10 fev. 12.

BAHIA. Conselho Estadual de Educação- CEE. Resolução nº 68 de 30 de julho de 2013, publicada no Diário Oficial em 20 de dezembro de 2013. Estabelece normas complementares para implantação e funcionamento das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola na Educação Básica, no Sistema Estadual de Ensino da Bahia.

BAHIA. Secretaria Estadual de Educação. Ensino Médio com Intermediação Tecnológica. Disponível em: http://institucional.educacao.ba.gov.br/emitec. Acesso em: 13 maio 2014.

BAHIA. Estatísticas dos Municípios Baianos [recurso eletrônico] Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia. v.1 (2000 - ). – Salvador: SEI, V. 04, nº 1, 2012.

BAHIA. Secretaria de Promoção da Igualdade Racial- SEPROMI. 2. Ed. Direitos dos povos e Comunidades Tradicionais, Salvador: 2013.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro, Ed. Revista e atualizada. Lisboa, Portugal: Edições, 70, Lda, 2010.

BECKER, Fernando. O que é construtivismo. Série Idéias n. 20, São Paulo: FDE, 1994. p. 87-93. Disponível em: <http://www.crmariocovas.sp.gov.br/pdf/ideias_20_p087 093_c.pdf>. Acesso em 31 jan. 2015.

BHABHA. Homi. O local da Cultura. 4ª reimpressão, tradução de Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis, Gláucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2007.

BOGDAN, Robert. BIKLEN, Sari. Investigação Qualitativa em Educação: Uma introdução à teoria e aos métodos. Tradutores: Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Portugal: Porto Editora, LDA, 2010.

BORDIGNON, Genuíno. Desafios da gestão democrática da educação: nos sistemas de ensino e nas escolas públicas. In: Gestão Democrática da Educação. Boletim 19. Secretaria de Educação à Distância, Ministério da Educação, TV Escola: Programa Salto para o Futuro, outubro de 2005, (p.31 - 39).

BRANDÃO. Carlos R. O que é educação, 49ª Ed. Brasiliense: São Paulo, 2007.

BRASIL. Presidência da República Casa Civil. Subchefia par assuntos jurídicos. Lei 10.639 de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm>. Acesso em: 30 maio 2013.

BRASIL. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Básica. CNE/CP 003/2004, aprovado em 10/03/2004. Parecer das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, DF, 2004a.

BRASIL. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação. RESOLUÇÃO Nº 1, DE 17 DE JUNHO DE 2004, que institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico- Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, DF, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciaise para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília: DF, 2005.

BRASIL. MEC/SECAD. Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. (2009).Disponível em:<http://www.mp.pe.gov.br/uploads/bGGikz17byQwrMAFK30Yfw/planonacional_10.6391.pdf>. Acesso em: 26 jun. 2010.

BRASIL .Fundação Cultural Palmares. STF adia julgamento do Decreto 4887/2003. Disponível em: <http://www.palmares.gov.br/2012/04/stf-adia-julgamento-do-decreto-48872003/>.Acesso em: 22 jul. 2012.

BRASIL. Senado Federal Secretaria de informática. Constituição (1988).Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 2013. Disponível em: <http://www.senado.gov.br/legislacao/const/con1988/CON1988_05.10.1988/CON1988.pdf>.Acesso em: 08 nov. 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação (CNE). Texto-referência para a elaboração das Diretrizes Curriculares Nacionais para a educação escolar quilombola. Brasília, DF: CNE, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira- INEP- Censo Educacional de 2012. Brasília, DF, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Gerais para a Educação Básica. Parecer CNE/CEB nº 7/2010. Brasília, Conselho Nacional de Educação, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Básica. Parecer homologado CNE/CEB, 16/12 do Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Básica, publicado no D.O.U. de 20/11/2012, Seção 1, Pág. 8, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola. Brasília, DF, 2012a.

BRASIL. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Básica, Resolução nº 8, de 20 de novembro de 2012, que define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola na Educação Básica, Brasília, DF, 2012b.

BRASIL. Fundação Cultural Palmares. Ministério da Cultura. Certidões Expedidas às Comunidades Remanescentes de Quilombos. Disponível em: <http://www.palmares.gov.br/wp-content/uploads/2013/10/1-crqs-certificadas-ate-25-10-2013.pdf>. Acesso em: 30 de mar. 2014.

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas Híbridas: Estratégias para entrar e Sair da Modernidade; trad. Heloísa Pezze Cintrão, Ana Regina Lessa; trad da introdução Gênese. 4. Ed; 4. Reimp. São Paulo; Ed da Universidade de São Paulo, 2008.

CANDAU. Vera Maria Ferrão; RUSSO, Kelly. Interculturalidade e Educação na América Latina: uma construção plural, original e complexa. In: Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 10, n. 29, jan./abr. 2010, (p. 151- 169).

CANDAU, Vera Maria Ferrão. Diferenças Culturais, Cotidiano Escolar e práticas Pedagógicas. In: Currículo sem Fronteiras, v.11, n.2, /Dez 2011, (p. 240- 255).

CANDAU, Vera Maria. Educação intercultural; entre afirmações e desafios: In: Currículos, disciplinas escolares e culturas. MOREIRA, Antonio Flavio; CANDAU, Vera Maria (org). Petrópolis, RJ: Vozes, 2014 (p. 23- 41).

CANEN, Ana. Educação Multicultural, Identidade Nacional e Pluralidade Cultural: Tensões e Implicações Curriculares. Cadernos de Pesquisa, nº 111, p. 135 – 149, dezembro, 2000.

CANEN, Ana. O multiculturalismo e seus dilemas: implicações na educação. Comunicação & Política, v. 25, n. 2, mai./ago. 2007.

CANEN, Ana. XAVIER, Giseli Pereli de Moura. Formação continuada de professores para a diversidade cultural: ênfases, silêncios e perspectivas. In: Revista Brasileira de Educação v. 16 n. 48 set.-dez. 2011 (p. 641- 661).

CARVALHO, José Jorge (org.); DORIA, Siglia Zambrotti & OLIVEIRA Jr., Adolfo Neves de. O Quilombo do Rio das Rãs: Histórias, Tradições, Lutas. Salvador; editora da Universidade Federal da Bahia, 1995.

CASTILHO, Suely Dulce de. Culturas, família e educação na comunidade negra rural de Mata – Cavalo- MT. São Paulo, 2008. 295 f. Tese (Doutorado em Educação: Currículo). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, S.P, 2008.

CONAE. Conferência Nacional de Educação. Construindo o Sistema Nacional Articulado de Educação: O Plano Nacional de Educação, Diretrizes e Estratégias de Ação- Documento Final. Brasília:MEC, 2010. Disponível em: <http://conae.mec.gov.br/images/stories/pdf/pdf/documetos/documento_final.pdf>.Acesso em: 26 jun. 2010.

COSTA, Marisa Vorraber. Currículo e política Cultural. In: O currículo nos limiares contemporâneos. 4. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005, (p. 37- 68).

COSTA, Lívia Alessandra Fialho; MESSEDER, Marcos Luciano (organizadores). Educação, Multiculturalismo e Diversidade. Salvador: EDUFBA, 2010.

CRUZ, Carcius Marcelus. Trajetórias, lugares e encruzilhadas na construção da política de educação escolar quilombola no Paraná no início do III milênio. Curitiba, 2012. 197 f. Dissertação (Mestrado em Educação)- Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012.

DAUSTER, Tânia. Um saber de fronteira- entre a Antropologia e a Educação. 26ª Reunião da Anped, Poço de Caldas, outubro de 2003.

DUARTE, Nilton. As pedagogias do aprender a aprender e algumas ilusões da assim chamada sociedade do conhecimento. In: Trabalho apresentado na sessão especial “Habilidades e competências: a educação e as ilusões da sociedade do conhecimento”, durante a 24ª Reunião Anual da ANPEd, realizada em Caxambu (MG), de 8 a 11 de outubro de 2001.

DORIA, Siglia Zambrotti, CARVALHO, José Jorge. A Comunidade Rural Negra do Rio das Rãs. In: CARVALHO, José Jorge (org.); DORIA, Siglia Zambrotti & OLIVEIRA Jr., Adolfo Neves de. O Quilombo do Rio das Rãs: Histórias, Tradições, Lutas. Salvador; editora da Universidade Federal da Bahia, 1995 (p. 77- 114).

DUTRA, Maria Vanessa Fonseca (org.), Direitos Quilombolas: um estudo do impacto da cooperação ecumênica. Rio de Janeiro KOINONIA Presença Ecumênica e Serviço 2011.

EUGÊNIO, Benedito G. LIMA, Karla Dias de. A construção da identidade na comunidade remanescente de quilombo do Tucum-BA. In: Poiésis, Tubarão. V.8, n.13, p. 203 - 222, Jan/Jun, 2014. Disponível em:<http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/index>. Acesso em: 28 ago. 2014.

FIABANI, Aldemir. As diretrizes curriculares nacionais para a educação escolar quilombola: a necessária ruptura de paradigmas tradicionais. In: Identidade! | São Leopoldo, v.18 n. 3, ed. esp. | p. 345-356 | dez. 2013 | ISSN 2178-0437X. Disponível em: <http://periodicos.est.edu.br/identidade>. Acesso em: 09 mar. 2014, (p. 345 – 356).

FLEURI, Reinaldo Matias. Educação Intercultural no Brasil: a perspectiva epistemológica da complexidade R. bras. Est. pedag., Brasília, v. 80, n. 195, p. 277-289, maio/ago. 1999.

FRASER; Márcia Tourinho Dantas; GONDIM, Sônia Maria Guedes. Da fala do Outro ao Texto Negociado: discussões sobre a entrevista na pesquisa qualitativa. Paidéia, 2004, 14 (28), (p. 139 -152).

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática docente. 4. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

GADOTTI, Moacir. Projeto Político Pedagógico da Escola: fundamentos para a sua realização. In: Autonomia da escola: princípios e propostas. Gadotti, Moacir e ROMÃO, José Eustáquio. (orgs). 4. Ed. São Paulo: Cortez, Instituto Paulo Freire, 2001 (p. 33- 41).

GATTI, Bernadete Angelina. Grupo Focal na pesquisa em Ciências Sociais e Humanas. Brasília: Liber Livros, 2005.

GOMES, Nilma Lino. Educação e Diversidade Étnico-Cultural. In: Diversidade na educação: reflexões e experiência/ coordenação Marise Nogueira Ramos, Jorge Manoel Adão, Graciete Maria Nascimento Barros. Brasília: Secretaria de EducaçãoMédia e Tecnológica, 2003, (p. 69 – 76).

GOMES, Nilma Lino. Alguns Termos e Conceitos Presentes no Debate Sobre Relações Raciais no Brasil: Uma Breve Discussão. In: BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03. Brasília, 2005, p. (39 – 62).

GOMES, Nilma Lino. Diversidade cultural, currículo e questão racial: desafios para a prática pedagógica. In: ABRAMOWICZ, Anete; BARBOSA, Lucia Maria de Assunção; SILVÉRIO. Valter Roberto (orgs.). EDUCAÇÃO como prática da diferença. Campinas, SP: Armazém do Ipê (Autores Associados). 2006. (p. 21- 40).

GOMES, Nilma Lino. Indagações sobre currículo: diversidade e currículo; organização do documento Jeanete Beauchamp, Sandra Denise Pagel, Aricélia Ribeiro do Nascimento. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007a (p. 17 – 47).

GOMES, Nilma Lino. Trajetórias escolares, corpo negro e cabelo crespo: reprodução de estereótipos ou ressignificação cultural? In: Educação como exercício de diversidade. Organização: Osmar Fávero Timothy Denis Ireland. Segunda impressão. – Brasília: UNESCO, MEC, ANPEd, 2007b (p. 229 – 249).

GOMES, Nilma Lino. Diversidade étnico-racial: Por um projeto educativo emancipatório. In: Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 2, n. 2-3, p. 95-108, jan./dez. 2008. Disponível em: .

GOMES, Nilma Lino. Limites e Possiblidades da Implementação da Lei 10.639/03 no Contexto das Políticas Públicas em Educação. In: Caminhos convergentes: Estado e Sociedade na superação das desigualdades raciais no Brasil / Orgs. Marilene de Paula, Rosana Heringer. - Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Boll, ActionAid, 2009. (p. 39- 74).

GOMES, Nilma Lino. A Conae, a diversidade e o novo PNE. In: RONCA, Antonio Carlos Caruso; RAMOS, Mozart Neves (coord.). DA CONAE AO PNE 2011-2020: Contribuições do Conselho Nacional de Educação. São Paulo 2010, EDITORA MODERNA LTDA ISBN 978-85-16-06919-3. (p.193- 222).

GOMES, Nilma Lino. Relações Étnico-Raciais, Educação e Descolonização dos currículos. Currículo sem Fronteiras, v.12, n.1, Jan/Abr2012a. Disponível em:<http://www.curriculosemfronteiras.org/vol12iss1articles/gomes.pdf>. Acesso em: 21fev. 2013, (p.98-109).

GOMES, Nilma Lino. Apresentação. In: Práticas pedagógicas de trabalho com relações étnico-raciais na escola na perspectiva da Lei nº 10.639/03 / Nilma Lino Gomes (org.) - Brasília: MEC: Unesco, 2012b (p 7- 16).

GOMES, Nilma Lino e JESUS, Rodrigo Ednilson de. As práticas pedagógicas de trabalho com relações étnico-raciais na escola na perspectiva da Lei 10639/2003: desafios para a política educacional e indagações para a pesquisa. Educar em Revista, Editora UFPR. Curitiba, Brasil, Nº 47, 2013 (p. 19 – 33).

GOMES, Romeu. Análise e Interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In: MINAYO, Maria Cecília de Souza (org). DESLANDES, Suely Ferreira; GOMES, Romeu. Pesquisa Social Teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Ed. Vozes, 2007.

GOMES, Verônica. Organização Social, Festas, Lideranças: Organização Social e Festas com Veículos de Educação Não-Formal. In: Salto para o Futuro. Boletim 10. Secretaria de Educação à Distância, Ministério da Educação, TV Escola, Brasília: junho de 2007, (p.22-26).

GONÇALVES. Luiz Alberto Oliveira; SILVA, Petronílha Beatriz Gonçalves e. Movimento negro e educação. Revista Brasileira de Educação. Set/Out/Nov/Dez 2000 Nº 15. ANPED, (p. 134 – 158).

GUIMARÃES. Antônio Sérgio Alfredo. Acesso dos negros às universidades públicas. Temas em Debate: Ação Afirmativa. Cadernos de Pesquisa, n. 118, março/ 2003, (p. 247-268).

GUSMÃO, Neusa Maria Mendes de. Antropologia, Estudos Cultuais e Educação: desafios na modernidade. Pró-posições, v. 19, n. 3(57)- set/dez, 2008, (p. 47 – 82).

GUSMÃO, Neusa Maria Mendes de. Neusa Maria Mendes de. Antropologia, diversidade e educação: um campo de possibilidades In: ponto-e-vírgula, 10: 32-45, 2011.. Acesso em: 29 fev. 2013.

HALL, Stuart. A Identidade Cultural na Pós –Modernidade; tradução Tomaz Tadeu da Silva, Guaracira Lopes Louro. 7 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

LAPPRUDES, Laboratório de Políticas Públicas, ruralidades e Desenvolvimento. Apresentação. Mapa: Território de Identidade Velho Chico. Disponível em: <http://www.lapprudes.com/apresenta%C3%A7%C3%A3o/>. Acesso em: 14 abr. 2014.

LEITE, Ilka Boaventura. Humanidades Insurgentes: Conflitos e Criminalização dos quilombos. In: Cadernos de debates Nova Cartografia Social: Territórios quilombolas e conflitos/Alfredo Wagner Berno de Almeida (Orgs). [et al]. – Manaus: Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia, UEA Edições, 2010, (p. 18- 41).

LOPES, Dilmar, Luiz. A formação de professores na dimensão de uma educação quilombola. XVIII Seminário Internacional de Formação de Professores para o Mercossul CONE SUL de 03 a 05 de novembro de 2010. Universidade Federal de Santa Catarina- UFSC. Florianópolis- Santa Catarina- Brasil (p. 335- 364).

LOPES, Dilmar, Luiz. “Rodas de conversa” e Educação escolar quilombola: arte do falar e saber fazer, 2013 (defesa), 253 f. Tese (Doutorado em Educação)- Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

LUZ, Narcimária Correia do Patrocínio. O Reencantamento do Mundo: perspectivas de análise para a compreensão do nosso tempo. Rio de Janeiro: Editora quartet, 2010, (p. 30 – 66).

MACÊDO. Dinalva de Jesus Santana. O Currículo Escolar e a Construção da Identidade Étnico-racial da Criança e do Adolescente Quilombola: um olhar reflexivo sobre a auto-estima. 2008. 144 f. Dissertação (Mestrado em Educação e Contemporaneidade) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador, Bahia, 2008.

MACEDO, Lino de. O construtivismo e sua função educacional. In: Blog da Psicologia da Educação. 15 de gosto de 2008. (Arquivo em pdf). Disponível em: <http://www.ufrgs.br/psicoeduc/piaget/o-construtivismo-e-sua-funcao-educacional/>. Acesso em: 31 jan. 2015.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. De Perto e de Dentro: notas para uma etnografia urbana. Revista Brasileira de Ciências Sociais- Vol. 17, nº 49, junho, 2002 (p. 11- 29).

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Etnografia como Prática e Experiência. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 15, n. 32, jul./dez. 2009, (p. 129-156).

MAROUN, Kayla; OLIVEIRA, Suely Noronha de; CARVALHO, Ediléia. Educação Escolar Quilombola: diálogos e interfaces entre experiências locais e a institucionalização de uma nova modalidade de educação no Brasil. 36ª Reunião Nacional da ANPEd – 29 de setembro a 02 de outubro de 2013, Goiânia-GO. Disponível em: <http://36reuniao.anped.org.br/pdfs_trabalhos_aprovados/gt21_trabalhos_pdfs/gt21_3117_texto.pdf>. Acesso em: 02 de out. 2013.

MATTOS, Wilson Roberto de. Valores Civilizatórios Afro- Brasileiros na Elaboração de Currículos Escolares- Ensaiando Pressupostos. In: Diversidade na educação: reflexões e experiências/ Coordenadora: Marise Nogueira Ramos, Jorge Manoel Adão, Graciete Maria Nascimento Barros. Brasília: Secretaria de Educação Média e Tecnológica, 2003, (p. 28 – 34).

MATTOS, Wilson Roberto de.Conae 2010 – Educação e Diferenças Étnico-raciais: perspectivas de interpretação e caminhos de superação das desigualdades. In: RONCA, Antonio Carlos Caruso; RAMOS, Mozart Neves (coord.). DA CONAE AO PNE 2011-2020: Contribuições do Conselho Nacional de Educação. São Paulo 2010, EDITORA MODERNA LTDA ISBN 978-85-16-06919-3, p. 253 – 280.

MESSEDER, Marcos Luciano Lopes e MARTINS, Marcos Antonio Matos. Arraias de Rios de Contas: uma comunidade de cor. Cadernos CRH. Série Contos e Toques- Etnografias do Espaço Negro na Bahia. Suplemento. Salvador: Editora Fator, 1991.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. Ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

MONTE ALTO. Rosana Lacerda. Saberes e Fazeres Quilombolas: diálogos com a Educação do Campo. 2012. 136 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade de Uberaba, Uberaba, Minas Gerais, 2012.

MONTEIRO, Lirian Ribeiro; ANUNCIAÇÃO, Diana Santos; CAPINAN, Ubiraneila. Relatório Técnico de Identificação e Delimitação do Território Quilombola da Volta. Bom Jesus da Lapa, Bahia: INCRA/Bahia, 2009.

MOURA, Clóvis. Rebeliões da Senzala: quilombos, inssurreições, guerrilhas. 3. ed. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1981.

MOURA, Glória. Educação Quilombola. Proposta pedagógica. In: Salto para o Futuro. Boletim 10. Secretaria de Educação à Distância, Ministério da Educação, TV Escola, Brasília: junho de 2007, (p.3 – 8).

MOURA, Clóvis. O Direito à Diferença. In: MUNANGA Kabengele (org.). Superando o racismo na escola. 2. Ed. revisada, Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental, 2008, (p. 65 – 78).

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa, SILVA, Tomaz Tadeu da. (orgs.). Currículo, Cultura e Sociedade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1999.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. A recente produção científica sobre currículo e multiculturalismo no Brasil (1995-2000): avanços, desafios e tensões. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, Set/Out/Nov/Dez 2001 Nº 18 (p. 65-81).

MOREIRA.Antônio Flávio Barbosa. In: LOPES, Alice Casimiro. Currículo, Política e Cultura: Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente/ organização de Lucíola Licínio de Castro Paixão Santos [et al.]. – Belo Horizonte: Autêntica, 2010, (p. 88-113).

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa, CANDAU, Vera Maria. Indagações sobre o currículo: currículo, conhecimento e cultura; organização do documento Janete Beawchamp, Sandra Denise Pagel, Arcélia Ribeiro do Nascimento. Brasília: Ministérioda Educação, Secretaria da Educação Básica, 2008.

MUNANGA, Kabengele. Origem e histórico do quilombo na África. Revista USP, São Paulo, nº 28, 1996. Disponível . Acesso em: 13 de jan. 2008, (p. 56- 63).

MUNANGA, Kabengele. A questão da diversidade e da política de reconhecimento das diferenças. Crítica e Sociedade: revista de cultura política. v. 4, n.1, Dossiê: Relações Raciais e Diversidade Cultural, jul. 2014. ISSN: 2237-0579 (p. 34 – 45). Disponível. em: <http://www.seer.ufu.br/index.php/criticasociedade/article/viewFile/26989/14725>.Acesso: em: 20 jul. 2014.

NASCIMENTO. Rita Gomes do. Educação Escolar Brasileira e Diversidade Étnica e Cultural: Contribuições dos Movimentos Negro e Indígena para o Debate. In: RONCA, Antonio Carlos Caruso; RAMOS, Mozart Neves (coord.). DA CONAE AO PNE 2011-2020: Contribuições do Conselho Nacional de Educação.São Paulo 2010, EDITORA MODERNA LTDA ISBN 978-85-16-06919-3 (p. 223- 252).

NUNES, Georgina Helena Lima. Educação Quilombola. In: MEC. Orientações e Ações para Educação das Relações Étnico- Raciais. Ministério da Educação/ Secretaria da Educação Continuada – Alfabetização e Diversidade Brasília: SECAD, 2006 (p. 141- 163).

O’DWYER, Eliane Cantarino. Introdução. Os quilombos e a prática profissional dos antropólogos. In: Quilombos: identidade étnica e territorialidade / Eliane Cantarino O’Dwyer, organizadora. — Rio de Janeiro : Editora FGV, 2002. (p. 13- 42).

OREFICE, Paolo. Ciência e Desenvolvimento. Ciência Planetária para o material e imaterial de qualidade: estrutura e dinâmica dos saberes locais e saberes globais. In: Revista da FAEEBA: Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 16, n. 28, jul./dez. 2007, (p. 19- 34).

OLIVEIRA, José Cláudio Alves de. Bom Jesus da Lapa: três romarias, um patrimônio cultural e muita fé. Revista Eletrônica de Turismo Cultural, Volume 02, n. 01, São Paulo2008.

OLIVEIRA, Iolanda de. A formação de Profissionais Docentespara a Educação das Relações Étnico-Raciais nos Planos Nacionais da Educação. In: Educação e diversidade: estudos e pesquisas. Volume 1. Marcia Angela da Silva Aguiar, Ahyas Siss, Iolanda de Oliveira, Janete Maria L. de Azevedo, Márcia Soares de Alvarenga, Petronilha Beatriz G. e Silva, Rachel de Oliveira. (orgs.)[et all]. Recife: Gráfica J. Luiz Vasconcelos Ed., 2009 (p. 203- 212).

OLIVEIRA, Sandra Nivia Soares de. De Mangazeiros a Quilombolas: Terra, Educação e Identidade em Mangal Barro Vermelho. Salvador, 2006. 180 f. Dissertação (Mestrado em Educação)- Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2006.

OLIVEIRA, Suely Noronha de. Diretrizes Curriculares para a Educação Escolar quilombola: o caso da Bahia e o contexto nacional. 2013. 232 f. Dissertação (Mestrado em Educação)- Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

PEREIRA, Junia Sales. Reconhecendo ou construindo uma polaridade étnicoidentitária? Desafios do ensino de história no imediato contexto pós-Lei nº 10.639. In: Estudos Históricos, Rio de janeiro, v. 21, n. 41, p. 21-43, jan./jun. de 2008.

PINTO, Heldina Pereira. O Global e o Local na Construção de Práticas Curriculares. 2005. 254 f.(Tese de Doutorado em Educação). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo: PUC, SP, 2005.

QUEIROZ, Delcele Mascarenhas. O Negro, seu acesso ao ensino superior e as ações afirmativas no Brasil. In: Bernadino, Joaze e Galdino Daniela (orgs). Levando Raça a Sério. Rio de Janeiro: DP&A, 2004, (p. 137 – 156).

QUEIROZ, Delcele Mascarenhas. Da invisibilidade ao centro do debate: o negro na universidade no século XXI. In: AMORIM Antônio; LIMA JR. Arnaud Soares de., Jaci MENEZES (orgs); Francisco J. Aragão Pedroza [et al].Educação e Contemporaneidade: processos e metamorfoses Rio de Janeiro: Quartet, 2009 (p. 169-202).

ROCHA, Rosa Maria de Carvalho; TRINDADE, Azoilda Loreto da. Ensino Fundamental. In: Brasil, Ministério da Educação/Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília: SECAD, 2006 (p. 55-77).

ROCHA. Lauro Cornélio da. As Relações Étnico-Raciais, a Cultura Afro-Brasileira e o Projeto Político Pedagógico. In: Currículo, relações raciais e cultura afro-brasileira. Boletim 20. Salto para o Futuro. Secretaria de Educação à Distância. Ministério da Educação. Brasília, DF, 2006, p (51-66).

SACRISTÁN, J. Gimeno. Currículo e Diversidade Cultural. In: SILVA, Tomaz Tadeu da; MOREIRA, Antônio Flávio (orgs.). Territórios contestados: o currículo e os novos mapas políticos e culturais. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1999, p. 82 - 113.

SANT`ANA, Antônio Olímpio. História e Conceitos Básicos Sobre Racismo e Seus Derivados. In: MUNANGA Kabengele (org.). Superando o racismo na escola. 2. ed. revisada, Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental, 2008, (p. 39 – 67).

SANTANA. Marise de. O legado africano e a formação docente. In: Africanidades brasileiras e educação [livro eletrônico]: Salto para o Futuro / organização Azoilda Loretto Trindade. Rio de Janeiro: ACERP; Brasília: TV Escola, 2013 (p. 108 – 118).

SANTANA, José Valdir Jesus de. SANTANA, Marise de. MOREIRA, Marcos Alves. Cultura, currículo e diversidade etnicorracial: algumas proposições. In: Práxis Educacional Vitória da Conquista v. 9, n. 15, jul./dez. 2013 (p. 103-125). Disponível em: <http://periodicos.uesb.br/index.php/praxis/article/viewFile/1945/1686>. Acesso em 16 de jul. 2014.

SANTOMÉ, Jurgo Torres. As culturas negadas e silenciadas no currículo. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. (org.). Alienígenas na sala de aula 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2005, (p. 159-177).

SANTOS, Boaventura de Souza. Dilemas do nosso tempo: globalização, multiculturalismo (entrevista com Boaventura de Souza Santos). In: GANDIN, Luís Aramando; HYPOLITO, Álvaro Moreira. Currículo sem Fronteiras, v. 3, n. 32, jul/dez, 2003, (p. 5- 23).

SANTOS, Boaventura de Souza. Para além do Pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: Revista Crítica de Ciências Sociais, 78, Outubro 2007 (p. 3-46).

SANTOS, Boaventura de Souza. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. 3º ed. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Deoscoredes M. dos Santos, LUZ, Marco Aurélio. O Rei Nasce Aqui-Oba Biyi, a educação pluricultural africano-brasileira. Salvador: Fala Nagô, 2007.

SANTOS, Lorene dos. Saberes e práticas em Redes de Trocas: a temática africana e afro-brasileira em questão. Minas Gerais, 334 fl. Tese (Doutorado em Educação)- Universidade Federal de Minas Gerais /Faculdade de Educação, Belo Horizonte, Minas Gerais, 2010.

SANTOS, Tiago Rodrigues; SILVA, Paulo Henrique Carvalho e; GERMANI, Guiomar Inez. As Metamorfoses da Questão Quilombola na Bahia. In: XXVIII CONGRESSO INTERNACIONAL DA ALAS , realizado de 6 a 11 desetembro de 2011, UFPE, Recife-PE.

SILVA, Consuelo Dores. Negro, qual é o seu nome? 2. ed. Belo Horizonte, MG: Maza edições, 2004.

SILVA, Jesiel Souza; FERRAZ, José Maria Gusman .Questão fundiária: a terra como necessidade social e econômica para reprodução quilombola. In: Geo Textos, vol. 8, n. 1, jul. 2012, (p. 73-96).

SILVA, Gilvânia Maria da. Educação como processo de luta política: a experiência de “educação diferenciada” do Território Quilombola de Conceição das Criolas. Brasília, 2012. 223 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília, UNB, Brasília, 2012.

SILVA, Janssen Felipe da; FERREIRA, Michele Guerreiro; SILVA, Delma Josefa da. Educação das relações étnico-raciais: um caminho aberto para a construção da educação intercultural crítica. Revista Eletrônica de Educação. São Carlos, SP: UFSCar, v. 7, no. 1, p. 248-272, mai. 2013.

SILVA, Paulo Sérgio da. Contornos pedagógicos de uma educação escolar quilombola, Porto Alegre, 2013. 260 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves. Aprendizagem e Ensino das Africanidades Brasileiras. In: MUNANGA Kabengele (org.). Superando o racismo na escola. 2. Ed, Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental, 2008, (p. 151- 180).

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves. Aprender, ensinar e relações étnico-raciais no Brasil Educação. Porto Alegre/RS, ano XXX, n. 3 (63), p. 489-506, set./dez. 2007.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves. A Lei 10.639 na visão de Petronilha Beatriz Gonçalves e Silva. Entrevista concedida à assessoria de comunicação da Fundação Cultural Palmares (Daiane Souza) em 11 de janeiro de 2012. Disponível em:<http://www.palmares.gov.br/2012/01/a-lei-n%C2%B0-10-639-sob-a-visao-de-petronilha-beatriz-goncalves-e-silva/.> Acesso em 06 de mar. 2014.

SILVA, Tomaz Tadeu da. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz, Tadeu da. (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais em educação. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2000, (p. 73- 102).

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

SILVA, Valdélio Santos. Do Mucambo do Pau Preto à Rio das Rãs: liberdade e escravidão na construção de um quilombo contemporâneo, Salvador, 1998. 141 f. (Dissertação de Mestrado) - Universidade Federal da Bahia, Salvador: UFBA, 1998.

SILVA, Valdélio Santos. Desafios para uma política pública educacional para as comunidades quilombolas da Bahia. Conferência realizada na abertura do I Fórum de Educação Quilombola da Bahia em novembro de 2009, (texto digitado).

SILVA, Valdélio Santos. Rio das Rãs e Mangal: Feitiçaria e poder em territórios quilombolasdo Médio São Francisco, Salvador, 2010. 354 f. (Tese de Doutorado) -Programa Multidisciplinar em estudos Étnicos e Africanos da Universidade Federal da Bahia.Salvador: UFBA, 2010.

SIQUEIRA, Maria de Lourdes. Os Quilombos e a Educação.In: Valores afro-brasileiros na educação. Ministério da Educação, Brasília: TV Escola, Boletim 22, 2005.

SOARES, Edimara Gonçalves. Educação escolar quilombola: quando a diferença é indiferente. Curitiba, 2012. 143 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Paraná, Paraná, 2012.

SOUZA, Bárbara Oliveira. Movimento Quilombola: Reflexões sobre seus aspectos político-organizativos e identitários. Trabalho apresentado na 26ª. Reunião Brasileira de Antropologia, realizada entre os dias 01 e 04 de junho de 2008, Porto Seguro, Bahia, Brasil.

SOUZA, Shirley Pimentel de. Memória Social e Educação Quilombola: O Caso do Quilombo Araçá/Cariacá/BA, Bom Jesus da Lapa: UNEB, 2007 (TrabalhoMonográfico de Conclusão do Curso de Pedagogia). Universidade do Estado da Bahia.

STEIL, Carlos Alberto. O Sertão das Romarias: um estudo antropológico sobre o santuário de Bom Jesus da Lapa- Bahia. Petrópolis, Rio de Janeiro: Editora Vozes, 1996.

VEIGA, ILMA Castro de Alencastro. Perspectivas para reflexão em torno do projeto político-pedagógico. In: VEIGA, ILMA Castro de Alencastro e RESENDE Lúcia Maria Gonçalves de. (orgs.). Escola: Espaço do Projeto Político-Pedagógico. 10 ed. São Paulo: Papirus, 2006, (p. 9 – 32).

WALSH, Catherine, Interculturalidad y (de)colonialidad: Perspectivas críticas y políticas. In: Visão Global, Joaçaba, v. 15, n. 1-2, p. 61-74, jan./dez. 2012. Disponível em:<http://editora.unoesc.edu.br/index.php/visaoglobal/article/view/3412/1511>. Acesso em: 05 de jul. 2014.

Downloads

Publicado

31-08-2018

Como Citar

MACÊDO, D. de J. S. M. S. EDUCAÇÃO EM COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO TERRITÓRIO DE IDENTIDADE DO VELHO CHICO/BA: indagações acerca do diálogo entre as escolas e as comunidades locais. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 2, n. 11, p. 276–288, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2018v2n11.40915. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rec/article/view/40915. Acesso em: 27 jan. 2023.