O PIBID COMO POLÍTICA PÚBLICA EDUCACIONAL: UM ESTUDO SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES AO PREPARO PRÁTICO PARA A DOCÊNCIA

Autores

  • Nathália Cristina Amorim Tamaio de Souza Universidade Estadual Paulista

Resumo

Esse artigo apresenta discussões e resultados oriundos de uma pesquisa de Mestrado concluída. Focaliza o PIBID como política pública educacional e suas contribuições para o preparo prático de futuros professores. Seu objetivo reside em averiguar quais são as principais ações que ele empreende que podem configurar avanços na qualificação de licenciandos para a docência. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, de base empírica, cujo instrumento de coleta de dados foi a entrevista semiestruturada com bolsistas e professoras supervisoras de subprojetos vinculados a um Curso de Pedagogia de uma universidade pública paulista. Dentre seus principais resultados, destaca-se que as ações do PIBID direcionadas ao preparo prático são consideradas mais adequadas do que as realizadas nos estágios curriculares. Porém, tendo em vista a permanência de alguns desafios, ressalta-se a importância de se criarem políticas complementares que atendam à continuidade e à manutenção dos avanços obtidos, isto é, à esfera do trabalho docente.

Palavras-chave: PIBID. Preparo prático. Políticas docentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathália Cristina Amorim Tamaio de Souza, Universidade Estadual Paulista

Mestre em Educação Escolar e graduada em Pedagogia pela Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista (UNESP). Atua como Formadora IES-UNESP no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa e é componente do Grupo de Estudos "Trabalho Docente, suas Relações com o Universo Escolar e a Sociedade". Araraquara (SP). E-mail: nathytamaio@fclar.unesp.br

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL, LDB. Lei 9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, 1996. Disponível em: . Acesso em: 24 fev. 2015.

CAPES. Conselho Técnico-científico da Educação Básica. Relatório de Gestão do PIBID 2009-2011. Brasília, DF, 2012. Disponível em: <http://www.capes.gov.br/images/stories/download/bolsas/DEB_Pibid_Relatorio-2009_2011.pdf>. Acesso em: 24 fev. 2015.

GATTI, Bernardete Angelina; BARRETO, Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011.

GIMENO, José. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: ArtMed, 2000.

GIMENO, José. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, António. Profissão professor. Porto: Porto Editora, 1995, p. 63-93.

LEITE, Yoshie Ussami Ferrari. O lugar das práticas pedagógicas na formação inicial de professores. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011.

LIBÂNEO, José Carlos. Licenciatura em Pedagogia: a ausência dos conteúdos específicos do ensino fundamental. In: GATTI, Bernadete Angelina. et al. Por uma política nacional de formação de professores. São Paulo: Editora Unesp, 2013, p. 73-94.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MARCELO, Carlos. Políticas de inserción en la docencia: de eslabón perdido a puente para el desarollo profesional docente. Santiago: Preal, 2011. (Documento do Preal, n. 52).

MARCELO, Carlos. Aprender a enseñar: un estúdio sobre el proceso de socialización de profesores principiantes. Madrid: CIDE, 1991.

OCDE. Teachers matter: attracting, developing and retaining effective teachers. Paris: OCDE, 2005.

PIMENTA, Selma Garrido. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? 4 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

Downloads

Publicado

2017-01-06

Como Citar

SOUZA, N. C. A. T. de. O PIBID COMO POLÍTICA PÚBLICA EDUCACIONAL: UM ESTUDO SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES AO PREPARO PRÁTICO PARA A DOCÊNCIA. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 134–148, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/24113. Acesso em: 19 jan. 2022.

Edição

Seção

COMUNICAÇÃO DE TRABALHOS/PESQUISAS EM ANDAMENTO