Avaliação de mestrado:

um estudo com egressos do programa de pós-graduação em Agronegócios da Universidade de Brasília

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2023v32n1.65301

Palavras-chave:

Educação Superior; Programas de Pós-Graduação; Acompanhamento de egresso; Avaliação de Egressos.

Resumo

O acompanhamento de egressos dos programas de pós-graduação é fonte de avaliação essencial para verificar se os objetivos da formação atendem às expectativas das instituições, do mercado de trabalho e da sociedade. Este estudo investigou as percepções dos ex-alunos do Programa de Mestrado em Agronegócios da Universidade de Brasília - Propaga/UnB em relação à formação e às contribuições do programa em suas trajetórias profissionais e pessoais. A pesquisa, de caráter descritivo e aplicado, combinou abordagens qualitativas e quantitativas. A amostra incluiu 103 ex-alunos com título de mestre até 2020, desde a criação do programa em 2006. Foi utilizado um questionário eletrônico com 21 indicadores, abordando três dimensões: vida pessoal, profissional e programa. Os resultados destacaram pontos positivos e aspectos que requerem atenção dos coordenadores e professores. Entre os pontos positivos, foram enfatizados a qualidade do corpo docente, a assistência aos estudantes e a carga horária. Quanto aos aspectos a serem aprimorados, foram mencionados a infraestrutura e a disponibilidade de equipamentos tecnológicos. Adicionalmente, ressaltou-se a importância de capacitar os pós-graduandos para atuarem como docentes e em organizações públicas. Essas informações contribuem para o aprimoramento do programa, buscando oferecer uma formação de qualidade e atender às demandas dos ex-alunos e da sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheyla Vanzella, Universidade de Brasília

Possui graduação em Administração pela Universidade Potiguar (2011). Pós-Graduada em Administração Financeira pela UNI-RN. Mestre em Gestão Pública pela Universidade de Brasília. Atua como administradora da Universidade de Brasília na área de Planejamento. Tem experiência na área de Administração. (Texto informado pelo autor) - http://lattes.cnpq.br/8057645370120176

Maria Júlia Pantoja, Universidade de Brasília

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de Brasília (1988), mestrado em Psicologia pela Universidade de Brasília (1998) e doutorado em Psicologia Organizacional e do Trabalho pela Universidade de Brasília (2004). Professora do Programa de Pós-Graduação em Gestão Pública da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Políticas Públicas na área de Treinamento, Desenvolvimento e Educação - TD&E, com publicações e pesquisas em avaliação da efetividade de programas de Treinamento e Desenvolvimento. Atua em projetos de pesquisa focalizando os seguintes temas: educação corporativa, qualidade de vida no teletrabalho (e-QVT), liderança pública e competências emergentes no contexto da transformação digital, redes sociais nos novos arranjos produtivos do agronegócio.

Referências

BEGNIS, H. S.M.; ESTIVALETE, V. de F. B.; DA SILVA, T. N. Formação e qualificação de capital humano para o desenvolvimento do agronegócio no Brasil. Informe Gepec, v. 11, n. 1, 2007.

BLECICH, A.; ZANINOVIC, A. Insight into students’ perception of teaching: case of economic higher education institution. Management: journal of contemporary, v. 24, n. 1, p. 137–152, 2019.

BOLLELA, V. R.; CASTRO, Margaret. Avaliação de programas educacionais nas profissões da saúde: conceitos básicos. Medicina (Ribeirão Preto. Online), v. 47, n. 3, p. 333-342, 2014.

BORRÁS, M. A. A.; CORRÊA, M. B. P.; BATALHA, M. O. Recursos humanos para o agribusiness brasileiro. Associação Brasileira de Engenharia de Produção, 1998.

CÂMARA, A. M. C. S.; SANTOS, L. L. DE C. P. Um estudo com egressos do curso de fisioterapia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG): 1982-2005. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 36, n. 1 suppl 1, p. 5–17, 2012.

CAPES. Coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior. Avaliação do sistema nacional de Pós-graduação. Abril de 2014. Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/avaliacao/sistema-nacional-de-pos-graduacao-snpg/permanencia/avaliacoes-anteriores-1/avaliacao-trienal-2004-1/caracterizacao-do-sistema-de-avaliacao-da-pos-graduacao. Acesso em: 03 jan. 2020.

______. Coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior. Proposta de revisão da Ficha utilizada para a Avaliação dos Programas de Pós-Graduação. https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/10062019-fichaavaliacao-pdf. Acesso em: 03 jan. 2020

HORTALE, V. A. et al. Professional paths of alumni from doctorate programs in health and biological sciences. Revista de Saude Publica, v. 48, n. 1, p. 1–9, 2014.

LAMFRI, N. Z.; ARAUJO, S. M. Post-graduate education in the evaluation context. Comparative perspective among Argentina, Brazil and Paraguay. Revista Lusofona de Educacao, v. 41, n. 41, p. 219–231, 2018.

MACCARI, E. A. et al. Proposta de um modelo de gestão de programas de pós-graduação na área de Administração a partir dos sistemas de avaliação do Brasil (CAPES) e dos Estados Unidos (AACSB). Revista de Administração, v. 49, n. 2, p. 369–383, 2014.

MENDES, R. F.; VENSCESLAU, ÉRIKA O. DE O.; AIRES, A. S.; JÚNIOR, R. R. P. Percepção sobre o curso e perfil dos egressos do Programa de Mestrado em Ciências e Saúde da UFPI. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 7, n. 12, 11.

NEPOMUCENO, L. D. O.; COSTA, H. G. Mapeamento de percepções na avaliação dos impactos do mestrado profissional no perfil do seu egresso. Revista Production, v. 22, n. 4, p. 865–873, 21 ago. 2012.

NEPOMUCENO, L. D. O.; COSTA, H. G.; SHIMODA, E. Impacto do mestrado profissional no desempenho dos seus egressos: intercomparação entre as percepções de discentes, docentes, coordenadores e empresa. Gestão & Produção, v. 17, n. 4, p. 817-828, 2010.

NOBRE, L. N. Avaliação de programas de pós-graduação: proposta de instrumento de pesquisa para análise do perfil do egresso e avaliação institucional. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Espírito Santo. Espírito Santo, 2018.

QUELHAS, O. L. G.; FILHO, J. R. F.; FRANÇA, S. L. B. O mestrado profissional no contexto do sistema de pós-graduação brasileiro. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 2, n. 4, p. 97-104, jul., 2005.

RAMOS, R. S. et al. Formação de mestres em enfermagem na Universidade Federal de Santa Catarina: contribuições sob a ótica de egressos. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 63, n. 3, p. 359–365, 2010.

SATOLO, V. P. X. A interdisciplinaridade em dois programas de pós-graduação em agronegócio. Dissertação (Dissertação em Agronegócio e Desenvolvimento) – Faculdade de Ciências e Engenharia. Tupã. 2016.

SOUZA, D. B. L.; ABBAD, G.; GONDIM, S. M. G. Modelos lógicos na avaliação de um mestrado profissional: um exemplo de aplicação. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 14, 2017.

SOUZA, L. K. C. S. et al. "Eu queria aprender a ser docente": sobre a formação de mestres nos programas de pós-graduação do campo da Alimentação e Nutrição no Brasil. Revista Nutrição, Campinas, v. 27, n. 6, p. 725-734, Dec. 2014.

SOUZA, N. V. D. et al. Formação em enfermagem e mundo do trabalho: Percepções de egressos de enfermagem. Aquichan, v. 17, n. 2, p. 204–216, 2017.

TOLOI, R. C.; REINERT, J. N. Contribuição do programa de pós-graduação em agronegócio da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul no desenvolvimento do agronegócio do Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil> - doi: 10.4025/actascihumansoc. v33i1.7647. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, v. 33, n. 1, p. 55-65, 24 fev. 2011.

UnB. Universidade de Brasília. Plano Estratégico do Programa de Pós-graduação em Agronegócios –PROPAGA 2017. Disponível em: http://www.propaga.unb.br/images/PLANEJAMENTO-ESTRATGICO-DO-PROPAGA-2017.pdf. Acesso em: 05 de fev. 2020.

Downloads

Publicado

2023-07-17

Como Citar

VANZELLA, S.; PANTOJA, M. J. Avaliação de mestrado:: um estudo com egressos do programa de pós-graduação em Agronegócios da Universidade de Brasília. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 32, n. 1, p. e-rte321202341, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2023v32n1.65301. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/view/65301. Acesso em: 29 maio. 2024.