“MUITAS ATITUDES MINHAS INCOMPREENSÍVEIS AOS OLHOS DESSES FARISEUS”: OS MÚLTIPLOS DISCURSOS PRODUZIDOS SOBRE ANAYDE BEIRIZ

Autores

Resumo

Tratamos as questões de gênero e as especificidades da história das mulheres no Brasil e na Paraíba, desde o início do Século XX, no que se refere às suas práticas de padronização do comportamento feminino. Tomamos como referencial a paraibana Anayde Beiriz, pelo que sua vida causou no cenário paraibano e na produção discursiva que a apresenta com múltiplas identidades. As fontes principais deste trabalho foram documentos do arquivo pessoal da família Beiriz, livros e revistas locais, além de material produzido a partir de entrevistas concedidas por uma pessoa da família de Anayde. Os discursos da época produziram algumas Anaydes, portanto, uma produção discursiva em versões diferenciadas, que fabricaram, pelo menos, três mulheres diferentes: a boa filha, a devassa e a heroína da resistência e a libertária, os quais se constituíram em verdades legitimadas pela sociedade paraibana na época. O que se vai inventar sobre Anayde em cada momento? Que outras versões foram deixadas de fora? Os saberes que veicularam verdades na sociedade da época direcionaram e governaram as tomadas de decisão em que as possibilidades de liberdade de escolha para algumas mulheres foram inviabilizadas.

Palavras-chave: Estudos de gênero. Feminino. Anayde Beiriz. Paraíba. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria do Socorro Nobrega Queiroga, Universidade Federal da Paraíba

Professora Associado I, da Universidade Federal da Paraíba, onde atua no curso de Pedagogia e demais Licenciaturas. Professora dos Programas de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba (Linha de Pesquisa: História da Educação) e do Programa de Pós-graduação em História, da Universidade Federal de Campina Grande (Linha de Pesquisa: História Cultural das Práticas Educativas). Integra o Grupo de Pesquisa Narrativas e Sensibilidades em História da Educação/UFPB. Doutora em Sociologia (UFPB/2005); Mestre em Educação (FGV/IESAE/1993) e Graduada em Psicologia (UFPE). 
No momento dedica-se à pesquisa sobre o higienismo no Estado da Paraíba, com foco nas questões referentes às práticas discursivas sobre a infância e a educação das crianças (1899-1930). Produção no campo de História Cultural da Educação, com ênfase nos seguintes temas: Infância, Primeira República, Discursos, Impressos: (Jornais, Revistas e Manuais Didáticos).

Alanna Maria Santos Borges, Universidade Federal da Paraíba

Aluna do Curso de graduação em Pedagogia, Bolsista do Programa de de Iniciação Científica.

Referências

CASTRO, Edgardo. Vocabulário de Foucault: um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Trad. Ingrid Müller Xavier. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

COSTA, Luyze. Anayde Beiriz: uma biografia em quadrinhos. João Pessoa: Gráfica JB, 2013.

COSTA, Maria J. F. F. da A.; SHENA, Denílson R.; SCHMIDT, Maria A. Brasília (Orgs.). MEC. I Conferência Nacional de Educação. Curitiba, 1927. INEP, 1997.

FOUCAUL, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis, RJ: Vozes, 1977.

______. Os anormais. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 5. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

JOFFILY, José. Anayde Beiriz: paixão e morte na Revolução de 30. Rio de Janeiro, Companhia Brasileira de Artes Gráficas (CBAG), 1980.

MARTINS, Amélia de R. Uma palavra de atualidade. In: COSTA, Maria J. F. F. da A.; SHENA, Denílson R.; SCHMIDT, Maria A. Brasília (Orgs.). MEC. I Conferência Nacional de Educação. Curitiba, 1927. INEP, 1997, p. 155.

OLIVEIRA, Iranilson B. de. Anatomia feminina: o corpo vivo de Anayde Beiriz (no prelo).

QUEIROGA, Maria do S. N. SENA, Fabiana. Infância e disciplinamento: as lições de dona Nenê e a educação em Pombal. In: MACHADO, Charliton, J. dos S.; NUNES, Maria L. da S. (Org.). Educação e educadoras na Paraíba do Século XX: práticas, leituras e representações. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2011, p. 23-37.

ROSE, Nikolas. Inventando nossos eus. In: SILVA, Tomaz T. da. (Org.). Nunca fomos humanos: nos rastros do sujeito. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

Filmografia:

PARAÍBA, MULHER MACHO. Direção de Tizuka Yamasaki. João Pessoa: Vídeo Cassete do Brasil. 1983. 1 filme (87min): son., color.; 16mm.

Jornais:

Jornal das moças. Rio de Janeiro, 30 de agosto de 1923.

Jornal A Imprensa. Grave perigo18/03/1915, p. 1 ano XII – nº 57 - Parahyba do Norte.

Teatro:

ANAYDE. Paulo Vieira, 1992.

Downloads

Publicado

2017-01-06

Como Citar

QUEIROGA, M. do S. N.; SANTOS BORGES, A. M. “MUITAS ATITUDES MINHAS INCOMPREENSÍVEIS AOS OLHOS DESSES FARISEUS”: OS MÚLTIPLOS DISCURSOS PRODUZIDOS SOBRE ANAYDE BEIRIZ. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 184–196, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/28173. Acesso em: 21 jan. 2022.

Edição

Seção

PONTOS DE VISTAS/NOTAS/COMENTÁRIOS