A contação de histórias e suas implicações no processo de formação do pedagogo

Autores

  • Nailde da Silva Doria Secretaria Municipal de Educação de Santa Isabel do Pará https://orcid.org/0000-0002-6875-7451
  • Sandra Novais Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Milene Bartolomei Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2023v32n1.64182

Palavras-chave:

Pedagogia., Formação Inicial, Contação de histórias

Resumo

O presente artigo tem como objeto de estudo a contação de histórias, verificando como se dá o processo de aprendizagem por meio da contação de histórias na formação inicial do docente. Partimos da concepção de que o contato com a literatura infantil, por meio da arte de contar histórias, pode levar a criança ao encantamento próprio, às experiências artísticas, o que pode despertar na criança o interesse pela leitura por prazer. Os procedimentos metodológicos consistiram em pesquisa bibliográfica e documental, de caráter qualitativo e exploratório, bem como a aplicação de questionários aos alunos do 1° ao 8º semestre do curso de Pedagogia da Faculdade de Educação (Faed) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Para tanto, foram utilizados como referenciais teóricos os autores Abramovich (2009) e Simões (2000) entre outros. Sobre os dados encontrados nas produções acadêmicas analisadas, foi possível identificar um movimento a favor da contação de histórias dentro da sala de aula. Como resultados, compreendemos a importância dada à aprendizagem da arte da contação de histórias ao longo da formação acadêmica do docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Novais, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Educação, especialista em Alfabetização, Gestão Escolar e Coordenação Pedagógica, professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, líder do Grupo de Estudo e Pesquisas em Narrativas Formativas (Gepenaf).

Milene Bartolomei, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro Oeste,  Mestre em Educação, pedagoga,  professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro Oeste da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Educação, Desenvolvimento Humano e Inclusão (GEPEDHI) e da linha de Pesquisa Educação, Saúde e Práticas Educacionais.

Referências

ABRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil: gostosuras e bobices. 5. ed. São Paulo: Scipione, 2009.

BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em 25 set. 2019.

COELHO, Nelly Novaes. Literatura infantil: teoria, análise, didática. São Paulo: Moderna, 2000.

DAVID, Ricardo Santos. Literatura infanto-juvenil: discussões sobre o panorama histórico e gênero literário e suas características. Produção literária. A prática da leitura na escola e na sociedade. Cadernos discursivos, Catalão, v. 1, n. 1, p.66-84, 2016. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/595/o/Ricardo.pdf. Acesso em 14 out. 2019.

FERREIRA, Aline Holanda Valdevino. Contando histórias: uma ponte para o letramento. 108f. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras - PROFLETRAS) - Centro de Formação de Professores, Universidade Federal de Campina Grande, Cajazeiras, 2015.

FERREIRA, Simonica da Costa. Criação e contação de histórias: um jogo de dados como ação poética e sua contribuição na formação inicial docente. 2020. 142 f. Tese (Doutorado em Educação, Arte e História da Cultura) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2020.

GAMA, Ana Beatriz Bolivar da. A “contação de histórias” no currículo do curso de Pedagogia da Faculdade Metodista Granbery. 2017. 268 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Católica de Petrópolis, Petrópolis, 2017.

KLEIMAN, Ângela. Leitura: ensino e pesquisa. 2. ed. Campinas: Pontes, 2001.

MICARELLO, Hilda; BAPTISTA, Mônica Correia. Literatura na educação infantil: pesquisa e formação docente. Educar em Revista, Curitiba, v. 34, n. 72, p. 169-186, dez. 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.62731. Acesso em: 14 ago. 2019.

SILVA, Carla Elisabete Cassel. A contação de histórias na extensão universitária e sua contribuição para a formação acadêmica. 2016 .156 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

SILVA, Valquíria Duarte. Contar histórias com e no corpo: uma metodologia da pedagogia performativa na formação continuada docente. 2019. 100 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2019.

SIMÕES, Vera Lucia Blanc. Histórias infantis e aquisição de escrita. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 14, p. 22-28, mar. 2000. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-88392000000100004. Acesso em 15 set. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL. Resolução nº 567, de 30 de novembro de 2018. Aprova o item 7 Currículo, parte integrante do novo Projeto Pedagógico do Curso de Pedagogia – Licenciatura da Faculdade de Educação, nos termos do anexo desta Resolução. Campo Grande: UFMS, 2018. Disponível em: https://faed.ufms.br/files/2017/07/PPC-Estrutura-2019-567_Item_7_projeto_pedagogico.pdf; Acesso em: 26 ago. 2022.

Downloads

Publicado

2022-12-15

Como Citar

DORIA, N. da S.; SOUSA, S. N.; SILVA, M. B. A contação de histórias e suas implicações no processo de formação do pedagogo. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 32, n. 1, p. e-rte321202318, 2022. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2023v32n1.64182. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/view/64182. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático - Literatura Infantil