Problema de saúde pública ou fé? Os caminhos do Espiritismo após o artigo 157 no Rio de Janeiro

Autores

  • Adriana Gomes Universidade Salgado de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n45.58980

Palavras-chave:

Código Penal de 1890, Federação Espírita Brasileira, Processos Criminais, Reformador

Resumo

O artigo propõe discutir algumas ações da Federação Espírita Brasileira (FEB) sob a chancela de seu porta-voz, o periódico Reformador, ante as demandas provenientes da criminalização do Espiritismo nas leis penais de 1890. A FEB se debruçou a revelar processos criminais que espíritas passaram a responder, sobretudo no Rio de Janeiro, por suas práticas terem sido consideradas charlatanismo e curandeirismo. O Código Penal de 1890 criminalizou a prática do Espiritismo em seu artigo 157. Como era recorrente os espíritas atuarem na arte de curar sem terem habilitação acadêmica, eles também poderiam ser inseridos nos artigos 156 e 158 que legislavam sobre a proteção ao exercício da medicina. Em imbróglios que envolviam fé, cura, saúde pública e crime, os juízes que tiveram a função social, mediante suas sentenças, interpretar se os réus enquadrados no artigo 157 cometiam crimes ou estariam professando a sua fé religiosa em meio a uma complexa disputa simbólica do Espiritismo entre os campos religiosos, da medicina e da legalidade.  

   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Gomes, Universidade Salgado de Oliveira

Realizou Pós-Doutorado em História Social (UFRJ); Doutorado em História Política (UERJ); Docente do PPGH (UNIVERSO).

Referências

ARAÚJO, João Vieira de. O Código Penal Interpretado I. Brasília: Senado Federal – STJ, Ed. fac-similar, 2004.

BOURDIEU. Pierre. Coisas Ditas. São Paulo: Editora Brasiliense, 2004.

BOURDIEU. Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1987.

GIL, Marcelo Freitas. A inserção do espiritismo no universo cultural europeu: uma análise panorâmica. Revista Brasileira das Religiões: ANPUH, 2010.

GIUMBELLI, Emerson. O cuidado dos mortos: uma história da condenação e legitimação do espiritismo. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1997.

GIUMBELLI, Emerson. Espiritismo e medicina: introjeção, subversão, complementaridade. In: ISAIA, Artur César. Orixás e Espíritos: o debate interdisciplinar na pesquisa contemporânea. Uberlândia: EDUFU, 2006, p. 283-304.

GOMES, Adriana; SERAFIM, Vanda. O artigo penal 157 sob o olhar da Antropologia Criminal: as aproximações entre o juiz Francisco José Viveiros de Castro e o médico Raimundo Nina Rodrigues In: GOMES, Adriana; GULÃO, Marcelo; CUNHA, André (orgs). Espiritismo em perspectivas. Salvador: Sagga, 2019.

GOMES, Adriana. A judicialização do Espiritismo: o ‘crime indígena’ de João Baptista Pereira e a jurisprudência de Francisco José Viveiros de Castro (1880-1900). Rio de Janeiro: Multifoco, 2020.

GOMES, Adriana. O enfrentamento pelas penas dos tinteiros: a dissensão nos impressos cariocas sobre a liberdade religiosa dos espíritas. Revista do Arquivo Geral da cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: n. 4, 2018, p. 262-296.

MACHADO, Ubiratan. Os intelectuais e o espiritismo: de Castro Alves a Machado de Assis. Rio de Janeiro: Publicações Lachâtre, 1996.

MONTERO, Paula. Religião, pluralismo e esfera pública no Brasil. Revista Novos Estudos. São Paulo: CEBRAP, 2006.

MAGGIE, Yvonne. O medo do feitiço: relações entre a magia e o poder no Brasil. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1992.

MONTERO, Paula. Religião, pluralismo e esfera pública no Brasil. Revista Novos Estudos. São Paulo: CEBRAP, 2006.

PEREIRA NETO, André de Faria. Ser médico no Brasil: o presente no passado. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2001.

RIO, João do. As Religiões do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: José Olympio, 2008.

RODRIGUES, Antônio Edmilson Martins. História da Urbanização no Rio de Janeiro: a cidade capital do século XX no Brasil. In: CARNEIRO, Sandra de Sá; SANT’ANNA, Maria Josefina Gabriel (orgs.). Cidade: olhares e trajetórias. Rio de Janeiro: Garamond, 2009, p. 85-119.

SCHRITZMEYER, Ana Lúcia Pastore. Os sortilégios de Saberes: curandeiros e juízes nos tribunais brasileiros (1900-1990). São Paulo: IBCCRIM, 2004.

WEBER, Beatriz Teixeira. As Artes de Curar: medicina, religião, magia e positivismo na república Rio Grandense – 1889-1928. Bauru: Editora da Universidade do Sagrado Coração, 1999.

Fontes históricas

Processos Criminais

Processo s/nº, Caixa 1827. Processo criminal contra a Federação Espírita Brasileira a partir da denúncia ao presidente da instituição Leopoldo Cirne, 1904.

Processo s/nº, Caixa 1764. Processo criminal envolvendo a Federação Espírita Brasileira em que Domingos Filgueiras, sob intervenção mediúnica, prescrevia receitas médicas na sede da instituição, 1905.

Periódicos

Jornal do Commercio.

O Apóstolo.

Reformador.

Coleção de Leis do Brasil

Código Penal de 1890. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-847-11-outubro-1890-503086-norma-pe.html. Acesso em 15/12/20.

Constituição de 1891. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao91.htm. Acesso em 14/12/20.

Decreto 5156. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1900-1909/decreto-5156-8-marco-1904-517631-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em 24/01/21.

Downloads

Publicado

2021-12-29

Como Citar

GOMES, A. Problema de saúde pública ou fé? Os caminhos do Espiritismo após o artigo 157 no Rio de Janeiro. Saeculum, [S. l.], v. 26, n. 45 (jul./dez.), p. 57–72, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n45.58980. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/58980. Acesso em: 18 jun. 2024.