CAZUMBA & CAZUMBÁ: HISTÓRIA, NARRATIVA E AS ‘FRONTEIRAS IDENTITÁRIAS’ NO RECÔNCAVO BAIANO (SÉCULOS XIX-XXI)

  • José Bento Rosa da Silva Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Identidade, narrativas, História.

Resumo

O artigo investiga, a partir de documentação cartorial e da metodologia da História oral, uma família de descendentes de africanos que, diferentemente da grande maioria, conseguiu manter o sobrenome africano desde fins do século XIX, constituindo-se uma “peculiaridade”. Identidade esta, que também trouxe ao grupo, uma ambiguidade. Para além desta característica ímpar, a documentação investigada bem como as narrativas aponta para um passado onde foram proprietários de terras e de escravo. A escrita deste artigo segue a perspectiva das trajetórias de vida, ou da micro-história, com o objetivo de dar visibilidade a peculiaridade da família de descendentes de africanos, que desde o século XIX, em condições adversas, mantiveram o sobrenome de origem bantu na diáspora.

Biografia do Autor

José Bento Rosa da Silva, Universidade Federal de Pernambuco
José Bento Rosa da Silva.Departamento de História. Universidade Federal de Pernambuco. Membro do Instituto de Estudos Sobre A África- UFPE. Vice Coord. do NEAB-UFPE
Publicado
2017-12-20
Como Citar
SILVA, J. B. R. DA. CAZUMBA & CAZUMBÁ: HISTÓRIA, NARRATIVA E AS ‘FRONTEIRAS IDENTITÁRIAS’ NO RECÔNCAVO BAIANO (SÉCULOS XIX-XXI). Sæculum – Revista de História, v. 37, n. 37, p. 59-78, 20 dez. 2017.