A Revista Brazileira (1895-1899) e o espaço letrado finissecular: experiência do tempo e os desafios da ciência evolucionista no Brasil

Autores

  • Mauro Franco Neto Universidade Federal de Ouro Preto

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2019v0n40.43643

Palavras-chave:

História intelectual, Experiência do tempo, Ciência evolucionista, Revista Brazileira, José Veríssimo.

Resumo

Neste texto passaremos pelas diversas facetas que a Revista Brazileira (1895-1899) assumiu através da pena de seus escritores: da reconfiguração do universo letrado frente ao novo contexto político republicano, passando pela preocupação desse letrado com a emergência da “questão social” e chegando à ciência evolucionista como desafio de época para o Brasil. Isso tudo compondo ainda dois objetivos principais: apresentar ao público este periódico ainda pouco estudado entre os historiadores e acompanhar aquelas trajetórias intelectuais, repensando o fenômeno da experiência do tempo naquele fim de século como um fenômeno fundamentalmente plural e pouco ou nada uníssono.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauro Franco Neto, Universidade Federal de Ouro Preto

Graduado em História pela UFOP (2012), Mestre em História Social da Cultura pela PUC-Rio (2015), Doutorando em História pela UFOP (2016)

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2019-07-06

Como Citar

FRANCO NETO, M. A Revista Brazileira (1895-1899) e o espaço letrado finissecular: experiência do tempo e os desafios da ciência evolucionista no Brasil. Saeculum, [S. l.], n. 40, p. 43–62, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2019v0n40.43643. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/43643. Acesso em: 18 jun. 2024.