É possível renascer das cinzas?:

o núcleo de estudos implicado na construção de um currículo-fênix sobre corpo, gênero e sexualidade no Novo Ensino Médio

Autores

  • Roniel Santos Figueiredo Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Marcos Lopes de Souza Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.68619

Palavras-chave:

Educação básica., Currículo escolar., Componente eletivo., Núcleo de estudos.

Resumo

Com a reforma curricular gerada pelo Novo Ensino Médio, as discussões sobre corpo, gênero e sexualidade foram encerradas? É possível [re]construir espaços curriculares para dialogar sobre essas temáticas? O que as(os) estudantes desejam discutir quando as questões de corpo, gênero e sexualidade são apresentadas em um componente curricular eletivo? Baseando-se nisso, este artigo discute o núcleo de estudos como um espaço potente, uma brecha para debater corpo, gênero e sexualidade na escola frente aos contramovimentos antigênero desejosos do silenciamento desses debates. Assumindo a abordagem pós-crítica e pós-estruturalista, pensamos a construção do núcleo de estudos em uma perspectiva nomeada de currículo-fênix, pelo seu potencial de “renascer” em condições sociais e políticas adversas. Ao distanciar-se de um currículo engessado e pré-determinado, o núcleo se constituiu como um lugar de maior liberdade e do imprevisível. As(Os) estudantes expressaram interesse em temas como autoaceitação, diversidade sexual e saúde sexual. Elas(es) demonstraram desconforto em relação às normas sociais que impõe o investimento em determinados corpos. Apesar do desejo em discutir diversidade sexual, há uma insistência pela regulação e normalização das sexualidades dissidentes. Quanto à saúde sexual, as(os) discentes evidenciaram dificuldades em tomar a prevenção como uma possibilidade de reduzir as vulnerabilidades às IST/Aids.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roniel Santos Figueiredo, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutorando em Educação Científica e Formação de Professores, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB.  Docente do Centro Universitário de Excelência - UNEX e da Rede Estadual de Educação da Bahia. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Gêneros, Sexualidades e Relações Étnico-raciais (ACUENDAÇÕES).

Marcos Lopes de Souza, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Docente  da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Formação de Professores e do Programa de Pós-Graduação em Relações Étnicas e Contemporaneidade. Doutor em Educação. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Gêneros, Sexualidades e Relações Étnico-raciais (ACUENDAÇÕES).

Referências

AYRES, José Ricardo de Carvalho Mesquita, et al. O conceito de Vulnerabilidade e as Práticas de Saúde: novas perspectivas e desafios. In: CZERESNIA, Dina; FREITAS, Carlos Machado de (org.). Promoção da saúde: conceitos, reflexões, tendências. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2009, p. 121-143.

BAHIA. Secretaria da Educação do Estado da Bahia. Documento Orientador de Implementação do Novo Ensino Médio na Rede Pública de Ensino da Bahia, 2020. Disponível em: http://jornadapedagogica.educacao.ba.gov.br/wp-content/uploads/2020/01/Documento-Orientador-Novo-Ensino-M%C3%A9dio-na-Bahia-Vers%C3%A3o-Final.pdf. Acesso em 27 maio 2023.

BAHIA. Secretaria da Educação do Estado da Bahia. Documento curricular referencial da Bahia para o ensino médio. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2022. Disponível em: http://dcrb.educacao.ba.gov.br/wp-content/uploads/2023/04/documento_curricular_da_etapa_do_ensino_medio_29-03_.pdf. Acesso em: 27 maio 2023.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, 236 p.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018a. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/a-base. Acesso em: 22 mar. 2023.

CARRARA, Sérgio. Tributo a Vênus: a luta contra a sífilis no Brasil, da passagem do século aos anos 40. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 1996

CÁSSIO, Fernando; GOULART, Débora Cristina. Itinerários formativos e ‘liberdade de escolha’: Novo Ensino Médio em São Paulo. Retratos da Escola, [S. l.], v. 16, n. 35, p. 509–534, 2022. DOI: 10.22420/rde.v16i35.1516. Disponível em: https://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/1516. Acesso em: 29 set. 2023.

ESTEVÃO-REZENDE, Yuri Alexandre; NASCIMENTO, Sarah Christina do; ALVES, Kerley dos Santos. “Você não tem o perfil dessa vaga”: padrões de beleza, gênero e relações de trabalho. CSOnline - Revista Eletrônica De Ciências Sociais, [S. l.], n. 27, 2018. DOI: 10.34019/1981-2140.2018.17540. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/csonline/article/view/17540. Acesso em: 29 set. 2023.

FELISBINO-MENDES, Mariana Santos, Et. al. Análise dos indicadores de sáude sexual e reprodutiva de adolescentes brasileiros, 2009, 2012 e 2015. Revista Brasileira Epidemiologia, p. 1-14, 2018.

FERRARI, A. MARQUES, L. P. Silêncios e Educação. In: FERRARI, A; MARQUES, L. P. (org.). Silêncios e Educação. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2011, p. 148.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: a vontade de saber. 16 ed. Tradução Maria T. C. Alburquerque e J. A. Guilhon Alburquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

FOUCAULT , Michel. As Palavras e as Coisas. 8 ed. Tradução Salma T. Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 1999a.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: o nascimento da prisão, trad. Raquel Ramalhete, Petrópolis: Editora Vozes, 1999b.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 13 ed. Tradução Laura F. A. Sampaio. São Paulo: Loyola, 2006.

FURLANI, Jimena. Educação sexual na sala de aula: relações de gênero, orientação sexual e igualdade étnico-racial numa proposta de respeito às diferenças. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011.

LOPES, Alice Ribeiro Casimiro; MACEDO, Elizabeth. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

MEYER, Dagmar Elisabeth Estermann; KLEIN, Carin; ANDRADE, Sandra dos Santos Sexualidade, prazeres e vulnerabilidade: implicações educativas. Educação em Revista, n. 46, 2007, p. 219-239.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Currículo, Desejo e Experiência. Educação & Realidade. V, 34, n. 2, 2009, p. 277-293.

PARAÍSO, MARLUCY ALVES. Diferença no currículo. Cadernos de Pesquisa [online] v. 40, n.140, 2010.

SANTOS, Luís Henrique Sacchi dos. O corpo que pulsa na escola e fora dela. In: RIBEIRO, P. R. C; et al. (org.). Corpo, Gênero e Sexualidade: Discutindo práticas educativas. Rio Grande: Editora da FURG, 2007, p. 80-92.

SOUSA FILHO, Alipio de. A política do conceito: subversiva ou conservadora? - crítica à essencialização do conceito de orientação sexual. Bagoas - Estudos gays: gêneros e sexualidades, [S. l.], v. 3, n. 04, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/bagoas/article/view/2296. Acesso em: 10 nov. 2023.

WAGNER, F; OPPE, I. G; MIRANDA, L. M. de. O mito da fênix e a combustão espontânea. Ciência Hoje, 2022. Disponível em: https://cienciahoje.org.br/artigo/o-mito-da-fenix-e-a-combustao-espontanea/. Acesso em: 29 de junho de 2023.

WEEKS, Jeffrey. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2018, p. 37-82.

Downloads

Publicado

2023-12-18

Como Citar

SANTOS FIGUEIREDO, R.; LOPES DE SOUZA, M. É possível renascer das cinzas?: : o núcleo de estudos implicado na construção de um currículo-fênix sobre corpo, gênero e sexualidade no Novo Ensino Médio. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 33, n. 1, p. e-rte331202409, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.68619. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/68619. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Quais juventudes querem os currículos? Quais currículos querem as juventudes?