Sequência didática e teoria das situações didáticas:

um relato de experiência

Autores

  • Sheila Simões Bonfim Universidade Municipal de São Caetano do Sul
  • Maria de Fátima Ramos de Andrade USCS / UPM

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.66554

Palavras-chave:

Ensino de álgebra, Teoria das situações didáticas, sequência didática, relato de experiência

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar as contribuições da Teoria das Situações Didáticas de Guy Brousseau para o ensino da álgebra. Para a realização do estudo, optou-se pela abordagem da pesquisa qualitativa de cunho intervencionista, com a elaboração e aplicação de uma sequência didática que foi construída considerando o que é proposto por Dolz e Schneuwly, numa turma de 8º ano do Ensino Fundamental. Os dados gerados foram analisados tendo como referencial teórico os estudos que tratam do ensino da Matemática feitos por Márcia Aguiar, Carmen Sessa, Kátia Gil, entre outros. Constatamos, com a realização da pesquisa, que o trabalho com sequências didáticas, pautadas na Teoria das Situações Didáticas, é uma prática pedagógica que pode contribuir para o planejamento do professor e para a aprendizagem dos alunos. Ademais, o artigo fornece subsídios para que professores possam aprimorar suas práticas pedagógicas e obter resultados mais qualificados em relação a aprendizagem de seus alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheila Simões Bonfim, Universidade Municipal de São Caetano do Sul

Mestre em Educação pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul - USCS (2023). Pós-graduada em matemática pela Universidade Estadual de Campinas (2013) - Unicamp. Possuo graduação em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Nove de Julho (2014) e graduação em Licenciatura Plena em matemática pela Universidade Bandeirante de São Paulo (2010). Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Matemática. Atuo como professora efetiva na Secretaria Municipal de Educação de São Paulo e como professora titular na USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul). Ministrei aulas na Secretaria Estadual de Educação de São Paulo durante nove anos.

Maria de Fátima Ramos de Andrade, USCS / UPM

Possui pós-doutorado em Políticas e Práticas da Educação Básica e Formação de Professores pela Fundação Carlos Chagas, doutorado em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP, mestrado em Educação pela Universidade de São Paulo e graduação em Pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atua em cursos de graduação e pós-graduação em Educação. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Formação de Professores, atuando principalmente nos seguintes temas: base de conhecimento para o ensino, desenvolvimento profissional da docência, aprendizagem profissional da docência, (multi) letramentos e práticas pedagógicas. Integra a Rede de Estudos sobre Desenvolvimento Profissional Docente (REPED). Membro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd). Membro associada do World Education Research Association (Wera). Group: International Research Networks (IRNs). Didactics ? Learning and Teaching.

Referências

ABDALA, M. A.; SIQUEIRA, N. M. Fazer e pensar design em um mundo em transição: Decolonialidade e design como articulação simbólica. In: CIDI - Congresso Internacional de Design da Informação; CONGIC - Congresso Nacional de Iniciação Científica em Design da Informação. Anais [...]. São Paulo: Blucher, 2019, p. 2505-2510. ISSN 2318-6968. DOI 10.5151/9cidi-congic-6.0007.

AGUIAR, M. O Percurso da Didatização do Pensamento Algébrico no Ensino Fundamental: uma análise a partir da Transposição Didática e de Teoria Antropológica do Didático. São Paulo, 2014. Tese (Doutorado em Educação), Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2014.

BABINSKI, A. L. Sequência Didática (SD): experiência no ensino da Matemática. Dissertação (Mestrado) – Universidade do Estado de Mato Grosso, Sinop - MT, 2017.

BENATTI, K. A. Álgebra-Definição. 2012. Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAABpOYAJ/algebra-definicao. Acesso em: 10 dez. 2021.

BRASIL. Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. v. 1. Brasília, DF: Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. 1997. 126 p.

BROUSSEAU, G. Fundamentos e métodos da didática da matemática. In: Didáctica das matemáticas, Direção: Jean Brun. Coleção horizontes pedagógicos; Instituto Piaget, Lisboa, 1996. p. 45-87.

BROUSSEAU, G. Introdução ao estudo das situações didáticas: conteúdos e métodos de ensino. São Paulo: Ática, 2008.

CAMPOS, M. A.; MAGINA, S. Construindo significados para o x do problema. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, 2015.

D’AMBRÓSIO, U. Educação Matemática: da teoria à prática. 23. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Gêneros e progressão em expressão oral e escrita – elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In: ROJO, R.; CORDEIRO, G. S. (org.). Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004. p. 41-70.

GIL, K. H. Reflexões sobre as dificuldades dos alunos na aprendizagem de álgebra. Porto Alegre, 2008.118 f. Originalmente apresentada como dissertação de Mestrado, Pontifícia Católica do Rio Grande do Sul – Faculdade de Física, 2008.

LIMA, D. F. A importância da sequência didática como metodologia no ensino da disciplina de física moderna no ensino médio. Revista Triângulo, v. 11, n. 1, p. 151–162, jan. abr. 2018.

MACHADO, N. J. Matemática e realidade: análise dos pressupostos filosóficos que fundamentam o ensino da matemática. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1991.

MORAES, M. C. O paradigma educacional emergente. Campinas, SP: Papirus, 1997.

OLIVEIRA, M. M. Sequência didática interativa no processo de formação de professores. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

SESSA, C. Iniciação ao Estudo Didático da Álgebra: origens e perspectivas. São Paulo, SP, Edições SM, 2009.

SKOVSMOSE, O. Hacia una filosofía de La educación matemática crítica. Bogotá: Una Empresa Docente, 1999.

USISKIN, Z. Concepções sobre a álgebra da escola média e utilizações das variáveis. In: COXFORD, A. F.; SHULTE, A. P. (Org.). As ideias da álgebra. Traduzido por Hygino H. Domingues. São Paulo: Atual, 1995. p. 9-22.

ZABALA, A. A Prática educativa: como ensinar. Porto Alegre, RS: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

2023-12-21

Como Citar

BONFIM, S. S. .; RAMOS DE ANDRADE, M. de F. Sequência didática e teoria das situações didáticas:: um relato de experiência. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 33, n. 1, p. e-rte331202422, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.66554. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/66554. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

RELATOS DE EXPERIÊNCIA