CUIDANDO DE QUEM CUIDA: EDUCAÇÃO EM SAÚDE COM AS PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO CUIDADO COM O TRABALHADOR DA SAÚDE

CARE OF CAREGIVER: HEALTH EDUCATION WITH INTEGRATIVE AND COMPLEMENTARY PRACTICES IN THE CARE OF THE HEALTH WOEKER

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2019v28n1.42197

Palavras-chave:

Práticas Integrativas e Complementares, Educação em Saúde, Translação do Conhecimento, Teoria do Ato Rede

Resumo

O Global Forum for Health Research (2002), estipulou uma agenda de prioridades de pesquisa em saúde, que dentre outras coisas, visa superar a distância entre a produção, translação e usos do conhecimento cientifico em prol da população. O Brasil vem utilizando formatos de trabalhos de pesquisas cientificas em rede, visando a aproximação e a interagência entre ciência, comunidade e todos os atores envolvidos. Este artigo mostra uma experiência de translação do conhecimento no Centro de Saúde  Escola Germano Sinval Farias, em Manguinhos, Rio de Janeiro,  mediada pelo uso das Práticas  Integrativas  e Complementares  em atendimentos de portas abertas, oficinas de educação em saúde para Agentes Comunitários e Saúde  para o cuidado de si e dos seus. Desta maneira tornou possível extrapolar o aprendizado para a comunidade. Utiliza a metodologia qualitativa, em uma triangulação com a Translação do Conhecimento, Teoria  do Ator Rede e Educação em Saúde. Seus resultados apontam para ampliação da reflexividade sobre saúde e melhor consciência de  viver saúde com corpos sensíveis e mais criativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Aparecida Santos, ENSP/FIOCRUZ

Dra. Psicologia pela UFF; Mestra em Psicologia Social pela UERJ; Especialista em Psicossomática e cuidados transdisciplinares com o corpo pela UFF: pesquisadora bolsista  em Monitoramento e Avaliação do Laboratório de Avaliação de Situações Endêmicas Regionais da Ensp/FIOCRUZ

Ana Claudia Figueiro, ENSP/FIOCRUZ

Ana Cláudia Figueiró Graduação: Nutrição Titulação: Doutorado em saúde coletiva Instituição: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca - Ensp/Fiocruz  

Referências

REFERÊNCIAS

BENEVIDES, Regina and PASSOS, Eduardo. A humanização como dimensão pública das políticas de saúde. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2005, vol.10, n.3, pp.561-571. ISSN 1413-8123. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000300014

BERNARDI, S. Entrelaçando o SUS a PNH e a Saúde do Trabalhador. in Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização. Formação e intervenção / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Política Nacional de Humanização. – Brasília : Ministério da Saúde, 2010. 242 p. – (Série B. Textos Básicos de Saúde) (Cadernos HumanizaSUS ; v. 1) ISBN 978-85-334-1667-3

BOURDIEU, P. & WACQUANT, L. An invitation to reflexive sociology. Chicago, University of Chicago Press, 1992.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Humaniza SUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS / Ministério da Saúde, Secretaria-Executiva, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. – Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização. Cartilha da Política Nacional de Humanização. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Política Nacional de Humanização. – Brasília Ministério da Saúde, 2013 1ª edição 1ª reimpressão.

CALLON, M. Some elements of a sociology of translation: domestication of the scallops and the fishermen of St Brieuc Bay First published in J. Law, Power, action and belief: a new sociology of knowledge? London,Routledge, pp.196-223. 1986.

CANADIANINSTITUTES OF HEALTH RESEARCH - CIHR. Guide to knowledge tranlation planning at CIHR: integrated and end-of-grant approaches.Canadian Institutes of Health Research, 2012. Disponível em Acesso em: 10 dez. 2015.

CECILIO, LCO. As Necessidades de Saúde como Conceito Estruturante na Luta pela Integralidade e Eqüidade na Atenção em Saúde In: Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde / Roseni Pinheiro e Ruben Araujo de Mattos, organizadores. Rio de Janeiro: UERJ, IMS: ABRASCO, 2006. 184p. ISBN 978-85-89737-52-4

CLAVIER, C. & POTVIN, L. A theory-based model of translation practices in public health participatory research. Sociology of Health & Illness Vol. xx No. x 2011 pp. 1–15, 2011.

DELEUZE. G. GUATARRI, F. Introdução: Rizoma. Mil platôs– Capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 1995.

FLEURY, S.; OUVERNEY, A. M. Gestão de redes: a estratégia de regionalização da política de saúde. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

Global Forum for Health Research 2002 Published by the Global Forum for Health Research ISBN 2-940286-07-8

LATOUR, B. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade

afora. São Paulo: UNESP, 2000.

LAW, J. & MOL, A. El actor-actuado: La oveja de la Cumbria en 2001. Política y Sociedad, 2008, Vol. 45 Núm. 3: 75-92.

LUZ, M. T. Cultura contemporânea e Medicinas Alternativas: novos paradigmas em saúde no fim do século XX. Physis: Revista Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15(suplemento), p. 145-176, 2005.

LUZ MT; Barros FB. Racionalidades Médicas e Práticas Integrativas Em Saúde: Estudos Teóricos E Empíricos. Rio de Janeiro: Instituto de Medicina Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro/ABRASCO; 452p. (Coleção Clássicos para Integralidade em Saúde), 2012.

JOUBERT, Michel et al. Quartier, democratie et santé Paris: L’Harmattan. 1993

Machado da Silva LA, organizador. Vida sob cerco: vio-

lência e rotina nas favelas do Rio de Janeiro. Rio de Janei-

ro: Faperj, Nova Fronteira; 2008.

MADEL T. LUZ Políticas de Descentralização e Cidadania: novas práticas de saúde no Brasil atual In: Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde / Roseni Pinheiro e Ruben Araujo de Mattos, organizadores. Rio de Janeiro: UERJ, IMS: ABRASCO, 2006. 184p. ISBN 978-85-89737-52-4

MINISTRO DE ESTADO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Portaria MCT nº 820, de 20.12.2007 - MCTIC, 2007.

MOL, A. Ontological Politics. A Word and some questions. In John Law, & John Hassard (Orgs.). Actor Network Theory and After. (pp. 74-89). Blackwell: Oxford, 1999.

MORAES, M. O conceito de rede na filosofia mestiça. Rio de Janeiro: Revista Informare, vol. 6, nº 1, 2000.

POLÍTICA NACIONAL DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO SUS – PNPIC-SUS. Departamento de Atenção Básica, Secretaria de Atenção à Saúde, Ministério da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2006. 92 pp. ISBN: 85-334-1208-8

RAMOS, Silvia. Violência e polícia: Três décadas de políticas de segurança no Rio de Janeiro. Boletim Segurança e Cidadania, n. 21, março de 2016.

Ramos S. Meninos do Rio: Jovens, violência armada e

polícia nas favelas cariocas. Boletim Segurança e Cida-

dania 2009; 13:1-28.

SANTOS, M. A. Um cheiro de moxa no ar: Práticas Integrativas e Complementares no SUS de Niterói. Que Saúde? Que Cuidado? / Maria Aparecida dos Santos. – 2016.

SOUZA, E. & LUZ, M. Bases socioculturais das práticas terapêuticas alternativas. Hist.

cienc. saude-Manguinhos, 2009, vol.16, n.2,

VALLA, V.V. “O que a saúde tem a ver com a religião”. In: VALLA, V. (org) Religião e cultura popular. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

Downloads

Publicado

2019-04-18

Como Citar

SANTOS, M. A.; FIGUEIRO, A. C. CUIDANDO DE QUEM CUIDA: EDUCAÇÃO EM SAÚDE COM AS PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO CUIDADO COM O TRABALHADOR DA SAÚDE: CARE OF CAREGIVER: HEALTH EDUCATION WITH INTEGRATIVE AND COMPLEMENTARY PRACTICES IN THE CARE OF THE HEALTH WOEKER. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 28, n. 1, p. 194–211, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2019v28n1.42197. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/42197. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ - EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE