Disciplina, heroísmo e bravura:

os textos de leitura no Livro do Aprendiz Marinheiro Volume I (1889)

Autores

  • Azemar dos Santos Soares Júnior Universidade Federal da Paraíba
  • Shairany Arias Palombo Sonntag Universidade Federal do Rio Grande do Norte https://orcid.org/0000-0003-3817-2740

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2023v32n1.66471

Palavras-chave:

Livro do Aprendiz Marinheiro, Escola de Aprendizes Marinheiros, Material escolar

Resumo

Esse artigo tem por objetivo analisar os textos contidos na matéria de “Leitura” do primeiro volume do referido material didático. Trata-se de um capítulo dedicado à alfabetização e às práticas da leitura a partir de termos capazes de adestrar corpos e mentes, adotando assim uma lógica disciplinadora. A matéria de “Leitura” fazia parte do Programa de Ensino das Escolas de Aprendizes Marinheiros, portanto, era conteúdo disponível material didático da instituição o Livro do Aprendiz Marinheiro Volume I, publicado no ano de 1889. Apoiamo-nos sob os domínios da História Cultural para pensar a disciplina como tecnologia de controle empregada sobre os corpos dos aprendizes marinheiros. Para tanto, discutimos o conceito de disciplina proposto por Michel Foucault (2020) que permite a compreensão das formas de adestrar. Por tratar-se de uma escola voltada ao público masculino, discutimos a categoria gênero a partir dos escritos de Guacira Lopes Louro (2017). Conclui-se que a matéria de “Leitura” tinha como objetivo incutir nos menores aspirantes a marinheiros a regulação de seu corpo desde os ensinamentos de primeiras letras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Azemar dos Santos Soares Júnior, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Educação (UFPB). Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Shairany Arias Palombo Sonntag , Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Graduada em História (UFRN). Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Membro do Grupo de Pesquisa Observatório das Heterotopias.

Referências

BRASIL. Coleção das leis do Império do Brasil de 1885. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1886.

CASTRO, Rozenilda. A Escola de Aprendizes Marinheiros de Parnaíba. Teresina: Editora Universitária da UFPI, 2013.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. Escolarização e cultura escolar no Brasil: reflexões em torno de alguns pressupostos e desafios. In: BENCOSTTA, Marcus Levy Albino (Org.). Culturas escolares, saberes e práticas educativas: itinerários históricos. São Paulo: Cortez, 2007, p. 193-211.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 1996. Tradução de: Laura Fraga de Almeida Sampaio.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: história da violência nas prisões. Rio de Janeiro: Vozes, 2020.

FRANCISCO, Laelson Vicente. “Um viveiro de competências e abnegações”: a formação do marinheiro na Escola de Aprendizes Norte-Rio-Grandense (1933-1941). 2022. 152f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Centro de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2022.

GALVÃO, Ana Maria de Oliveira, BATISTA, Antônio Augusto Gomes. Manuais escolares e pesquisa em História. In: VEIGA, Cynthia Greive, FONSECA, Thaís Nívea (Org.). História e historiografia da educação no Brasil. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2008, p. 161-188.

Gontijo, C. M. M.; Schwartz, C. M. Considerações sobre o ensino da leitura e a aprendizagem da escrita. Revista Brasileira de Alfabetização, v. 1, n. 1, 29 jun. 2015.

LAMARE, José Victor de; PALHA, José Egydio Garcez. Livro do aprendiz marinheiro. v. 1. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1889a.

LOPES, Antônio de Padua Carvalho; SILVA, Rozenilda Maria de Castro. Não basta ser oficial: o professor normalista nas escolasde aprendizes marinheiros do brasil e a cultura escolar institucional. Revista Latino-Americana de História, v. 7, n. 19, p. 267-283, jan./jul 2018. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/rla/index.php/rla/article/view/rlah.v7i19.733. Acesso em: 18 jun. 2022.

MARINHA, Relatório Ministerial de 1892.

MUNAKATA, Kazumi. Livro didático como indício da cultura escolar. História da Educação, v. 20, n. 50, 2016, p. 119-138.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História e história cultural. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

SOUZA, Rosa Fátima de. Inovação educacional no século XIX: a construção do currículo da escola primária no Brasil. Cadernos-Cedes, Campinas, v. 20, n.51, nov. 2000.

Downloads

Publicado

2023-06-06 — Atualizado em 2023-06-06

Versões

Como Citar

SOARES JÚNIOR, A. S.; PALOMBO SONNTAG, S. A. Disciplina, heroísmo e bravura: : os textos de leitura no Livro do Aprendiz Marinheiro Volume I (1889) . Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 32, n. 1, p. e-rte321202332, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2023v32n1.66471. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/view/66471. Acesso em: 29 maio. 2024.