O fantástico e o humor na religiosidade: uma leitura da obra A Cabeça do Santo, de Socorro Acioli

Autores

  • Edna da Silva Polese UTFPR UFES

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1516-1536.2021v23n1.58662

Palavras-chave:

Religiosidade, Fantástico, Humor, Literatura Brasileira

Resumo

A obra literária A cabeça do santo apresenta uma narrativa em que é possível estabelecer a presença do fantástico. Ainda, pelo caminho do riso, a autora desconstrói a temática da religiosidade e de questões sociais como a corrupção política. A partir dos estudos de Bakhtin, Bergson, Todorov, Câmara Cascudo, entre outros, apresentamos uma possível leitura da obra destacando os temas do fantástico e do humor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edna da Silva Polese, UTFPR UFES

Doutora em Letras pela Universidade Federal do Paraná. Professora de Literatura Brasileira e Teoria Literária. ORCID ID: https://orcid.org/0000-0002-5184-6749

Referências

ACIOLI, Socorro. A cabeça do santo. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

BAKHTIN, Mikhail. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. São Paulo: Annablume, 2002.

BERGSON, Henri. O riso: Ensaio sobre a significação do cômico. 2 ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

CASCUDO, Luís da Câmara. Religião no povo. São Paulo: Global, 2011.

CESARINI, Remo. O fantástico. Tradução de Nilton Cezar Tridapalli. Curitiba: Ed. UFPR, 2006.

MATOS, Geraldo. Adoração e comércio da fé em Paul Claudel e Dias Gomes. Vitória: EDUFES, 1999.

PAIVA, José Maria de. Religiosidade e cultura brasileira. Maringá: EDUEM, 2012.

TODOROV, Tzvetan. Introdução à literatura fantástica. São Paulo: Perspectiva, 1975.

Downloads

Publicado

2021-06-03

Edição

Seção

DOSSIÊ: O FANTÁSTICO E A (DE)FORMAÇÃO DO RISO