TRAJETÓRIA DE VIDA E FORMAÇÃO DOCENTE DE UMA PROFESSORA APOSENTADA: O CONHECIMENTO DE SI

Autores

  • Fabrício Oliveira da Silva UNEB - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA
  • Adson Dos Santos Bastos UNEB - Campus V

Resumo

Este artigo analisa a trajetória de vida e formação de uma professora idosa, evidenciando os sentidos que a mesma constrói ao falar de si e de seu percurso formativo.  A base epistemológica do estudo fundamenta-se na ótica da pesquisa qualitativa, de natureza interpretativa, que evidencia pôr em primeiro plano o estudo da trajetória de vida/formação da professora idosa, buscando identificar o sujeito enquanto ativo na construção do conhecimento sobre si próprio e sobre a sua condição de professora. Nesta seara, enveredamos pela abordagem (auto)biográfica a partir dos estudos trazidos por Nóvoa (1988), Delory-Momberg (2012), Pineau (2006), entre outros. Como resultado, o estudo mostrou que o conhecimento de si desencadeia um constante processo de formação do sujeito.

Palavras-chaves: Narrativas. Formação. Abordagem (auto)biográfica. Trajetória

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabrício Oliveira da Silva, UNEB - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

Doutorando em Educação pelo PPGEDUC - UNEB, Mestre em Letras pela USP e professor assistente da UNEB, área Prática Pedagógica, Estágio Supervisionado e Epistemologia do conhecimento.

Adson Dos Santos Bastos, UNEB - Campus V

Mestre em Educação pela UFBA, Professor Auxiliar da Universidade do Estado da Bahia – UNEB. Coordenador do Colegiado de Ciências Biológicas do Campus V – Senhor do Bonfim. Membro do grupo de pesquisa DIVERSO – Narrativa, Formação e Diversidade vinculado ao PPGEDUC – UNEB.

Referências

AMADO, Janaína. O Grande Mentiroso: tradição, veracidade e imaginação em história oral. História. São Paulo, n.14, 1995, p. 125-136.

BUENO, Belmira Oliveira. O método autobiográfico e os estudos com histórias de vida de professores: a questão da subjetividade. Educação e Pesquisa. vol. 28 nº 1 São Paulo Jan/Jun 2002.

BRANDÃO, Vera M.T. Oficina de memória – Teoria e Prática: relato sobre a construção de um projeto. Revista Kairós Gerontologia, São Paulo: EDUC, 2008. p. 181-195

CATANI, Denice Barbara (Org.). A vida e o ofício dos professores: formação contínua, autobiografia e pesquisa em colaboração. São Paulo: Escrituras, 2000.

CATANI, Denice Barbara, BUENO, Belmira e SOUSA, Cyntia. O amor dos começos: por uma história das relações com a escola. Cadernos de Pesquisa. Nº 111, p. 151 - 171, dez. 2000.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A condição biográfica: ensaios sobre a narrativa de si na modernidade avançada. Tradução de Carlos Eduardo G. Braga, Maria da Conceição Passeggi e Nelson Patriota. Natal: EDUFRN, 2012.

ELIAS, NORBERT. Sobre o tempo. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1998.

EREBEN, Michael. “Biografia y autobiografia”. El significato del método autobiografico. Semestre sulla condizione adulta e processi formativi- 4 Otome, 1996. Milano, Edizione Angelo Guerini e Associati, 1996.

FERRAROTTI, Franco. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, António; FINGER, Matthias (Orgs.). O método (auto)biográfico e a formação Lisboa: Ministério da Saúde. Depart. de Recursos Humanos da Saúde/Centro de Formação e Aperfeiçoamento Profissional, 1988. p. 17-34

FREITAS, Anamaria Gonçalves Bueno de. Desvendando aspectos da profissão docente na produção historiográfica educacional do norte e nordeste: algumas possibilidades dos estudos biográficos. In: PINHEIRO, Antonio Carlos Ferreira Pinheiro e ANANIAS, Mauricéia. (Orgs.). Educação, direitos humanos e inclusão social: histórias, memórias e políticas educacionais. Vol.2. João Pessoa: Editora Universitária UFPB, 2009.

GARCIA, Carlos Marcelo. Para uma mudança educativa. Portugal: Porto Editora, 1999.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de Vida e Formação. São Paulo: Cortez, 2004.

JOSSO, M.C. Da formação do sujeito ao sujeito da formação. In: Nóvoa, A. Finger, M (Org.). O Método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde/Depto dos Recursos Humanos da Saúde. 1988.

NÓVOA, Antônio. O método (auto) biográfico e a formação. Lisboa: MS/DRHS/CEAP, 1988.

NÓVOA, Antônio (Coord.). Os professores e a sua formação. 2 ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

PASSEGGI, C. A Formação do formador na abordagem autobiográfica. A Experiência dos memoriais de formação. In: SOUZA, Elizeu Clementino de. Pesquisa (auto) biográfica. Tempo, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDUPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2006

POLLACK, Michel. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos: memória, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, 1992.

PINEAU, Gaston. As histórias de vida como artes formadoras da existência. In: SOUZA, Elizeu Clementino de & ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto (Org.). Tempos, Narrativas e Ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2006,

ROUSSO, Henry. A memória não é mais o que era. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína. Usos e abusos da história oral. 5. Ed. Rio de Janeiro: FGV, 2002.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Autobiografias, histórias de vida e formação: pesquisa e ensino. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006.

SOUZA, Elizeu Clementino de. (Auto) biografia: formação, territórios e saberes. In: PASSEGGI, Maria da Conceição; SOUZA, E. C. de S. (Orgs.). (Auto) biografia: formação, territórios e saberes. Prefácio Gaston Pineau. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: PAULUS, 2008a.

Downloads

Publicado

2017-06-30

Como Citar

SILVA, F. O. da; BASTOS, A. D. S. TRAJETÓRIA DE VIDA E FORMAÇÃO DOCENTE DE UMA PROFESSORA APOSENTADA: O CONHECIMENTO DE SI. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 118–132, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/28097. Acesso em: 28 jan. 2022.

Edição

Seção

RELATOS DE PESQUISA