Hölderlin (re)traduzido no Brasil: Constelações poético-tradutórias, acontecimentos

  • Marcelo RONDINELLI UFMG
Palavras-chave: Friedrich Hölderlin, Antonio Cicero, Retradução, Poetas-tradutores brasileiros

Resumo

O presente artigo integra parte de pesquisa mais ampla para o desenvolvimento de tese de doutorado (2015), enriquecido de novos aportes e reflexões. Ele concentra-se na última retradução – em termos cronológicos, a mais recente – de “Hyperions Schicksalslied”, de Friedrich Hölderlin, por Antonio Cicero, concluindo (provisoriamente) a sequência de (re)traduções até o momento, realizadas pelos poetas-tradutores Manuel Bandeira, Mário Faustino, Marco Lucchesi, José Paulo Paes e Antonio Medina Rodrigues. Examinando não só a retradução proposta por Cicero para tal poema fundamental de Hölderlin, mas também as de outros poetas de linhagem hölderliniana com os quais se ocupou, é possível discutir a “hipótese da tradução” de Antoine Berman (1990), bem como da crítica que suscitou (cf. Gambier, 2011, entre outros). Por fim, mostra-se igualmente possível relacionar escolhas tradutórias de Antonio Cicero com sua lírica própria, além de seu trato com poesia de várias partes do mundo, de autoria e procedências diversas, conforme se pode acompanhar no blog “Acontecimentos”, que mantém há quase uma década. Ali, Cicero apresenta, debate, realimenta a reflexão sobre poesia (entre outros temas). O suporte eletrônico imprime nova dinâmica no trabalho (re)tradutório, na medida em que oferece espaço para a interação com seu público leitor. Com esses elementos, é possível mapear com Antonio Cicero mais uma constelação poético-tradutória no inesgotável universo da prática de tradução, crítica e criação.

Referências

Termo este, como sabemos, caro à Teoria do Skopos [Skopostheorie] dos Estudos da Tradução, cujos principais expoentes são Katharina Reiß e Hans Vermeer.

BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

BERMAN, Antoine. « La retraduction comme espace de la traduction ». In: Palimpsestes, XIII, 4, 1990. Publications de la Sorbonne Nouvelle, 1990.

CICERO, Antonio. Guardar. Rio de Janeiro: Record, 1997.

______ . A cidade e os livros. Rio de Janeiro: Record, 2002.

______ . “O destino do homem”. In: NOVAES, Adauto (org.). Poetas que pensaram o mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. p. 225-268.

______ . Porventura. Rio de Janeiro: Record, 2012.

______ . Blog Acontecimentos. 2007-2016. Disponível em <http://antoniocicero.blogspot. com.br/>. Acesso em 19 fev. 2016.

DEUTSCHES WÖRTERBUCH VON JACOB GRIMM UND WILHELM GRIMM. Universidade de Trier, 1998-2016. Disponível em <http://woerterbuchnetz.de/DWB/> . Acesso em 19 fev. 2016.

DUDEN ONLINE-WÖRTERBUCH. Bibliographisches Institut GmbH, 2016. Disponível em <http://www.duden.de> . Acesso em 19 fev. 2016.

FAUSTINO, Mario. Poesia completa / Poesia traduzida. Org. Benedito Nunes. São Paulo: Max Limonad, 1985.

GAMBIER, Yves. “La retraduction: Ambigüités et défis”. In: MONTI, Enrico; SCHNYDER, Peter (orgs.). Autour de la retraduction. Mulhouse: Orizons, 2011. p. 49-66.

HÖLDERLIN, Friedrich. Die Gedichte. Sämtliche Gedichte und Hyperion. Hrsg. von Jochen Schmidt. Frankfurt a. M. / Leipzig: Insel Verlag, 2001.

______ . Poemas. Trad. José Paulo Paes. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

KNOOP, Ulrich. „Hälfte des Lebens“: Wortgeschichtliche Erläuterungen zu Hölderlins Gedicht. In: LAWITSCHKA, Valérie (org.). Hölderlin: Sprache und Raum. Tübingen: Hölderlinturm, 2008. p. 46-73.

LARANJEIRA, Mario. Poética da tradução: do sentido à significância. São Paulo: Edusp, 1993.

LUCCHESI, Marco. Patmos e outros poemas de Hölderlin. Niterói: Grupo Setembro, 1987.

______ . Faces da Utopia. Niterói: Cromos, 1992.

PAES, José Paulo. Tradução: a ponte necessária. São Paulo: Ática, 1990.

RODRIGUES, Antonio Medina. Canto do destino e outros cantos / Hölderlin. Organização, tradução e ensaio de Antonio Medina Rodrigues. São Paulo: Iluminuras, 1994.

RONDINELLI, Marcelo. Hipérion/Hiperíon/Hiperion/Hiperião: destinos e constelações de um Hölderlin (re)traduzido no Brasil. Tese de Doutorado. Florianópolis: PGET/UFSC, 2015.

SECCHIN, Antonio Carlos. [orelha de livro]. In: CICERO, Antonio. Porventura. Rio de Janeiro: Record, 2012.

TIMOSCHKOWA, Natascha. Ein Mandeltrum – Übersetzungskritische Untersuchungen zur Rolle Ossip Mandelstamms im dichterischen Gesamtwerk Paul Celans. Berlin: Frank & Timme, 2015.

Publicado
2016-12-20
Como Citar
RONDINELLI, M. Hölderlin (re)traduzido no Brasil: Constelações poético-tradutórias, acontecimentos. Revista Graphos, v. 18, n. 2, p. 89-112, 20 dez. 2016.