Comunicação Não Violenta E Ferramentas De Gestão Consensual De Conflitos: Uma Interação Necessária Para O Aprimoramento Da Função Dos Mediadores E Dos Conciliadores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1678-2593.2022v21n48.63821

Palavras-chave:

Audiências autocompositivas, Comunicação não violenta, Habilidades socioemocionais, Técnicas autocompositivas

Resumo

Os procedimentos autocompositivos possuem particularidades que exigem habilidades do facilitador, em especial quanto à comunicação e às ferramentas utilizadas durante o procedimento. No entanto, percebe-se que há uma carência na capacitação dos mediadores e conciliadores no tocante às habilidades socioemocionais necessárias para a gestão adequada dos conflitos. Diante desse cenário, a adoção da Comunicação Não Violenta (CNV) por parte desses profissionais apresenta-se como uma alternativa viável, visto possuir diversos elementos que parecem suprir a referida carência. Portanto, o objetivo deste artigo foi analisar em que medida a teoria da Comunicação Não Violenta pode contribuir para a devido emprego das ferramentas autocompositivas e para o aprimoramento da cultura do consenso. A metodologia apoiou-se em pesquisa bibliográfica e documental, com base no método hipotético-dedutivo. Concluiu-se que a Comunicação Não Violenta permite inúmeras contribuições para as ferramentas autocompositivas, de modo a complementá-las quanto aos aspectos socioemocionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio Viana Andrade, Universidade de Fortaleza

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Direito Constitucional e Teoria Política pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Graduado em Direito pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Conciliador judicial certificado pelo NUPEMEC/TJCE. Lattes: iD: http://lattes.cnpq.br/2348243599087729. 

Mara Lívia Moreira Damasceno, Universidade de Fortaleza

Doutoranda pelo Programa da Pós-Graduação em Direito Constitucional (UNIFOR). Mestre e graduada em Direito Constitucional pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Professora da disciplina de graduação Direito e Gestão Consensual de Conflitos (CCJ/UNIFOR). Advogada e mediadora de conflitos. Lattes: http://lattes.cnpq.br/8173298575441880

Lília Maia de Morais Sales, Universidade de Fortaleza

Pós-Doutora pela Universidade de Columbia. Doutora em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Mestre e graduada em Direito pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professora dos cursos de doutorado, mestrado acadêmico, mestrado profissional e graduação em Direito da Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Mediadora de conflitos certificada pela Universidade de Harvard e pela Universidade de Columbia. Universidade de Fortaleza – UNIFOR. Lattes: http://lattes.cnpq.br/7089974273070939

Downloads

Publicado

2023-03-25

Como Citar

ANDRADE, C. V.; DAMASCENO, M. L. M. .; SALES, L. M. de M. Comunicação Não Violenta E Ferramentas De Gestão Consensual De Conflitos: Uma Interação Necessária Para O Aprimoramento Da Função Dos Mediadores E Dos Conciliadores . Prim Facie, [S. l.], v. 21, n. 48, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.1678-2593.2022v21n48.63821. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/primafacie/article/view/63821. Acesso em: 14 jun. 2024.