Repensando o desenvolvimento da competência tradutória e suas implicações para a formação do tradutor

  • José Vila Real GONÇALVES UFOP
Palavras-chave: competência tradutória, formação de tradutores, cursos de tradução no Brasil

Resumo

Nos Estudos da Tradução, a eficiência de um tradutor e a qualidade de seu trabalho têm sido investigadas com base no conceito de competência tradutória (e.g. Schaffner; Adab, 2000; PACTE, 2003; Pagano; Magalhães; Alves, 2005; Alves; Gonçalves, 2007). Contudo, ainda são relativamente poucas as iniciativas voltadas para a aplicação dos achados e desenvolvimentos conceituais desse ramo dos estudos da tradução à didática da tradução, lacuna que tem se mostrado cada dia mais problemática, tendo em vista a crescente demanda por traduções no mercado e a criação de novos cursos de graduação na área nos anos recentes. Este trabalho de pesquisa, com base na proposta teórica de Gonçalves (2008), em relação à conceituação de competência e competência tradutória, rediscutiu e reformulou as definições dos componentes da competência tradutória propostas por Gonçalves e Machado (2006) e aplicou-as a dados referentes às matrizes curriculares de cursos de tradução no Brasil coletados em dois períodos cronológicos recentes e próximos entre si – 2009 e 2014. O objetivo principal foi observar em que medida há congruência e coerência entre as propostas curriculares dos cursos de tradução brasileiros e os preceitos teóricos sobre o tema. O levantamento dos dados sobre os cursos de tradução foi feito através de informações disponibilizadas na internet pelas respectivas instituições. Os resultados apontam para uma tendência de mudança no perfil geral de formação do tradutor no Brasil nos últimos anos. Conclui-se, ainda, que é necessário aprofundar o diálogo, a cooperação e a articulação entre os diversos agentes envolvidos com a tradução (tradutores, professores, pesquisadores, gestores), visando à consolidação e aprimoramento de uma proposta que defina o conjunto mínimo de conhecimentos e competências para a formação do tradutor profissional.

Referências

ALVES, F.; GONÇALVES, J. L. Modularidade maciça, conexionismo e relevância: interfaces cognitivas aplicadas à tradução. In: F. Alves; J. L. Gonçalves (Orgs.). Relevância em tradução: perspectivas teóricas e aplicadas. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2006. p. 9-33.

ALVES, F.; GONÇALVES, J. L. Modelling translator’s competence: relevance and expertise under scrutiny. In: Y. Gambier; M. Schelensiger; R. Stolze (eds.). Translation studies: doubts and directions. (Selected contributions from the IV EST Congress). Amsterdam: John Benjamins, 2007. p. 41-55.

ALVES, F.; MAGALHÃES, C.; PAGANO, A. Traduzir com autonomia: estratégias para o tradutor em formação. São Paulo: Contexto, 2000.

CHOMSKY, N. Current issues in linguistic theory. 5.ed. Haia/Paris: Mouton, 1970. (1 ed. 1964).

EHRENSBERGER-DOW, M. Challenges of translation process research at the workplace. MonTI Monographs in Translation and Interpreting, 7: 355-383, 2014.

ERICSSON, K. A.; KRAMPE, R. T.; TESCH-ROMES, C. The role of deliberate practice in the acquisition of expert performance. Psychological review, v. 100, n. 3, 1993.

GONÇALVES, J. L. O desenvolvimento da competência do tradutor: investigando o processo através de um estudo exploratório-experimental. 2003. 241 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) — Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

GONÇALVES, J. L. Rediscutindo o conceito de competência de uma perspectiva relevantista. In J. Campos; F. J. Rauen (Orgs.). Tópicos em Teoria da Relevância. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. p. 122-142.

GONÇALVES, J. L. & MACHADO, I. T. N. Um panorama do ensino de tradução e a busca da competência do tradutor. In M. L. Vasconcellos; A. PAGANO (Orgs.). Cadernos de Tradução XVII. UFSC, 2006, p. 45-69.

NEUBERT, A. Competence in language, in languages, and in translation. In C. Schäffner; B. Adab (eds.). Developing translation competence. Amsterdam: John Benjamins Publishing, 2000. p. 3-18.

PACTE. Acquiring translation competence: hypotheses and methodological problems in a research project. In A. Beeby; D. Ensinger; M. Presas (eds.). Investigating translation. Amsterdam: John Benjamins, 2000. p. 99-106.

PACTE. Building a translation competence model. In F. Alves (ed.). Triangulating translation: perspectives in process oriented research. Amsterdam: John Benjamins, 2003. p. 43-66.

PACTE. First results of a translation competence experiment: ‘knowledge of translation’ and ‘efficacy of the translation process’. In: J. Kearns (ed.). Translator and interpreter training: issues, methods and debates. London: Continuum, 2008. p. 104-126.

PACTE. Results of the validation of the PACTE translation competence model: translation problems and translation competence. In: C. Alvstad; A. Hild; E. Tiselius (eds.). Methods and strategies of process research: integrative approaches in translation studies. Amsterdam: John Benjamins, 2011. p. 317-343.

PAGANO, A.; MAGALHÃES, C.; ALVES, F. (orgs.). Competência em Tradução: cognição e discurso. Ed. UFMG: Belo Horizonte, 2005.

PRESAS, M. Bilingual competence and translation competence. In C. Schäffner; B. Adab (eds.). Developing translation competence. Amsterdam: John Benjamins Publishing, 2000. p. 19-32.

ROBINSON, D. Becoming a translator: an introduction to the theory and practice of translation. 2 ed. London/New York: Routledge, 2003.

ROTHE-NEVES, R. Características cognitivas e desempenho em tradução: investigação em tempo real. 2002. 262 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

ROTHE-NEVES, R. Notes on the concept of translator's competence. In Quaderns. Revista de Traducció, v. 14, p. 125-138, 2007.

SCHÄFFNER, C; ADAB, B. (eds.). Developing translation competence. Amsterdam: John Benjamins Publishing, 2000.

Publicado
2015-07-25
Como Citar
GONÇALVES, J. V. R. Repensando o desenvolvimento da competência tradutória e suas implicações para a formação do tradutor. Revista Graphos, v. 17, n. 1, p. 114-130, 25 jul. 2015.