O PONTO DE VISTA DE PROFESSORES DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO SOBRE A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Autores

  • Sofia Urt Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Branca Maria Meneses Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Fernanda Rita Levandoski Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Resumo

A Educação Profissional no Brasil, ao longo do processo histórico, teve como destinatários as classes menos favorecidas e, por conseguinte, é desprestigiada pela população. Sabemos que, ainda que esse tipo de educação tenha sofrido modificações, e que, atualmente, preconiza a necessidade de se formar cidadãos críticos e emancipados para o mundo do trabalho, suas propostas educacionais ainda são destinadas à reprodução do capital. Nesta comunicação de pesquisa, descrevemos, principalmente, o caminho percorrido pelo nosso trabalho de mestrado, no qual tivemos por objetivo analisar como os professores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul - IFMS concebem a proposta da Educação Profissional. E, especificamente, verificar os aspectos ideológicos e a presença e/ou ausência de reflexões críticas em suas concepções, no que se refere à educação profissional e as relações de trabalho estabelecidas em nossa sociedade. Para coleta de dados foi utilizado um questionário eletrônico estruturado com respostas fechadas, baseado na Escala Formação e Trabalho de Meneses (2007). A análise das respostas foi realizada pelo método quantitativo, pelo procedimento estatístico de somatória simples e pelo método qualitativo, à luz do nosso referencial teórico, fundamentado na Teoria Crítica da Sociedade. Considerando o papel da ideologia no sistema atual, na formação do indivíduo e na constituição de sua subjetividade, as análises dos resultados mostram a existência de reflexões críticas dos professores, no que se refere ao trabalho e à educação profissional oferecida pelos Institutos Federais, porém são, ao mesmo tempo, referenciadas pela ideologia dominante e conformadas à lógica capitalista.

Palavras-chave: Educação Profissional. Teoria Crítica. Professores. Instituto Federal. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sofia Urt, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Possui graduação em Psicologia - Formação de Psicólogo pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2010). Atualmente é psicóloga do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul e acadêmica do Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Branca Maria Meneses, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Católica Dom Bosco (1979), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1995) e doutorado em Psicologia (Psicologia Social) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2007). Atualmente é professor, com dedicação exclusiva, na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Especial, Psicologia, com ênfase em Psicologia Social, atuando principalmente nos seguintes temas: aspectos psicossociais do trabalho e psicologia do trabalho.

Fernanda Rita Levandoski, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Possui graduação em Pedagogia - Licenciatura Plena - Faculdades Integradas de Paranaíba (2001- 2003) e graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2007-2012). Cursando mestrado em psicologia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2013-2015). Atualmente professora da Educação a Distância da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Referências

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 30 dez. 2008, Seção 1, p. 1.

BRASIL. Lei nº 12.772, de 28 de dezembro de 2012. Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal; sobre a Carreira do Magistério Superior. Diário Oficial da União, Brasília, 31 dez. 2012, Seção 1, p. 1.

CROCHÍK J. L. Teoria crítica da sociedade e psicologia: alguns ensaios. Brasília: Junqueira & Marin, 2011.

IBÁÑEZ, Tomás. La ‘tensión esencial´ de la Psicología Social. In: D. Páez, J. Valencia, J. Morales, B. Sarabia y N. Ursua. Teoría y método en Psicología Social. Barcelona: Anthropos, 1992. p. 13-29.

MENESES, Branca Maria. Juventude, Formação e Trabalho: um estudo com jovens das camadas populares. São Paulo: PUC, 2007 (Tese de Doutorado em Psicologia Social).

_________. Relações afetivas no trabalho. Projeto registrado na Pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, não publicado, 2011.

PATTO, Maria Helena Souza. Psicologia e ideologia: uma introdução crítica à psicologia escolar. São Paulo: T. A. Queiroz, 1984.

TORRES, Cláudio Vaz; NEIVA (Cols.). Psicologia social: principais temas e vertentes. Porto Alegre: Artmed, 2011.

SILVA, Caetana Juracy Resende (Org.). Institutos Federais. Lei 11.892, de 29/12/2008; Comentários e Reflexões. Brasília, DF, Editora do IFRN, 2009.

Downloads

Publicado

2017-06-30

Como Citar

URT, S.; MENESES, B. M.; LEVANDOSKI, F. R. O PONTO DE VISTA DE PROFESSORES DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO SOBRE A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 56–68, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/25694. Acesso em: 28 jan. 2022.

Edição

Seção

RELATOS DE PESQUISA