“A LOUÇA DO MEU USO, TANTO DA ÍNDIA COMO DE ESTANHO”: RUSTICIDADE COTIDIANA E REQUINTE OCASIONAL NAS MESAS DAS MINAS GERAIS SETECENTISTAS

Autores

  • José Newton Coelho Meneses

Resumo

A partir da leitura crítica de alguns Inventários post mortem, o texto apresenta as coisa cotidianas da cozinha e da mesa dos habitantes das Minas Gerais setecentistas como fatos sociais. Os elementos materiais da cultura alimentar dos habitantes desse espaço histórico nos permitem inferir sobre a história colonial desse sertão português na América, para além de suas cozinhas, mesas e quintais. Na perspectiva da materialidade, essa história da alimentação que aqui se propõe é uma interpretação sobre a linguagem do ato social do comer; sobre o sistema de comunicação que a alimentação torna-se ao ser lida como um complexo e dinâmico corpus de objetos, de imagens, de protocolos de usos, de ritos, de situações e de formas de conduta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-31

Como Citar

MENESES, J. N. C. “A LOUÇA DO MEU USO, TANTO DA ÍNDIA COMO DE ESTANHO”: RUSTICIDADE COTIDIANA E REQUINTE OCASIONAL NAS MESAS DAS MINAS GERAIS SETECENTISTAS. Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 27, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/16424. Acesso em: 28 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: História e Práticas Cotidianas