OS CONTEXTOS FORMATIVOS E A TESSITURA DE SABERES NO COTIDIANO DE PROFESSORAS INICIANTES

Autores

  • Joelson de Sousa Morais Universidade Estadual do Maranhão-UEMA

Resumo

O presente estudo, fruto da dissertação de Mestrado em Educação do autor, foi realizado com três professoras iniciantes que atuam nas séries iniciais do Ensino Fundamental numa escola da rede pública municipal de Caxias - MA. O método de investigação utilizado foram as conversas, que foram gravadas em um aparelho de áudio, entrelaçando-se com observações registradas num diário de pesquisa. Apresenta como objetivo compreender como as professoras iniciantes aprendem os saberes da prática pedagógica e quais as suas implicações na atuação profissional. Como perspectiva teórico-epistemológica, foi adotada a técnica dos Estudos do Cotidiano, que busca desinvisibilizar as práticas e os saberes como são realizados, sem a presença de determinismos apriorísticos e estanques. As narrativas das professoras pesquisadas, compreendidas à luz da Epistemologia da Complexidade não cartesiana, revelaram que os saberes que elas assimilam se dão em múltiplos contextos e se materializam em suas práticas pedagógicas cotidianas, viabilizando o processo de ensino e aprendizagem.

Palavras-chave: Professoras iniciantes. Saberes docentes. Cotidiano escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joelson de Sousa Morais, Universidade Estadual do Maranhão-UEMA

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte(PPGEd/UFRN-2015). Possui graduação em Pedagogia pela Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão-FACEMA (2012). Professor do Departamento de Educação do Centro de Estudos Superiores de Caxias-CESC da Universidade Estadual do Maranhão-UEMA. Pesquisa acerca da Formação de Professores e Práticas Pedagógicas, com ênfase nos seguintes temas: Formação Continuada de Professores; Metodologia da Pesquisa; Cotidiano Escolar; Saberes, Identidade e Profissionalização Docente; Currículo e Pesquisa Narrativa.

Referências

ALBUQUERQUE, Andréa Serpa. Quem são os outros na/da avaliação? caminhos possíveis para uma prática dialógica. 2010. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2010.

ALVES, Nilda. Cultura e cotidiano escolar. Revista Brasileira de Educação, n. 23, mai./jun./jul./ago. 2003.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 19. ed. Tradução Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

FERRAÇO, Carlos Eduardo. Os sujeitos das escolas e a complexidade de seus fazeres/saberes: fragmentos das redes tecidas em pesquisas com o cotidiano. In.: GARCIA, R. L.; ZACCUR, E. (Orgs.). Cotidiano e diferentes saberes. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

_____. Currículo, formação continuada de professores e cotidiano escolar: fragmentos de complexidade das redes vividas. In.: FERRAÇO, C. E. (Org.). Cotidiano escolar, formação de professores (as) e currículo. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

GARCIA, Regina Leite; ALVES, Nilda. Sobre a formação de professores e professoras: questões curriculares. In: LIBÂNEO, José Carlos; ALVES, Nilda. (Orgs.). Temas de Pedagogia: diálogos entre didática e currículo. São Paulo: Cortez, 2012.

GIMENO SACRISTÁN, José. Tendências investigativas na formação de professores. In.: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

GIRARDI, Fabiola Fontenele. A escola sob o olhar da família: relações que se compreendem e se praticam no cotidiano. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. Tradução Marcel Aristides Ferrada Silva. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

HUBERMAN, Michäel. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, António. (Org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto, 2000.

MARCELO GARCIA, Carlos. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto, 1999.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Tradução Maria D. Alexandre e Maria Alice Sampaio Dória. 14. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

NASCIMENTO, Maria Anezilany Gomes; SILVA, Cícero Nilton Moreira da. Rodas de conversa e oficinas temáticas: experiências metodológicas de ensino-aprendizagem em Geografia. In: 10º ENCONTRO NACIONAL DE PRÁTICA DE ENSINO DE GEOGRAFIA, Anais... Porto Alegre, 2009. Disponível em: <http://www.agb.org.br/XENPEG/artigos/Poster/P%20%2836%29.pdf>. Acesso: 11. mar. 2015.

NÓVOA, António. Os professores e as histórias da sua vida. In: _____. (Org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto, 2000.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de. O currículo como criação cotidiana. Rio de Janeiro: FAPERJ, 2012a.

_____. Aprendizagem e ensino de qualidade nas escolas: a produção de conhecimento em didática e em currículos pelos praticantes/pensantes nos/dos cotidianos. In: ALMEIDA, M. I. de et al. Políticas educacionais e impactos na escola e na sala de aula. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2012b.

_____; SGARBI, Paulo. Estudos do cotidiano e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. (Coleção Temas & Educação).

SANTOS, Boaventura Sousa. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. In: _____. (Org.) Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciências revisitado. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 13. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

Downloads

Publicado

2015-05-05

Como Citar

MORAIS, J. de S. OS CONTEXTOS FORMATIVOS E A TESSITURA DE SABERES NO COTIDIANO DE PROFESSORAS INICIANTES. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 24, n. 1, p. 91–101, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/23578. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

RELATOS DE PESQUISA