Itinerários de leitura na contemporaneidade: pedagogias e práticas leitoras na cultura digital

  • Sarah Suzane Bertolli UFG
  • Alexandre Ferreira da Costa Unicamp
  • Agostinho Potenciano de Souza UFMG
Palavras-chave: Leitura, Ensino, Discurso, Multiletramentos

Resumo

Este trabalho tem por tema a leitura no cenário da educação brasileira contemporânea, partindo da análise dos discursos didático-normativos e das práticas de linguagem em sala de aula vinculadas à educação básica. Objetiva-se verificar quais práticas para a formação de leitores são sugeridas nos documentos do Ministério da Educação (MEC) que norteiam o currículo e a prática docente. Para realizar este estudo, consideramos o objeto em sua perspectiva histórica e discursiva, refletindo sobre as transformações e regularidades dos conteúdos, estratégias, práticas, habilidades e expectativas de aprendizagem da leitura na escola, tendo em vista o recorte temporal dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN, 1997) até a Base Nacional Comum Curricular (BNCC, 2017), com análise documental e também revisão bibliográfica desse tema, à luz das teorias de Chartier (1999, 2011, 1988), Bakhtin (1979, 2011) e Rojo (2012). Constatamos que nessa contemporaneidade digital, na qual estamos imersos, a leitura está atrelada à perspectiva dos multiletramentos, e sua práxis pedagógica é enunciada em normativas partindo de teorias do texto e do discurso, as quais serão reconhecidas na BNCC, ainda que não estejam, nesse documento, devidamente creditadas. Concluímos que as práticas leitoras na cultura das tecnologias da comunicação e da informação tendem a ser mais fluidas, embasadas não em procedimentos estanques, mas em itinerários possíveis, aludindo à navegação – metáfora e também nomeação da leitura em rede, ou seja, realizada na internet.

Biografia do Autor

Sarah Suzane Bertolli, UFG
Universidade Federal de Goiás. Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística da UFG.
Alexandre Ferreira da Costa, Unicamp
Universidade Federal de Goiás. Docente do Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística da UFG. Pós-doutor em Linguística pela UnB. Doutor em Linguística Aplicada pela Unicamp.
Agostinho Potenciano de Souza, UFMG
Universidade Federal de Goiás. Docente do Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística da UFG. Doutor em Estudos Linguísticos pela UFMG.

Referências

BAKHTIN, M. Os Gêneros Discursivos. In: Bakthin, M. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

_____. M. & Voloshinov, V. N. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1979.

BERTOLLI, Sarah Suzane. O espaço da fruição literária na constituição do discurso pedagógico da leitura. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística). Programa de Pósgraduação em Letras e Linguística. Universidade Federal de Goiás. Goiânia, 2017. Disponível em: <https://repositorio.bc.ufg.br/tede/bitstream/tede/6907/5/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20- %20Sarah%20Suzane%20Am%C3%A2ncio%20Bertolli%20Ven%C3%A2ncio%20Gon%C3%A7alv es%20-%202017.pdf>.

BOURDIEU, Pierre. Outline of a theory of practice. Cambridge e Melbourne: Cambridge University Press, 1977.

BRAIT, Beth. PCNs, gêneros e ensino de língua: faces discursivas da textualidade. In: ROJO, Roxane (org). A prática de linguagem em sala de aula: praticando os PCNs. São Paulo:

EDUC, Campinas: Mercado das Letras, 2000. (Coleção As faces da Linguística Aplicada).

BRASIL. Ministério da Educação e da Cultura. Parâmetros Curriculares Nacionais: língua portuguesa. MEC/SEF, 1997.

_____. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/a-base>. Acesso em: 02 ago. 2018.

CHARTIER, Roger. Práticas de Leitura. Trad. Cristiane Nascimento. 5ª ed. São Paulo, Estação Liberdade, 2011.

_____. A aventura do livro: do leitor ao navegador. Tradução: Reginaldo Carmello Côrrea de Moraes. São Paulo: Editora UNESP, 1999.

_____. A história cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: DIFEL, 1988

CORSI, Solange. Formação literária em uma escola de tempo integral: novos modos de relação entre o jovem e os livros? (Tese. Doutorado – Estudos Linguísticos). Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística, Universidade Federal de Goiás, Goiás, 2017. Disponível em: <https://repositorio.bc.ufg.br/tede/bitstream/tede/6978/5/Tese%20-%20Solange%20da%20Silva%20Corsi%20-%202017.pdf>. Acesso em> 04 jul. 2018.

COURTINE, Jean-Jacques. Decifrar o corpo: pensar com Foucault. Petrópolis (RJ): Vozes, 2013.

DE CERTEAU, M. A invenção do cotidiano. Artes do fazer. Petrópolis (R.J): Vozes, 1994.

ECO, U. O leitor-modelo. In: _____. Lector in fabula: a cooperação interpretativa nos textos narrativos. São Paulo: Perspectiva, 2002, p. 35-49.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 2006, p. 5 -60.

_____. Resposta a uma questão. In: _____. Ditos e Escritos IV: repensar a política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

_____. A Arqueologia do saber. 8ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

FRANCO, Malu Melo. A escola, 2015 In: Notas sobre uma escolha (blog). Disponível em:<https://notasobreumaescolha.wordpress.com/2015/05/19/a-escola/>. Acesso em: 01 ago 2018.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler. 51ª edição. São Paulo: Cortez, 2015.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A produtividade da escola improdutiva: um (re) exame das relações entre educação e estrutura econômico-social capitalista. São Paulo: Cortez, 1989.

GARCIA, Júlio Cézar. O ensino médio integrado no Instituto Federal Goiano: a percepção de professores sobre os desafios e possibilidades para a consolidação da formação humana integral. Tese (Doutorado em Educação). Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Goiânia, 2017. Disponível em: <http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/bitstream/tede/3849/2/J%C3%9ALIO%20C%C3%89ZAR %20GARCIA.pdf?>.

KUENZER, Acácia Zeneida. Pedagogia da fábrica. 8. Ed. São Paulo, SP: Cortez, 2007.

MARCUSCHI. Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.

NOGUEIRA, Poliana Vieira. Do autor ao leitor: os processos que marcam o encontro das crianças e jovens com o livro. (Tese. Doutorado – Estudos Literários). Programa de Pósgraduação em Letras e Linguística, Universidade Federal de Goiás, Goiás, 2017. Disponível em: <https://repositorio.bc.ufg.br/tede/bitstream/tede/7575/5/Tese%20-%20Poliane%20Vieira%20Nogueira%20-%202017.pdf>. Acesso em: 04 jul. 2018.

ROJO, Roxane. Pedagogia dos Multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R.; MOURA, E. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012. (Estratégias de Ensino, 29.)

SOUSA, Sandra Lopes. Construindo uma comunidade de leitores: seleção de obras e estratégias de leitura literária. (Dissertação. Mestrado). Programa de Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras. Universidade Federal de Uberlândia: Minas Gerais, 2016. Disponível em: <https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/18427/1/ConstruindoComunidadeLeitores.pdf:. Acesso em: 04 jul. 2018.

STREET, B. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Tradução: Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2014.

VEYNE, Paul. Foucault: seu pensamento, sua pessoa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

Publicado
2019-07-04
Como Citar
BERTOLLI, S. S.; COSTA, A. F. DA; SOUZA, A. P. DE. Itinerários de leitura na contemporaneidade: pedagogias e práticas leitoras na cultura digital. Revista Graphos, v. 21, n. 1, p. 135-158, 4 jul. 2019.
Seção
Artigos do Dossiê