Viabilidade técnica da manta geossintética na produção de pimentão em função de diferentes lâminas de irrigação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2021v15n2.57597

Resumo

A manta geossintética Soiltain® DW, utilizada em estações de tratamento de água, tem vida útil de três meses, apresentando-se como resíduo sólido, cujas características conferem alta resistência e longevidade, podendo constituir um produto alternativo na cobertura do solo na agricultura. Esta pesquisa objetivou avaliar a viabilidade técnica da manta geossintética e de coberturas do solo (sintético e orgânico) na produção de pimentão, cultivar Kolima F1, sob três lâminas de irrigação. O experimento foi conduzido em Arapiraca, Alagoas - Brasil, em parcelas subdivididas, estando nas parcelas principais três lâminas de irrigação (60, 100 e 150% da ETc) e, nas subparcelas, quatro coberturas do solo (manta geossintética, solo descoberto, mulchings sintético branco e orgânico), com cinco repetições. Foram realizados quatro ciclos de avaliação entre os meses de 10/2019 e 03/2020. Em geral, as variáveis agronômicas foram influenciadas pelas lâminas de irrigação e pelas coberturas do solo. A temperatura do solo foi a variável que mais exerceu influência negativa sobre as plantas. O mulching branco associado a lâmina de 150% ETc reduziram o desempenho das plantas. A manta geossintética apresentou máxima eficiência no uso da água (média 28,8 kg m-3), produtividade média (52,2 Mg ha-1) e maior lucratividade (R$ 180.33), consolidando-se como um resíduo sólido alternativo na cobertura do solo, devendo ser associado à lâmina de 100% ETc.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sílvio Serafim de Oliveira, Instituto Federal de Alagoas - Ifal

Eng. Agrônomo, discente do Programa de Mestrado em Tecnologias Ambientais do Ifal/Campus Marechal Deodoro

Marcelo Cavalcante, Instituto Federal de Alagoas

Eng. Agrônomo e Mestre - UFAL Doutor em Zootecnia - UFRPE Docente IFAL/Campus Maragogi, departamento de Agroecologia Docente Permanente do Programa de Mestrado Profissional em Tecnologias Ambiental - IFAL/Campus Marechal Deodoro

José Anderson Soares Barros, Instituto Federal de Alagoas - Ifal

Eng. Agrônomo, discente do Programa de Mestrado em Tecnologias Ambientais do Ifal/Campus Marechal Deodoro

Downloads

Publicado

2021-07-15

Como Citar

OLIVEIRA, S. S. de .; CAVALCANTE, M.; BARROS, J. A. S. Viabilidade técnica da manta geossintética na produção de pimentão em função de diferentes lâminas de irrigação. Gaia Scientia, [S. l.], v. 15, n. 2, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.1981-1268.2021v15n2.57597. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/57597. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Ciências Ambientais