EM CAMPO CONTRA O INIMIGO VERMELHO: A IGREJA CATÓLICA NA DISPUTA PELA SINDICALIZAÇÃO DOS TRABALHADORES RURAIS NO CEARÁ

Autores

  • Jovelina Santos

Resumo

O presente artigo aborda os projetos de intervenção da Igreja Católica no mundo do trabalho, de modo particular, àqueles direcionados à arregimentação, direção e organização dos trabalhadores rurais no Ceará. Trata ainda da disputa desta instituição com os grupos e partidos de esquerda no controle e direção do processo de sindicalização dos trabalhadores durante os anos 1950 e início da década de 1960, quando a agitação social em torno da questão agrária assumiu proporções assustadoras para os setores mais conservadores da sociedade brasileira. Para pôr em marcha uma ação eficaz que pudesse promover melhoria das condições de vida para os trabalhadores rurais e ao mesmo tempo garantir a harmonia social, a Igreja Católica acenou para as organizações católicas, entre elas os círculos operários que serão a presença segura e determinada da Igreja Católica no seio dos trabalhadores rurais cearenses e de outros estados da região Nordeste. O confronto entre os membros do clero católico conservador que orientava a ação circulista no meio rural e os “inimigos vermelhos” como eram adjetivados os comunistas ocorreu durante todo o processo. Temendo a expansão das Ligas Camponesas, o circulismo cearense alçou alto a bandeira do anti-comunismo tencionando impor um dique à infiltração do PCB e às idéias revolucionárias, contrárias a ordem social e a harmonia entre os homens, conforme orientação das encíclicas sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-06-30

Como Citar

SANTOS, J. EM CAMPO CONTRA O INIMIGO VERMELHO: A IGREJA CATÓLICA NA DISPUTA PELA SINDICALIZAÇÃO DOS TRABALHADORES RURAIS NO CEARÁ. Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 26, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/15042. Acesso em: 1 out. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: História e Questão Agrária