INCLUSÃO ESCOLAR COMO TRABALHO ARTICULADO ENTRE GESTÃO, EDUCAÇÃO ESPECIAL E PROFESSORES/AS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2021v30n3.60811

Palavras-chave:

Educação Inclusiva, Gestão Escolar, Ensino Colaborativo

Resumo

Este estudo objetivou analisar significados produzidos sobre inclusão escolar e a respeito dos/as alunos/as alvo desse processo, que embasam a gestão das práticas ditas inclusivas, desenvolvidas no contexto escolar. Para isso, buscamos conhecer as narrativas produzidas por professoras e gestoras acerca da inclusão escolar, problematizando os efeitos dos significados construídos no percurso de escolarização de alunas/os em processo de inclusão escolar. A pesquisa teve, como lócus de trabalho, duas escolas da rede de ensino privado do munícipio de Santa Maria/RS. O estudo organizou-se, metodologicamente, a partir da realização de entrevistas com uma professora regente, a educadora especial e uma gestora de cada escola. Os dados foram analisados a partir de autoras/es como Honeff (2018); Luck (2014); Veiga-Neto (2001), dentre outras/os, os quais foram localizadas/os por meio de uma pesquisa do Estado do Conhecimento. A partir desse estudo, constatamos que políticas de inclusão ainda produzem práticas de in/exclusão, em que alunos/as alvo dos processos inclusivos são produzidos/as e destinados/as a práticas de normalização. Por outro lado, desenvolver um Ensino Colaborativo, entre os/as profissionais envolvidos/as, durante os processos inclusivos, mostrou-se uma possibilidade potente para a operacionalização de práticas mais inclusivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, 07 de jan. 2008.

BORGES, L. de L. Modos de pensar a infância: um convite ao pensamento a partir da educação especial. 2019. 170f. Dissertação (Mestrado em Educação) – UFSM, Santa Maria.

BRIDI, F. R. de S.; KONIG, F. R. O ensino colaborativo e a gestão das práticas pedagógicas: avaliando efeitos. Revista Eletrônica de Educação, v. 13, n. 1, p. 278-290, jan./abr. 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14244/198271992695. Acesso em: 15 abr. 2021.

HONNEF, C. Relatos de professores sobre gestão do pedagógico em uma realidade da educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Rev. Gest. Aval. Educ. Santa Maria v. 2, n. 3, Jan./jun. 2013 p. 35-43. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5902/2176217110390. Acesso em: 20 mar. 2021.

HONNEF, C. O trabalho docente articulado com concepção teórico-prática para a educação especial. 2018. 294f. Tese (Doutorado em Educação) – UFSM, Santa Maria.

KICH, B. V. Narrativas de gestores de escolas públicas frente à política de inclusão escolar: um estudo de caso na região centro-oeste-RS. 2018. 52f. Monografia (Especialização) – UFSM, Santa Maria.

LÜCK, H. Gestão Educacional: uma questão paradigmática. 11. ed.- Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

MELLO, V. S. S. de; MENEZES, E. da C. P. de. A produção de práticas de normalização nos discursos orientadores/reguladores do Atendimento Educacional Especializado. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 27, n. 50, p. 725-736, set./dez. 2014 Santa Maria Disponível em: http://www.ufsm.br/revistaeducacaoespecial. Acesso em: 10 fev. 2021.

POSSA, L. B. Formação em Educação Especial na UFSM: Estratégias e modos de constituir-se professor. 2013. 239f. Tese (Doutorado em Educação) – UFSM, Santa Maria.

SANTA MARIA. Lei nº 6001, de 18 de agosto de 2015. Estabelece o Plano Municipal de Ensino e dá outras providências. Prefeitura Municipal de Santa Maria: Secretaria de Município de Gestão e Modernização Administrativa, 2015.

VEIGA-NETO, A. Incluir para saber. Saber para excluir. Revista Pro-posições, v. 12, n. 2-3, p. 22-31, jul./nov. 2001.

Downloads

Publicado

2021-12-09

Como Citar

LOBELL DA SILVA, caroline; DA COSTA PEREIRA DE MENEZES, E. .; DE LIMA BORGES, L. INCLUSÃO ESCOLAR COMO TRABALHO ARTICULADO ENTRE GESTÃO, EDUCAÇÃO ESPECIAL E PROFESSORES/AS. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 30, n. 3, p. 121–140, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2021v30n3.60811. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/view/60811. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGO DE REVISÃO