O PRINCÍPIO DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ENSINO A DISTÂNCIA

Autores

  • Valdelaine Mendes Universidade Federal de Pelotas

Resumo

Este estudo tem como objetivo relacionar algumas características dos cursos de licenciatura a distância com a formação de professores para a gestão democrática, bem como problematizar as implicações para a atuação docente das precárias experiências democráticas durante o processo de graduação. Além da análise documental, a pesquisa contou com um levantamento realizado em uma Instituição Pública Federal de Ensino Superior (IPFES) sobre a participação dos estudantes e dos docentes em dois processos eleitorais distintos na universidade. O estudo indicou que, quanto mais os estudantes e os trabalhadores da área de educação forem privados dos processos ou dos espaços de decisão coletiva ou ficarem alheios a eles, mais serão as chances de conservar e perpetuar as estruturas hierarquizadas de poder, pois aqueles tenderão a aceitar “naturalmente” essa forma de organização da sociedade. A qualificação da convivência, na perspectiva da construção de relações sociais mais participativas, pressupõe uma compreensão de que é possível alcançar uma sociedade menos submissa e mais justa.

 

Palavras-chave: Gestão democrática; formação e ensino a distância.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valdelaine Mendes, Universidade Federal de Pelotas

Professora Associada do Departamento de Ensino da Universidade Federal de Pelotas.

Referências

ADUFPel. Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pelotas. Ata de apuração do segundo turno do processo de consulta à comunidade para a escolha do novo Reitor da UFPel. Disponível em: < http://adufpel.ufpel.edu.br/>. Acesso em: 30 ago. 2012a.

ADUFPel. Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pelotas. Normas para as eleições administrativas - 2013-2016. Disponível em: < http://adufpel.ufpel.edu.br/>. Acesso em: 30 ago. 2012b.

ADUFPel. Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pelotas. Normas para votação. Disponível em: < http://adufpel.ufpel.edu.br/>. Acesso em: 30 ago. 2012c.

ADUFPel. Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pelotas. Resultado final da eleição para Reitor. Disponível em: < http://adufpel.ufpel.edu.br/>. Acesso em: 30 ago. 2012d.

ARROYO, Miguel. Oficio de mestre: imagens e auto-imagens. Petrópolis: Vozes, 2002.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1998.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e as bases da educação nacional. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, 23 dez. 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância. Universidade Aberta do Brasil. Disponível em: <http://uab.capes.gov.br/index.php>. Acesso em fev-dez. 2011.

BRASIL. Resolução n. 8, de 30 de abril de 2010. Altera os incisos I a V do art. 9º, o § 1º do art. 10 e o item 2.4 do Anexo I da Resolução CD/FNDE nº 26/2009, que estabelece orientações e diretrizes para o pagamento de bolsas de estudo e de pesquisa a participantes da preparação e execução dos cursos dos programas de formação superior, inicial e continuada no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB).

CHAVES FILHO, Hélio. A educação a distância tem forte potencial de inclusão. In: SINPRO-SP. Avaliação crítica da educação a distância: reflexões do seminário realizado pelo Sinpro-SP/abril 2006. Disponível em: Acesso em: 10 jul. 2012.

FÉTIZON, Beatriz Alexandrina de Moura; MINTO, César Augusto. Ensino a distância: equívocos, legislação e defesa da formação presencial, Universidade e Sociedade, Brasília, n. 39, fev. 2007. p. 93-105.

FREITAS, Helena Costa Lopes de. A (nova) política de formação de professores: a prioridade postergada. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100 (Especial), p. 1203-1230, out. 2007. <http://www.cedes.unicamp.br >. Acesso em 27 dez. 2011.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior 2002-2010. Brasília, 2010. Disponível em: <http://www.inep.gov.br/superior/censosuperior/>. Acesso em 10 fev. 2012.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Resumo Técnico do Censo da Educação Superior 2009. Brasília, 2010. Disponível em: <http://www.inep.gov.br/superior/censosuperior/>. Acesso em 13 dez. 2012.

MENDES, Valdelaine. O trabalho do tutor em uma instituição pública de ensino superior. Belo Horizonte. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 28, n. 2, p. 103-132, jun. 2012. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-46982012000200006&script=sci_arttext>. Acesso em: 30 out. 2012.

PARO, Vítor Henrique. Educação como exercício do poder: crítica ao senso comum em educação. São Paulo: Cortez, 2010.

PARO, Vítor Henrique. Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã, 2001a.

PARO, Vítor Henrique. Reprovação escolar: renúncia à educação. São Paulo: Xamã, 2001b.

SILVA JR, João dos Reis. Reformas do Estado e da educação e as políticas públicas para a formação de professores a distância: implicações políticas e teóricas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 78-94, set./dez. 2003. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n24/n24a07.pdf>. Acesso em: 10 out. 2011.

SINGER, Paul. Uma utopia militante. Petrópolis: Vozes, 1998.

UFPEL. Alunos da graduação da UFPel se aproximam de 22 mil. Disponível em: < http://ccs.ufpel.edu.br/wp/2011/07/18/alunos-de-graduação-da-ufpel-se-aproxima-dos-22-mil> Acesso em: 5 jan. 2012.

ZANETIC, João. Florestan Fernandes e a defesa da escola pública. Revista Adusp. p. 6-14, jan. 2006.

Downloads

Publicado

2015-05-05

Como Citar

MENDES, V. O PRINCÍPIO DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ENSINO A DISTÂNCIA. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 24, n. 1, p. 125–137, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/20141. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

RELATOS DE EXPERIÊNCIA