CURRÍCULO E RESISTÊNCIA: horizontes para uma ecologia de saberes

  • Ana Elisa de Castro Freitas Universidade Feredal do Paraná
  • Lúcia Maria Gonçalves de Resende Universidade Federal do Paraná

Resumo

O presente artigo registra uma proposta curricular inovadora, desenvolvida no Setor Litoral da Universidade Federal do Paraná. Ancorada em um projeto político-pedagógico que busca superar concepções dominantes no âmbito das políticas curriculares, esta proposta investe na redefinição dos espaços pedagógicos, potencializando fluxos de saberes, poderes e identidades. Organizado em três fases/tempos articulados a três eixos/espaços, o desenho curricular assume uma forma tridimensional e modular. Seus espaços potencializam a cultura do trabalho coletivo e integrado em práticas inter e multidisciplinares, oportunizando movimentos de resistência à racionalidade instrumental do currículo normativo-prescritivo, dominante nas instituições de ensino superior brasileiras. Para além das competências profissionais, a formação é plena de potência humanizadora e emancipatória, alinhando-se com a proposta de uma ecologia de saberes. As relações de produção e circulação de saberes são socializadas. Neste sentido, o currículo tridimensional representa uma importante ruptura com a racionalidade formalmente unidimensional, linear e progressiva, inspiradora da formação universitária ocidental, que fragmenta e distancia os campos de saberes científicos, alienando os sujeitos dos processos e meios de produção, aquisição e circulação de conhecimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Elisa de Castro Freitas, Universidade Feredal do Paraná
Mestre em Ecologia, Doutora em Antropologia Social pela UFRGS é docente no Curso de Licenciatura em Artes da UFPR, Setor Litoral e pesquisadora associada ao Núcleo de Antropologia Visual do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFRGS. É Coordenadora do Núcleo Universitário de Educação Indígena junto à PROGRAD/UFPR.
Lúcia Maria Gonçalves de Resende, Universidade Federal do Paraná
Mestre em Educação pela Universidade de Brasília (1994); Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Estadual de São Paulo (1998) e pós-doutorado na UNICAMP (2007). Foi professora da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília - UnB (1997 - 2008) e atualmente é professora associada da Universidade Federal do Paraná, vinculada ao curso de Licenciatura em Artes no Setor Litoral.

Referências

BACHELARD, Gaston. A terra e os devaneios do repouso: ensaio sobre as imagens da intimidade. Tradução de Paulo Neves da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 1990. p. 256

BALL, S. Performatividade, privatização e o pós-Estado do bem-estar. Educação & Sociedade, Campinas, CEDES-Unicamp, v. 25, n. 89, p. 1105-1126, set./dez. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v25n89/22613.pdf. Acesso em: 10/07, 2016.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. 3ª. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989. p.315

COUTO, Lígia Paula. A pedagogia universitária nas propostas inovadoras de universidades brasileiras: por uma cultura da docência e construção de identidade docente. Tese de Doutorado em Educação. São Paulo: USP, 2013. p. 188

DEMO. Pedro. Desafios modernos da educação. Petrópolis: Vozes, 1999. p. 272

DOSTOIÉVSKI. Fiódor. Os irmãos Karamázov. (2 vols). Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2008. p. 1040

FAGUNDES, Mauríco Cesar Vitória. Universidade e Projeto Politico-Pedagógico: diálogos possíveis fomentando formações emancipatórias. Tese de Doutorado em Educação. São Leopoldo: UNISINOS, 2009. p. 235

FRANCO, Elize Keller. Currículo por projetos: inovação do ensinar e aprender na educação superior. Dissertação de Mestrado em Educação. São Paulo: PUCSP, 2008. p. 202

______. Movimentos de mudança: um estudo de caso sobre inovação curricular em cursos de Licenciatura da UFPR Litoral. Tese de Doutorado em Educação. São Paulo: PUCSP, 2014. p. 195

FREITAS, Ana Elisa de Castro; HARDER, Eduardo. Entre a equidade e a assimetria de poder: uma análise da implementação de políticas afirmativas de educação superior indígena no Brasil. Século XXI - Revista de Ciências Sociais, v. 3, n. 1, p. 62-87, jan/jun. 2013. Disponível em: periodicos.ufsm.br/seculoxxi/article/download/11221/pdf. Acesso em: 10/07, 2016.

FREITAS, Helena Costa Lopes de. A Reforma Universitária no campo da formação dos profissionais da educação básica: as políticas educacionais e o movimento dos educadores. Educação & Sociedade, Campinas, CEDES - Unicamp, ano XX, n. 68, p. 17 - 44, dez/1999. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v20n68/a02v2068.pdf Acesso em: 10/07, 2016.

GUATTARI, Félix. As três ecologias. Tradução de Maria Cristina Bittencourt. 15ª. ed. Campinas: Papirus, 2004. p. 56

HABERMAS, Jűrgen. Consciência Moral e Agir Comunicativo. Tradução de Guido A. de Almeida. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989. p. 236

HARDER, Eduardo e FREITAS, Ana Elisa de Castro. Envelhecer na invisibilidade: tempo e narrativa na Ponta Oeste da Ilha do Mel, Paraná, Brasil. Iluminuras, Porto Alegre, UFRGS, v. 16, n. 40, p. 238-259, ago/dez, 2015. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/iluminuras/article/view/61251/36172. Acesso em: 10/07, 2016.

JOUCOSKI, Emerson. Desenvolvimento profissional e inovação curricular na licenciatura em ciências da UFPR litoral. Tese de Doutorado em Ensino de Ciências. São Paulo: USP, 2015. p. 348

PERRENOUD, Pierre. Dez novas competências para ensinar: convite à viagem. Tradução de Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: ARTMED, 2000. p. 192

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Ecologia de Saberes. In: ______. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. 2ª. ed. São Paulo: Cortez, 2008, p. 136-165.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. 2ª. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. p. 154

UFPR LITORAL. Projeto Político-Pedagógico. Matinhos, 2008. Disponível em: http://www.litoral.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2015/02/PPP-UFPR-LITORAL_Set-2008_Alteracao_Dez-2008.pdf. Acesso em: 10/07, 2016.

VAILLANT, Denise e GARCIA, Marcelo. Quién educará a los educadores? Montevidéo: ANEP/AECI, 1999.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro; RESENDE, Lúcia Maria Gonçalves de; FONSECA, Marília. Aula universitária e inovação. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro; CASTANHO, Maria Eugênia L. M. (Orgs.). Pedagogia universitária: a aula em foco. Campinas: Papirus, 2000. p.161-191.

Publicado
2016-09-17
Como Citar
FREITAS, A. E. DE C.; RESENDE, L. M. G. DE. CURRÍCULO E RESISTÊNCIA: horizontes para uma ecologia de saberes. Revista Espaço do Currículo, v. 9, n. 2, 17 set. 2016.
Seção
POLÍTICAS EM CURRÍCULO: cotidianos, desafios, resistências e invenções