CIÊNCIA E RELIGIÃO: CONFLITO SILENCIOSO, DEBATE SILENCIADO

SCIENCE AND RELIGION: SILENT CONFLICT, SILENCED DEBATE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2020v29n3.53834

Palavras-chave:

Ensino de ciências, Religião, Formação de Professores

Resumo

Embora não seja admitido por professores e estudantes, existe um conflito silencioso e um debate silenciado quando do encontro das convicções e cosmovisões religiosas com as concepções científicas. Alguns professores de Ciências experimentam esse conflito quando, assumindo o compromisso com a profissão, no ato mesmo de ensinar, ao mesmo tempo, precisam manter a coerência com suas crenças religiosas. Este artigo é o resultado de uma investigação em que se procurou identificar as concepções de professores universitários de ciências (Física, Química e Biologia), sobre as possibilidades e limitações do diálogo entre ciência e religião no contexto da sala de aula de ciências. Para tanto, foi realizada uma pesquisa qualitativa e, a partir de uma entrevista semiestruturada e da seleção do conteúdo, uma discussão em torno das falas dos entrevistados. Como resultado, pudemos observar diferentes atitudes dos professores com relação ao tema. Essas atitudes variaram entre posições extremamente opostas quanto à possibilidade de diálogo entre as duas visões, até aquelas mais ponderadas onde se admite a possibilidade do diálogo, ou até mesmo sua necessidade para que se promova o respeito entre as diferentes construções culturais. Apesar de, em sua maioria, os professores professarem alguma fé, o debate acerca das relações entre essas concepções ainda é silenciado, e entendemos que a quebra desse silêncio seja importante para promover a discussão de como as diversas concepções religiosas podem influenciar nas visões de mundo dos professores e dos estudantes, tendo em vista que o conhecimento científico precisa levar em consideração as outras manifestações culturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Gomes Germano, Universidade Estadual da Paraíba

Nascido em Aroeiras na Paraíba, o professor Marcelo Germano é Licenciado em Física pela Universidade Regional do Nordeste, Especialista em Ensino de Ciências pela UEPB, Mestre em Física pela UFPB e Doutor em Educação Popular pela UFPB. Iniciou sua carreira no magistério como professor do Ensino Médio e atualmente é professor de Física da Universidade Estadual da Paraíba onde se encontra vinculado ao Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática e ao Programa de Pós-graduação em Formação de Professores.

José Antônio Ferreira Pinto, Universidade Federal da Paraíba

Doutorando no Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ensino de Ciências - USP, possui Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática pela UEPB, graduação em Licenciatura Plena em Física pela Universidade Estadual da Paraíba (2009). Atualmente é professor da Educação Básica 3b da SEEDPB e professor substituto da Universidade Estadual da Paraíba.

Referências

ALVES, R. O que é religião? Coleção Primeiros passos. Editora Brasiliense, 1984.
ALVES, R. O enigma da religião. Editora Papirus, 1988.
BACHELARD, G. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Tradução de Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro, Editora Contraponto, 1996.
BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Edição Revista e Ampliada, São Paulo, Edições 70, 2011.
BOGDAN, R. BIKLEN, K. Investigação qualitativa em educação. Porto editora, LDA: Portugal, 1994.
CHALMERS, F. O que é ciência, afinal? Tradução de Raul Fiker, 1a ed. – São Paulo, Brasiliense, 1993.
CHAUÍ, M. Convite à Filosofia. 6a ed. São Paulo, Editora Ática, 1997
EL-HANI, C. N & SEPULVEDA, C. Analisando as Relações entre Educação Científica e Educação Religiosa: II. O Uso de Casos Históricos de Cientistas com Crenças Religiosas como Ferramentas na Formação de Professores. Feira de Santana: 2001.
FEYRABEND, P. Contra o método. Tradução: César Augusto Mortari. São Paulo, Editora Unesp, 2007.
FORATO, Thaís C. M. Issac Newton, as Profecias Bíblicas e a Existência de Deus. In: Cibelle Celestino Silva. (Org). Estudos de História e Filosofia das Ciências. Rio de Janeiro: Livraria da Física, 2006.
FREUD, S. O futuro de uma ilusão. L&PM POCKET, 2011.
FROMM, H. Psicanálise e Religião. Editora Ibero Americano, 1966.
GAARDER, J.; HELLERN, V.; NOTAKER, H. O Livro das Religiões. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
GERMANO, M. G.; Uma nova ciência para um novo senso comum. Campina Grande: EDUEPB, p. 279-280, 2011.
GRACIOSO, Joel. O Diálogo entre Ciência e Religião. Biblioteca Entre Livros, São Paulo, v. 07, p. 46 - 49, 25 jun. 2007
KANT. I. Crítica da Razão Pura. Tradução de Valério Rohden e Udo Baldur Moosburger. São Paulo, Abril Cultural, 1983.
KUHN, T. A Estrutura das Revoluções Científicas. 8a ed. São Paulo, Perspectiva, 2003.
LAKATOS, I. Falsificação e Metodologia dos Programas de Investigação Científica. Tradução de Emília P. Carvalho Mendes. Lisboa, Portugal. Edições 70, 1999.
LACEY, H. The Interplay of Scientific Activity, Worldviews and Value Outlooks. Science & Education. 2007.
MAHNER, M & BUNGE, M. Is religious education compatible with science education? Science & Education. v.5, n.2, p. 91-99, 1996.
MOREIRA, M. A. Metodologias de Pesquisa em Ensino. São Paulo, SP, ED. Livraria da Física, 2011.
MEDEIROS, A. A Natureza da Ciência e a Instrumentação para o Ensino de Física. Ciência & Educação, v. 6, n. 2, p. 107-117, 2000.
MATTHEWS, M. R., . História, filosofia e ensino de ciências: a tendência atual de reaproximação, Cad. Cat. Ensino de Física, v.12(3): 164-214.dez.1995
PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: Ciências Naturais/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC /SEF, 1998.
PEARCEY, Nancy. Verdade Absoluta: Libertando o Cristianismo de seu Cativeiro Cultural. Tradução de Luiz Aron. 1ª edição. Rio de Janeiro: CPAD, 2006.
POPPER, K. R. A Lógica da Pesquisa Científica. São Paulo, SP. Editora Cultrix 2002.
SANTOS, B. S. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. In. Conhecimento Prudente Para uma Vida Decente: Um Discurso Sobre a Ciência Revisitado. Boaventura de Sousa Santos (org.) São Paulo, Cortez, 2004.
SEPULVEDA, C. A Relação Religião e Ciência na Trajetória Profissional de Alunos Protestantes da Licenciatura em Ciências Biológicas. 2003. 307f. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) - Instituto de Física, Universidade Federal da Bahia; Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador.
SEPULVEDA, C. & EL-HANI, C. Quando visões de mundo se encontram: religião e ciência na trajetória de formação de alunos protestantes de uma licenciatura em ciências biológicas. Investigações em Ensino de Ciências – V9(2), pp. 137-175, 2004.
SNOW, C.P. As duas Culturas e uma Segunda Leitura. Tradução de Geraldo Gerson de Souza / Renato de Azevedo Rezende Neto. – São Paulo: Editora Universidade de São Paulo, 1995.
WITTGENSTEIN, L. Investigações Filosóficas. Nova Cultura, 1999.

Downloads

Publicado

2020-09-30

Como Citar

GOMES GERMANO, M.; FERREIRA PINTO, J. A. CIÊNCIA E RELIGIÃO: CONFLITO SILENCIOSO, DEBATE SILENCIADO: SCIENCE AND RELIGION: SILENT CONFLICT, SILENCED DEBATE. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 29, n. 3, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2020v29n3.53834. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/53834. Acesso em: 24 set. 2021.

Edição

Seção

RELATOS DE PESQUISA