O programa residência pedagógica e a inclusão:

o (re)pensar das residentes sobre as práticas vivenciadas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.65451

Palavras-chave:

Público-Alvo da Educação Especial, Pedagogia, Residência Pedagógica, Exclusão, Covid-19

Resumo

O Programa Residência Pedagógica (PRP) visa, dentre outros objetivos, o aperfeiçoamento da formação e o contato efetivo com o contexto educacional no qual o(a) licenciando(a) irá atuar. Assim, com base no exposto, objetivamos: investigar como as práticas propostas no âmbito do PRP, a partir da pesquisa crítica de colaboração, podem suscitar o desenvolvimento de experiências inclusivas. O referencial teórico está pautado nas teorizações da psicologia sócio-histórica, com base em Vigotski e outros(as) autores(as). Outrossim, ainda com base na pesquisa do tipo colaborativa, utilizamos de sessões reflexivas individuais e coletivas, via Meet, com gravação em áudio e vídeo, com o total de 13 participantes, entre os meses de fevereiro e abril de 2022, vinculados a duas escolas campo do PRP, situadas no nordeste brasileiro, com análise de conteúdo temática. O corpus empírico aponta para o reconhecimento da exclusão vivenciada pelo estudante Público-Alvo da Educação Especial (PAEE) nas escolas campo do PRP. Em suma, as práticas propostas no âmbito do PRP, a partir da pesquisa crítica de colaboração, foram importantes, mas não suficientes para suscitar o desenvolvimento de experiências inclusivas no PRP.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neiza de Lourdes Frederico Fumes, Universidade Federal de Alagoas

Doutora em Ciências do Desporto e Educação Física - Universidade do Porto/Portugal. Professora Titular do Instituto de Educação Física e Esporte e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFAL. Maceió/Alagoas/Brasil.

Referências

ANPED. Entidades se posicionam contrárias à padronização e controle impostos pelo Programa de Residência Pedagógica! Não à BNCC! Mar.2018. Disponível em: <http://www.anped.org.br/news/entidades-se-posicionam-contrariaspadronizacao-e-controle-impostos-pelo-programa-de-residencia>. Acesso realizado em: 27 de jun. de 2021.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília: MEC/CONSED/UNDIME, 2018b. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 2 jun. 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Presidência da República, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 15 jan. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a lei brasileira de inclusão da pessoa com deficiência (estatuto da pessoa com deficiência). Brasília, 2015. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm>. Acesso em: 16 jan. 2017.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, v. 134, n. 248, Seção 1, p. 27834-27841, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Inclusão: Revista da Educação Especial, Brasília, v. 4, n. 1, p.7-17, jan./jun. 2008. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/revinclusao5.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2015.

BRASIL. Portaria nº 38, de 28 de fevereiro de 2018. Institui o Programa de Residência Pedagógica. Diário Oficial da União, Brasília, 2018a. Disponível em: <https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/28022018-portaria-n-38-institui-rp-pdf>. Acesso em: 30 out. 2020.

FUMES, Neiza de Lourdes Frederico Fumes; CARMO, Bruno Cleiton Macedo do. Deficiência, educação e pandemia: a desigualdade revelada. Maceió, AL: EDUFAL, 2021.

IBIAPINA, Ivana Maria Lopes de Melo. Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Líber Livro, 2008.

IBIAPINA, Ivana Maria Lopes de Melo; FERREIRA, Maria Salonilde. A pesquisa colaborativa na perspectiva sócio-histórica. Linguagens, Educação e Sociedade – Teresina, n. 12, jan./jun. 2005.

JANNUZZI, G. S. de M. A educação do deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. 3. ed. rev. Campinas: Autores Associados, 2012.

LIBERALI, F. C.; MAGALHÃES, M. C. C. Formação de professores e pesquisadores: Argumentando e compartilhando significados. In: TELLES, João A. (Org.). Formação inicial e continuada de professores de língua: Dimensões e ações na pesquisa e na prática. 01 ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2009, v. 01, p. 43-66.

LIBERALI, Fernanda Coelho; LESSA, Angela Cavenaghi; FIDALGO, Sueli Salles; MAGALHÃES, Maria Cecília. PAC: Um programa para a formação crítica de educadores. Estudos da Linguagem. São Paulo, 2009.

LOCKMANN, K.; KLEIN, R. R. Processos de in/exclusão de alunos com deficiência em tempos de sindemia covídica Ciência & Educação, Bauru, v. 28, e22048, 2022.

MAGALHÃES, M.C.C. A linguagem na formação de professores reflexivos e críticos. In: MAGALHÃES, M.C.C. A formação do professor como um profissional crítico: linguagem e reflexão. Campinas, São Paulo: Mercado das Letras, 2004.

MAGALHÃES, M.C.C. O método para Vygotsky: A zona proximal de desenvolvimento como zona de colaboração e criticidade criativas. In: SCHETTINI, R.H.; DAMIANOVIC, M.C.; HAWI, M.M.; SZUNDY, P.T.C. (Orgs.) Vygotsky: Uma revisita no início do século XXI. 1a ed. São Paulo: Andross, 2009.

MAGALHÃES, Rodrigo Cesar da Silva. Pandemia de covid-19, ensino remoto e a potencialização das desigualdades educacionais. História, Ciências, Saúde. Manguinhos, Rio de Janeiro, v.28, n.4, out.-dez. 2021, p.1263-1267 2020 . Disponível em: <https://www.scielo.br/j/hcsm/a/PsyyZM3qmWPBQcBMm5zjGQh/?format=pdf&lang=pt>. Acesso realizado em: 07 out. 2022.

MATOS, N. S. D. et. al. BNCC e a política de educação especial na perspectiva da educação inclusiva: análise à luz da teoria histórico-cultural e da pedagogia. In: MALANCHEN, J; MATOS, N. S. D.; ORSO, P. J. (Org.). A pedagogia histórico-crítica, as políticas educacionais e a base nacional comum curricular. Campinas, SP: Editora Autores Associados, 2020.

MENDES, G. M. L.; PLETSCH, M. D.; LOCKMANN, K. Adiando o fim da escola: perspectivas internacionais sobre educação em tempos de pandemia. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 15, e2017127, p. 1-6, 2020. doi: https://doi.org/jd9r

MINAYO, Maria Ceclília de Souza (Org.) Pesquisa social. Teoria, método e criatividade. 34. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

SANTANA, Flávia Cristina de Macêdo; BARBOSA, Jonei Cerqueira. O dispositivo formativo da residência pedagógica: ataques, lutas e resistências. Revista Brasileira de Educação. v. 25 e250065 2020 https://doi.org/10.1590/S1413-24782020250065

SANTIAGO, L. V. FUMES, N. L. F. Diferentes olhares sobre a educação física na escola. Ed. UFAL, 2005.

SAVIANI, D. Crise estrutural, conjuntura nacional, coronavírus e educação – o desmonte da educação nacional. Revista Exitus, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e020063, 2020. DOI: 10.24065/2237-9460.2020v10n1ID1463. Disponível em: http://www.ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1463. Acesso em: 30 ago. 2022.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica, quadragésimo ano: novas aproximações. Campinas – SP: Autores Associados, 2019.

SILVA, K. A. C. P.; CRUZ, S. P. A Residência Pedagógica na formação de professores: história, hegemonia e resistências. Momento: Diálogos em Educação, Rio Grande do Sul, v. 27, n. 2, p. 227-247, maio/ago. 2018.

SILVA, K. A. P. C. Residência pedagógica: uma discussão epistemológica. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, [S. l.], v. 12, n. 25, p. 109–122, 2020. DOI: 10.31639/rbpfp.v13i25.437. Disponível em: https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/437. Acesso em: 13 jan. 2023.

VIGOTSKI, L. S. Problemas de defectologia. São Paulo: Expressão Popular, 2021.

Downloads

Publicado

2023-12-21

Como Citar

CAVALCANTI DA SILVA, S.; FUMES, N. de L. F. O programa residência pedagógica e a inclusão:: o (re)pensar das residentes sobre as práticas vivenciadas. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 33, n. 1, p. e-rte331202418, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.65451. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/65451. Acesso em: 14 jul. 2024.