JOGOS, DIMENSÃO FORMATIVA E APRENDIZAGEM EM SOCIOLOGIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2021v30n2.53453

Palavras-chave:

Palavras-chave: Jogos. Processo de ensino-aprendizagem. Sociologia.

Resumo

Com base na perspectiva segundo a qual o jogo é um meio de desenvolvimento das capacidades humanas e um suporte para melhorar desempenhos escolares, este trabalho se propõe analisar as dimensões formativas do jogo na aprendizagem de sociologia. Para tanto, lança o seguinte problema de pesquisa: quais as possibilidades formativas dos jogos na compreensão de conteúdos sociológicos? Para dar conta desta questão, o artigo enfoca uma experiência educativa desenvolvida com alunos/as do 1º ano do ensino médio da Escola de Aplicação da UFPA. Dar respostas à problemática em pauta implicou recorrer a duas demandas centrais para os propósitos desta pesquisa: 1) verificar os aprendizados mediante estratégias de ensino com jogos e 2) examinar o nível de dificuldade, interesse e satisfação, demonstrado pelos/as discentes, no ato de jogar e aprender. Os resultados de nossa pesquisa empírica nos levam a depreender que o jogo funcionou como uma espécie de suporte para a aprendizagem de conteúdos considerados formais da sociologia, mas não somente isso. Conforme nossa análise, o emprego dos jogos permitiu desenvolver competências muito importantes como: aumento da interação entre alunos/as e entre professor-aluno; mais interesse na disciplina; aumento da capacidade de retenção do conteúdo; utilização de conceitos em situações cotidianas reais e crescimento no interesse e participação nas aulas de sociologia.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Éberton da Costa Moreira, Universidade Federal do Pará

Graduado em Ciências Sociais na UFPA e mestrando em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável na UFPA.

Kleberson Almeida de Albuquerque, Universidade Federal do Pará

Graduando em Ciências Sociais na UFPA.

Referências

AVANCO, Leonardo Dias; LIMA, José Milton de. Diversidade de discursos sobre jogo e educação: delineamento de um quadro contemporâneo de tendências. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 46, 2020.

BROUGÈRE, Gilles. A criança e a cultura lúdica. Revista da Faculdade de Educação, São Paulo, v. 24, n. 2, jul./dez. 1998.

CAILLOIS, Roger. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

CANDAU, Vera Maria et al. Oficinas pedagógicas de direitos humanos. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

CHATEAU, Jean. O jogo e a criança. São Paulo: Summus Editorial, 1987.

CHAUI, Marilena. Convite à filosofia, São Paulo Ática, 2012.

CIGALES, Marcelo Pinheiro. O Ensino da Sociologia no Brasil: Perspectiva de análise a partir da História das Disciplinas Escolares. Revista Café com Sociologia, v. 3, n. 1. jan. de 2014.

CONDESSA, I. C. (Re) aprender a brincar. Ponta delgada: Nova gráfica, 2009.

CREPALDI, Roselene. Jogos, brinquedos e brincadeiras. Curitiba: IESDE Brasil S.A, 2010.

DIETRICH, Pascale; LOISON, Marie; ROUPNEL, Manuella. Articular as abordagens quantitativa e qualitativa. A pesquisa sociológica. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2015.

FIALHO, N, N. Os jogos pedagógicos como ferramenta de ensino. 2008. Disponível em: www.moodle.ufba.br/file.php/8823/moddata/.../jogos_didaticos.pdf. Acesso em: 05 fev. 2019.

GIACOMINI, M.P.; PEREIRA, N.M. (Org.). Jogos e ensino de História. Porto Alegre: Evangraf, 2013.

GRUBEL, Joceline M.; BEZ, Marta R. Jogos Educativos. RENOTE. Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 4, p. 1-7, 2006.

HUIZINGA, J. Homo ludens: o jogo como elemento de cultura. São Paulo: Perspectiva, 2000.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida (Org.). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1997.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. O jogo e a educação infantil. São Paulo: Pioneira, 1994.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 2013.

MACEDO, Lino de; PETTY, Ana Lúcia; PASSOS, Norimar. Os jogos e o lúdico na aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artmed, 2007.

MAREGA, Ágatha Marine Pontes. A criança de seis anos na escola: transição da atividade lúdica para a atividade de estudo. UEM. Maringá, 2010. Disponível em: http://www.ppe.uem.br/dissertacoes/2010_agatha.pdf. Acesso em: 20 dez. 2019.

PARIZOT, Isabelle. A pesquisa por questionário. In.: PAUGAM, Serge. A pesquisa sociológica. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2015.

ROGÉRIO, Radamés de Mesquita et al. Jogos didáticos no ensino de sociologia no ensino médio: relato de uma experiência. Revista Iniciação Científica Cesumar, v. 20, n. 1, p. 5-15, jan./jun. 2018.

SILVA, José Luciano M. Aprendendo no jogar: uma experiência nas aulas de Sociologia do Ensino Médio. Cadernos da Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais, v. 3, p. 11-25, 2019.

SILVEIRA, R. S; BARONE, D. A. C. Jogos educativos computadorizados utilizando a abordagem de algoritmos genéticos. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de informática. Curso de Pós-Graduação em Ciências da Computação, 1998.

VERRI, Juliana Bertolino; ENDLICH, Ângela Maria. A utilização de jogos aplicados no ensino de Geografia. In: Revista Percurso, Maringá, v. 1, n. 1, p. 65-83, 2009.

Downloads

Publicado

2021-05-31

Como Citar

SILVA, V. V. A.; DA COSTA MOREIRA, Éberton .; ALMEIDA DE ALBUQUERQUE, K. JOGOS, DIMENSÃO FORMATIVA E APRENDIZAGEM EM SOCIOLOGIA. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 30, n. 2, p. 114–132, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2021v30n2.53453. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/53453. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

RELATOS DE EXPERIÊNCIA