AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE DIRETORES ESCOLARES DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Autores

  • Luiz Carlos Carvalho de Oliveira Professor Efetivo 40h do CCECA da Universidade Estadual do Piaui (UESPI), Doutorando em Educação pela Universidade Federal do Piaui (Em fase de Defesa) http://orcid.org/0000-0003-1809-9558

Resumo

A temática deste artigo trata da formação de professores. Seu objetivo é analisar as representações sociais de diretores escolares dos anos iniciais do Ensino Fundamental sobre formação de professores. Em específico, investigar as características que os diretores mais valorizam nos professores e identificar as políticas de formação de professores existentes nas escolas da rede pública municipal de Teresina. A Teoria das Representações Sociais busca apreender o senso comum partilhado por um grupo sobre um determinado fenômeno social. Como instrumento de coleta de dados, foram utilizadas entrevistas semiestruturadas, as quais foram realizadas, individualmente, com 30 diretores escolares. O material coletado foi submetido a uma análise de conteúdo, que ressaltou posições dos diretores, como: afirmam que colaboram com o processo de Formação Continuada e a nomearam como Momento de Atualização; representam a formação como um processo voltado para o domínio de sala de aula e para a aquisição de conteúdo; valorizam mais o Compromisso do professor que sua titulação. Ou seja, eles valorizam pouco o fato de o professor possuir pós-graduação. Do ponto de vista da gestão escolar, ter um bom professor corresponde a ter um professor que cumpre o planejamento acordado para sua escola. E ainda, os sujeitos afirmam uma conexão entre a promoção de uma formação de professores através do processo de Formação Continuada e a qualidade na Educação, notadamente de uma educação pública de qualidade. Por fim, acredita-se que o estudo das representações sociais da formação de professores para diretores escolares contribui para se refletir sobre essa formação e sua influência na prática docente dos futuros professores dos anos iniciais do ensino fundamental

Palavras-chave: Educação. Formação de Professores. Qualidade na Educação. Representações Sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Carlos Carvalho de Oliveira, Professor Efetivo 40h do CCECA da Universidade Estadual do Piaui (UESPI), Doutorando em Educação pela Universidade Federal do Piaui (Em fase de Defesa)

Professor do Centro de Ciências, Comunicação e Artes da Universidade Estadual do Piaui, efetivo, desde 1993, Doutorando em Educação pela Universidade Federal do Piaui.

Pesquisa Sociologia da Educação, Representações Sociais e Educação.

Referências

ABRUCIO, Luiz Fernando. Gestão escolar e qualidade da Educação: um estudo sobre dez escolas paulistas. In: ESTUDOS & PESQUISAS EDUCACIONAIS – no. 1, maio 2010. São Paulo: Fundação Victor Civita, 2010.

AGUIAR, Márcia Ângela da S. A Formação dos Profissionais da Educação no contexto atual e o PNE 2011-2020: avaliação e perspectivas. In: DOURADO, Luiz Fernandes. Plano Nacional de Educação (2011-2020): avaliação e perspectivas. Goiânia: Editora UFG; Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

ALMEIDA, M.I. Formação Contínua de professores em face das múltiplas possibilidades e dos inúmeros parceiros existentes hoje. In: ALMEIDA, M.I. (Org.). Formação Contínua de Professores. Brasília: Ministério da Educação. Boletim 13, p.11-17.ago.2005

BALL, Stephen. Reformar escolas/reformar professores e os terrores da performatividade. Revista Portuguesa de Educação, v.15, n.2, 2002.

BARBOSA, Raquel Lazzari Leite (Org.). Formação de educadores: desafios e perspectivas. São Paulo: Unesp, 2003.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70,1977.

BEISIEGEL, C. de R. A qualidade do ensino na escola pública. Brasília: Líber Livro Editora, 2005.

BEHRENS, M.A. O paradigma da complexidade na formação e no desenvolvimento profissional de professores universitários. Educação, Porto Alegre, v.63, n.3, p. 439-455, set/dez,2007.

BEHRENS, M. A. e PEREIRA, Liandra. Os paradigmas e os reflexos da formação de professores na docência universitária. In: In: BEHRENS, Marilda Teresa e ENS, Romilda Teodora. Ser professor: formação e os desafios na docência. Curitiba: Champagnat, 2011.

BONAMIGO, Alicia; LIMA, Naira da Costa M. Aspectos da Gestão Escolar e seus efeitos no desempenho dos alunos nos anos iniciais do ensino fundamental. In: MARTINS, Angela Maria et al. Políticas e gestão da educação: desafios em tempos de mudança. Campinas: Autores Associados, 2013.

CABRAL NETO, Antonio; CASTRO, Alda Maria Duarte Araújo. Gestão escolar em instituições de Ensino Médio: entre a gestão democrática e gerencial. Revista Educação & Sociedade, Campinas, vol. 32, n. 116, p. 745-770, jul./set. 2011. Disponível em: <http://www.cedes.unicamp.br>Acesso em: 12/07/2015.

CASTRO, Maria Helena Guimarães. A Institucionalização da Política de Avaliação da Educação Básica no Brasil. In: COLOMBO, Sonia Simões e CARDIM, Paulo A. Gomes. Nos Bastidores da Educação Brasileira: a gestão vista por dentro. Porto Alegre: Artmed, 2010.

CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA (CONEB). Documento final. Brasília: MEC, SEA, 2008.

CRISTOV, L. H. da S. Educação continuada: função essencial do CP. In: GUIMARÃES, A. A.(Org.). O coordenador pedagógico e a educação continuada. São Paulo: Loyola, 2007.

DAVIS ET AL (Orgs.). Formação Continuada de professores: uma análise das modalidades e das práticas em estados e municípios brasileiros. In: ESTUDOS & PESQUISAS EDUCACIONAIS – no. 2, Novembro de 2011. São Paulo: Fundação Victor Civita, 2011.

DEMAILY, Lise Chantraine. Modelos de Formação Contínua e Estratégias de Mudança. In: NÓVOA, Antônio. Os Professores e sua Formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

DOURADO, Luiz F. A escolha de dirigentes escolares: políticas e gestão da educação no Brasil. In FERREIRA, Naura S.C. (Org.). Gestão democrática: atuais tendências, novos desafios. São Paulo: Cortez, 2000.

______. (Org.). Plano Nacional de Educação (2011-2020): avaliação e perspectivas. Goiânia/Belo Horizonte: UFG/Autêntica, 2011.

ENS, R.T.; GISI, Maria Lourdes. Políticas Educacionais no Brasil e a formação de professores. In: ENS, R.T.; BEHRENS, M. A. Políticas de formação do professor: caminhos e percursos. Curitiba: Champagnat, 2011.

FELDMANN, Marina Graziela. Formação de Professores e cotidiano escolar. In: FELDMANN, Marina Graziela (Org.). Formação de Professores e Escola na Contemporaneidade. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2009.

FIORINI FILHO, João Alberto. Gestão da escola pública: o diretor em sua ação cotidiana. São Paulo, 1996. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação, PUC-SP.

FRANCO; NOVAES, G. T. F. Os jovens do ensino médio e suas representações sociais. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n.112, mar. 2001.

GARCÍA, Carlos Marcelo. Formação de professores para uma mudança educativa. Portugal: Porto Editora, 1999. (Coleção Ciências da Educação – Século XXI, v.2).

GATTI, B. A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, v.13, n.37, jan-abr.2008.

GATTI, B. A. e BARRETO, Elba. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: Unesco, 2009.

GATTI, B. A. & NUNES, M. M. R. (Org.). Formação de professores para o Ensino Fundamental: estudo de currículos das licenciaturas em Pedagogia, Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Biológicas. São Paulo: FCC, 2010 (Textos FCC, n.29).

GAUTHIER, Clermont. Problemas Relativos à Determinação de um repertório de Conhecimentos específicos do ensino. In: GAUTHIER, Clermont. Por uma teoria da pedagogia. Ijuí: Unijuí, 1998.

GILLY, M. As representações sociais no campo da representação. In: Jodelet, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: UERJ, 2001.

IMBERNÓN, Francisco. Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo: Cortez, 2009.

_______. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artemed, 2010.

_______. Formação docente e profissional. São Paulo: Cortez, 2000.

Jodelet, D. Loucura e representações sociais. Petrópolis: Vozes, 2005.

______. Contribuições das representações sociais para a análise das relações entre educação e trabalho. In: PARDAL, L. et al. Educação e trabalho: representações, competências e trajetórias. Universidade de Aveiro. Departamento de Ciências da Educação, 2007.

JOVCHELOVITCH, Sandra. Vivendo a vida com os outros: intersubjetividade, espaço público e representações sociais. In: GUARESCHI, P.A e JOVCHELOVITCH, S. (Orgs.). Textos em Representações Sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 7° Ed. 1995.

KUHN, T. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 2003.

LUCK, Heloísa. Mapeamento de práticas de seleção e capacitação de diretores escolares. In: ESTUDOS & PESQUISAS EDUCACIONAIS – nº 2, novembro 2011. São Paulo: Fundação Victor Civita, 2011.

MADEIRA; M. C.; MADEIRA, V. P. Representações sociais do diretor de escola. In: Revista de Ciências Humanas – série especial temática 2002. II Jornada Internacional sobre Representação Social. Florianópolis, 2001.

MARIN, Alda Junqueira. Educação continuada: introdução a uma análise de termos e concepções. In: Cadernos Cedes n.º 36. São Paulo: Papirus, 1995.

MAUÉS, O. C.; OLIVEIRA, J. F. A formação docente no Brasil: cenários da mudança, políticas e processos em debate. In: VIEIRA, Lívia Fraga; OLIVEIRA, Dalila Andrade. Trabalho na Educação Básica: a condição docente em sete estados brasileiros. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Rio de janeiro: Zahar, 1978.

NÓVOA, A. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

_________. Formação de Professores e trabalho pedagógico. Lisboa: EDUCA, 2002.

NUNES, Cely. Os sentidos da formação continuada de professores: o mundo do trabalho e a formação de professores no Brasil. Tese (Doutorado em Educação). Campinas: Faculdade de Educação – UNICAMP, 2000.

PARDAL et al (Org.). Educação e Trabalho: representações, competências e trajectórias. Aveiro: Universidade de Aveiro. Departamento de Ciências da Educação, 2007.

PARO, Vítor Henrique. Qualidade do Ensino: a contribuição dos pais. São Paulo: Xamã,2002.

________. Por dentro da escola pública. São Paulo: Xamã, 1996.

_______. Administração escolar: Introdução crítica. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 1993.

PERRENOUD, P. Práticas Pedagógicas, Profissão Docente e Formação: perspectivas sociológicas. Lisboa: Dom Quixote, 1993.

_____. Prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SALES, Luis C. O valor simbólico do prédio escolar. Teresina: Edufpi, 2000.

_____. Qualidade na Educação: entre a indefinição e a ação. In: NASCIMENTO, Ilma Vieira do; MELO, Maria Alice; DIAS, Ana Maria Iório (Orgs.). Política de Pós-Graduação: projetos de Pós-Graduação. São Luis: EDUFMA; Teresina: EDUFPI, 2009.

VASCONCELOS, Maria Lucia M. Carvalho. Gestão e Qualidade do Ensino. In: COLOMBO, Sonia Simões e CARDIM, Paulo A. Gomes. Nos bastidores da educação brasileira: a gestão vista por dentro. Porto Alegre: Artmed, 2010.

VIDAL, Eloísa Maia & VIEIRA, Sofia Lerche.Estudos & Pesquisas: contribuições para políticas educacionais. In: ESTUDOS & PESQUISAS EDUCACIONAIS – no. 4, estudos realizados em 2012. São Paulo: Fundação Victor Civita, 2013.

VIEIRA, Lívia Fraga; OLIVEIRA, Dalila Andrade. Trabalho na Educação Básica: a condição docente em sete estados brasileiros. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

VIEIRA, Sofia Lerche. Políticas internacionais e educação – cooperação ou intervenção? In: DOURADO, Luiz Fernandes e PARO, Vitor Henrique. (Org.). Políticas Públicas e Educação Básica. São Paulo: Xamã, 2001.

ZAINKO, Maria Amélia Sabbag. Gestão do Conhecimento: o desafio da formação inicial e continuada de professores. In: ENS, Rominda Teodoro; VOSGERAU, Dilmeire Ramos e BEHRENS, Marilda Aparecida. Trabalho do Professor e Saberes Docentes. Curitiba: Champagnat, 2012.

ZEICHNER, Kenneth. A Formação reflexiva de professores: ideias e práticas. Lisboa, Portugal: EDUCA, 1993.

WERLE, F. O. C. Sistema de avaliação da educação básica no Brasil: abordagem por níveis de segmentação. In: ____. (Org.). Avaliação em larga escala: foco na escola. São Leopoldo: Oikos; Brasília: Liber Livro, 2010.

Downloads

Publicado

2017-06-30

Como Citar

DE OLIVEIRA, L. C. C. AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE DIRETORES ESCOLARES DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 69–86, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/26818. Acesso em: 28 jan. 2022.

Edição

Seção

RELATOS DE PESQUISA