FAZER E PENSAR NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM: ESCOLA INTEGRAL E CRIANÇA INTEGRAL

Autores

  • Reiner Hildebrandt-Stramann
  • Vera Luza Uchôa Lins

Resumo

Fazer e pensar, duas atividades num processo de aprendizagem que mutuamente se pertencem. O fazer sem pensar é cego. O pensar sem fazer é vazio. Na primeira parte do artigo está escrito criticamente, que nas escolas e nas formações universitárias estes dois processos são separados. O corpo e o movimento são os inimigos da aprendizagem escolar. Na segunda parte está descrito um exemplo de um ensino móvel da matemática, no qual o movimento é o ponto de partida para formar imaginações sobre o tema da matemática. O exemplo mostra como o corpo e o movimento podem ser entendidos como aliados da aprendizagem. Na terceira parte são dicutidos argumentos da teoria de aprendizagem, da fenomenologia e da neurofisiologia, para favorecer uma compreensão da integração domovimento nos processos de aprendizagem cognitiva, ou seja, para uma ligação entre o pensar e fazer.

Palavras-chave: Movimento. Aprendizagem. Escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Reiner Hildebrandt-Stramann

Graduado em Ciência do Esporte. Mestre em Filosofia. Doutor em Filosofia. Atualmente Diretor do InstitutFürSportwissenchaft - (Instituto de Ciência do Esporte) Alemanha. Professor Visitante em Portugal na Faculdade Castelo Branco. Professor Visitante na Espanha. Professor Visitante no Brasil na UFBA (Universidade Federal da Bahia) e na UFRN, desde 2005. Prof. titular do Instituto da Ciência do Esporte e da Pedagogia de Movimento da Universidade Técnica de Braunschweig/ Alemanha. Email: R.Hildebrandt-Stramann@tu-bs.de

Vera Luza Uchôa Lins

Graduada em Educação Física e Esporte pela UFPE (Universidade Federal de Pernambuco); Especialista em Lazer pela Gama Filho/RJ; Especialização em Macroplanejamento Educacional, pela Universidade de Brasília.Doutora em Filosofia, sub área Epistemologia da Motricidade Humana, pela Faculdade de Motricidade Humana da Universidade Técnica de Lisboa/Portugal. Professora no Centro de Educação da UFRN; Atualmente coordenadora adjunta da Visita de Cooperação Acadêmica do Prof. Dr. Reiner Hildebrandt-Stramann à UFRN

Referências

BRUNER, J. Lernen, Motivationund Curriculum. Frankfurt: Fischer, 1974.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FRIEDRICH, G.; PREISS, G. Lehren mit Köpfchen. Gehirn & Geist, n. 2, p. 32 – 39, 2005

GADAMER, H.G. Der Mensch ohne Hand oder die Zerstörung der menschlichen Ganzheit. München: DTV Deutscher Taschenbuch, 1979.

HILDEBRANDT-STRAMANN, R. Educação Física aberta à experiência. Uma concepção didática em discussão. Rio de Janeiro: Imperial Novo Milênio, 2009.

______. LINS, Vera Luza U. Escola do Ensino Fundamental do Movimento – Movimento na Escola do Ensino Fundamental. Revista Educação em Questão, v. 30, n.16, p. 36-57, 2007.

_____.WashatLernenmitBewegungzutun? In: HILDEBRANDT-STRAMANN, Reiner; RIEGEL, K. (Hrsg.). Bewegung und Lernen. Tagung im Rahmen der Studie zur Entwicklung von Bewegung: Spiel und Sport in derGanztagsschule (StuBSS) (S. 19-37). Braunschweig: Eigenverlag, 2009a.

_____. Die Kraft von Luft und Wasser spüren – ein fächerübergreifendes Unterrichtsbeispiel für ein Lernen durch Bewegung. Lehrhilfen für den Sportunterricht v. 58, n. 1, p. 7-12, 2009b.

_____. A Formação de Professores de Educação Física Escolar e Aulas de Educação Física no Brasil - sob o ponto de vista alemão. Revista Kinesis, v. 30, n. 1, p. 134-157, 2012.

_____. Textos pedagógicos sobre o ensino da Educação Física. Ijui: UNIJUI, 2013, p. 169-194.

MERLEAU-PONTY, M. Phänomenologie der Wahrnehmung. Berlin: de Gruyter, 1966.

PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

TAMBOER, J. Sich-Bewegen: ein Dialog zwischen Mensch und Welt. Sportpädagogik, v.3, n.2, p. 14-19,1979.

Downloads

Publicado

2016-12-22

Como Citar

HILDEBRANDT-STRAMANN, R.; LINS, V. L. U. FAZER E PENSAR NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM: ESCOLA INTEGRAL E CRIANÇA INTEGRAL. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 25, p. 12–23, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/25342. Acesso em: 28 set. 2021.