A REFORMULAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS DE LICENCIATURA EM UM INSTITUTO FEDERAL

na mira(gem) de uma educação politécnica?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n2.59550

Palavras-chave:

Formação de Professores, Educação Politécnica, Atos de Currículo, Omnilateralidade

Resumo

Partindo do pressuposto político-pedagógico da defesa da formação profissional a partir do conceito de educação politécnica, este trabalho, ao conceber a formação inicial dos professores como um espaço privilegiado de concretização de uma educação para a emancipação e autonomia do ser humano, está organizado em duas partes: na primeira, discorre-se sobre a centralidade da compreensão de educação politécnica e do currículo e de seus atos enquanto subsunção à um projeto societário que rompa os limites do capital. Na segunda parte, discutem-se dados empíricos advindos de entrevistas e questionários semiabertos respondidos por professores de cursos de licenciaturas de um Instituto Federal do estado de Goiás, bem como os objetivos formativos circunscritos em seus respectivos projetos pedagógicos. Em síntese, a discussão dos dados produzidos a partir da categoria “(re)elaboração do currículo” evidencia os seguintes atos de currículo: 1) assumência do direito e responsabilidade por esse processo; 2) interação democrática entre os professores formadores e os estudantes; 3) construção curricular que assume o compromisso com a emancipação humana; 4) protagonismo dos Núcleo Docentes Estruturantes (NDEs) na orquestragem desse processo; 5) insignificante ocorrência de delegação de responsabilidade às instâncias superiores da instituição. Considerando os pressupostos educacionais da perspectiva politécnica e dos atos de currículo, compreende-se que os três primeiros atos lhe são proximais (estando, portanto, na mira), e já os dois últimos, distais (na miragem), pois revela a coadjuvantivação do envolvimento de parte dos docentes que não integram os NDEs, quiça, assim como a participação dos estudantes, trabalhadores-professores em processo de formação inicial.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Daniella de Souza Bezerra, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo e Professora  do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás.

Referências

ARROYO, M. G. Currículo, território em disputa. Petrópolis: Vozes, 2011.

ARROYO, M. G. As relações sociais na escola e a formação do trabalhador. In: FERRATTI, C.J.; SILVA JUNIOR, J.R.; OLIVEIRA, M.R.N.S. (Orgs). Trabalho, formação e currículo: Para onde vai a escola? São Paulo: Xamã, 1999.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere. Os intelectuais. O princípio educativo. Jornalismo. V. 2, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

IFG. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Artes visuais. Cidade de Goiás. Ag. de 2017. Disponível em < http://cursos.ifg.edu.br/info/lic/lic-artes-visuais/CP-GOIAS> Acesso em: 04/10/2019.

IFG. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Física. Jataí. 2007. Disponível em < http://cursos.ifg.edu.br/info/lic/lic-fisica/CP-JAT> Acesso em: 06/10/2019.

IFG. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia Bilíngue- Libras/Português. Aparecida de Goiânia. Jul. de 2018a. Disponível em: http://cursos.ifg.edu.br/info/lic/lic-pedagogia-bilingue/CP-APA. Acesso em: 04/10/2019.

IFG. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química. Itumbiara. Mar..2018d. Disponível em: http://cursos.ifg.edu.br/info/lic/lic-quimica/CP-ITU. Acesso em: 06/11/2019.

IFG. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química. Luziânia. Jun.2018c. Disponível em: http://cursos.ifg.edu.br/info/lic/lic-quimica/CP-LUZIANI. Acesso em: 06/11/2019.

IFG. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química. Uruaçu. 2018b. Disponível em: http://cursos.ifg.edu.br/info/lic/lic-quimica/CP-URUACU. Acesso em: 04/10/2019.

MACEDO, R. S. Atos de currículo formação em ato?: Para compreender, entretecer e problematizar currículo e formação. Ilhéus: Editus, 2011.

MACEDO, R. S. Atos de currículos: uma incessante atividade etnometódica e fonte de análise de práticas curriculares. Currículo sem Fronteiras, v. 13, n. 3, p. 427-435, set./dez. 2013. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol13iss3articles/macedo.pdf. Acesso em 15/04/2020.

MACHADO, J.M.H. Processo de Vigilância em Saúde do Trabalhador, Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 13 (sup.2), 1997, p.33-45. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X1997000600004&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em 15/04/2020.

MARX. K. ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo. 2007.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. 2.ed. São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

OLIVEIRA, M. M. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis: Vozes, 2007.

QUELHAS, A. A.; NOZAKI, H.T. Políticas neoliberais e as modificações na formação do professor de educação física: em defesa da politécnica. In: VI Seminário da REDESTRADO: regulação educacional e trabalho docente, 2006, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2006, p 1-8.

RODRIGUES, J. Educação politécnica. In: PEREIRA, I.B. e LIMA, J.C.F. (Org.). Dicionário da Educação Profissional em Saúde. 2 ed. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, 2009. Disponível em: http://www.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/edupol.html. Acesso em: 20/04/2020.

SAVIANI, D. O choque teórico da politécnica. Trabalho, Educação e Saúde, 1(1), p. 131-152, 2003.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Crítica. 11.ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

SAVIANI, D. Sobre a concepção de politécnica. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1989.

SILVA, K. A. C. P. C. A formação de professores na perspectiva crítico-emancipadora. Linhas Críticas (UnB), v. 17, 2011, p. 13-31.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: A pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas. 2017.

Downloads

Publicado

2021-08-11

Como Citar

BEZERRA, D. de S. . A REFORMULAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS DE LICENCIATURA EM UM INSTITUTO FEDERAL: na mira(gem) de uma educação politécnica?. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 1–12, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n2.59550. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/59550. Acesso em: 3 dez. 2021.