O DISCURSO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO NEOLIBERALISMO

o campo social, as políticas públicas e reorientações possíveis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v16i1.66124

Palavras-chave:

Paradigma., Epistemologia Ambiental., Capitalismo.

Resumo

A veracidade de se pensar e realizar a educação de diversas e diferentes formas voz traz a possibilidade de construir e delimitar perspectivas e epistemologias particulares, o que inclui a Educação Ambiental (EA) e sua insurgência com o movimento ambientalista. Contudo, as pautas reivindicadas por este movimento foram sendo incorporadas ao aparato do sistema hegemônico do neoliberalismo, apropriando discursos e conceitos que poderiam fraturar cada vez mais o sistema vigente. Nesta perspectiva, este ensaio nos conduz à reflexão da apropriação do neoliberalismo no que confere aos discursos da EA e do âmbito educacional, especificamente do currículo, para a manutenção do status quo. Propomos em contraposição o aprofundamento dos debates e reflexões em torno da EA crítica, da Ecologia Política e da Epistemologia Ambiental, os quais possuem potenciais de mitigação e transformação gradativa da relação sociedade-natureza. Assim, ressaltamos a essencialidade destas discussões, tendo em vista nossa relação com a natureza, a crise ambiental e as mudanças do clima, tão bem como nosso modo de produção científica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Adler Santos Garcia Costa, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil.

Especialista em Ciências da Natureza, suas Tecnologias e o Mundo do Trabalho pela Universidade Federal do Piauí e mestrando pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Luiz Henrique Ortelhado Valverde, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil.

Mestre e Doutorando em Ensino de Ciências pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Biólogo na Unidade de Educação Ambiental da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul.

Marcos Vinicius Campelo Junior, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil.

Doutor em Ensino de Ciências pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Referências

ANDRADE, Maria; PICCININI, Cláudia. Educação ambiental na base nacional comum curricular: retrocessos e contradições e o apagamento do debate socioambiental. In: ENCONTRO PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL, 9., 2017, Juiz de Fora. Anais…. Juiz de Fora: UFJF, 2017. Disponível em: http://epea.tmp.br/epea2017_anais/pdfs/plenary/0091.pdf. Acesso em: 07 fev. 2023.

BASSO, Daniela; NETO, Luiz. As influências do neoliberalismo na educação brasileira: algumas considerações. Itinerarius Reflectionis, Jataí, v. 1, n. 16, 2014. Disponível em: https://revistas.ufg.br/rir/article/view/29044. Acesso em: 07 fev. 2023.

BARBOSA, Giovani; OLIVEIRA, Caroline. Educação Ambiental na Base Nacional Comum Curricular. REMEA, Rio Grande, v. 37, n. 1, p. 323-335, 2020. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/11000. Acesso em: 07 fev. 2023.

BOMFIM, Vanessa. As relações entre a educação ambiental e o neoliberalismo: gestão capitalista, educação e meio ambiente um diálogo possível?. I Seminário Internacional de Pesquisa em Políticas Públicas e Desenvolvimento Social, São Paulo, 2014. In: Anais…. SIPPEDES, 2014. Disponível em: https://www.franca.unesp.br/#!/pos-graduacao/pp/eventos/i-sippedes/trabalhos-completos/politicas-publicas-meio-ambiente-e-sustentabilidade/. Acesso em: 22 jan. 2023.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Diário Oficial da União, Brasília. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rcp002_12.pdf. Acesso em: 24 jan. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 23 jan. 2023.

CRUZ, Lauro; SILVA, Mônica. Versões de uma base: disputas, continuidade e rupturas na produção da BNCC do Ensino Médio. Revista Espaço do Currículo, João Pessoa, Pré-publicação (Ahead of Print), p. 1-14, 2023.

DERISSO, José; DUARTE, Rita. Crítica ao ideário neoliberal na educação: precarização e descaracterização da escola pública paulista. Rev. HISTEDBR On-line, Campinas, v. 17, n. 4, p. 1169-1185, 2017. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8651218. Acesso em: 07 fev. 2023.

DEVALL, Bill; SESSIONS, George. Ecologia Profunda: Dar Prioridade à Natureza na Nossa Vida. 3. ed. Tradução: Edições Sempre-em-Pé. Portugal: Edições Sempre-em-Pé, 2004. 290 p.

FOLADORI, Guillermo. Limites do desenvolvimento sustentável. 1. ed. Campinas: Unicamp, 2001.

GIRARDI JR, Liráucio. Pierre Bourdieu: mercados linguísticos e poder simbólico. Revista Famecos, Porto Alegre, v. 24, n. 3, 2017. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/25978. Acesso em: 07 fev. 2023.

JESSOP, Bob. Análise crítica do discurso no pós-Marxismo de Laclau e Mouffe. Tradução: MENGER, Katiele; GRANATO, Leonardo. Simbiótica, Vitória, v. 7, n. 2, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/simbiotica/article/view/32606/21657. Acesso em: 07 fev. 2023.

LACLAU, Ernesto. Populist Rupture and Discourse. Screen Education, 34 (Spring), 1980, p. 87-93.

LAYRARGUES, Philippe. A crise ambiental e suas implicações na educação. In: QUINTAS, J. (Org.) Pensando e praticando a educação ambiental na gestão do meio ambiente. 2. ed. Brasília: IBAMA, p. 159-196, 2002.

LAYRARGUES, Philippe; LIMA, Gustavo. As Macrotendências Político-Pedagógicas da Educação Ambiental Brasileira. Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. XVII, n. 1, p. 23-40, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/asoc/a/8FP6nynhjdZ4hYdqVFdYRtx/. Acesso em: 07 fev. 2023.

LAYRARGUES, Philippe; TORRES, Ana. Por uma educação menos seletiva: reciclando conceitos em educação ambiental e resíduos sólidos. Revbea, São Paulo, v. 17, n. 5, p. 33-53, 2022. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/revbea/article/view/13946. Acesso em: 07 fev. 2023.

LEFF, Enrique. Epistemologia Ambiental. 5. ed. Tradução: Sandra Valenzuela. São Paulo: Cortez, 2002. 239 p.

LEFF, Enrique. Racionalidade ambiental: a reapropriação social da natureza. Tradução: Luís Carlos Cabral. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006. 555 p.

LEFF, Enrique. Saber Ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade e poder. 11. ed. Tradução: Lúcia Mathilde Endlich Orth. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015. 496 p.

LENZI, Cristiano. Sociologia ambiental: risco e sustentabilidade na modernidade. 2. ed. Curitiba: Appris, 2019.

LIMA, Gustavo. Formação e dinâmica do campo da educação ambiental no Brasil: emergência, identidades, desafios. 2005. 207 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

LIMA, Gustavo. Educação ambiental crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 1, p. 145-163, 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/tSMJ3V4NLmxYZZtmK8zpt9r/?format=pdf. Acesso em: 07 fev. 2023.

LOUREIRO, Carlos. Trajetória e Fundamentos da Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2012. 165 p.

LOUREIRO, Carlos; LIMA, Maria. A hegemonia do discurso empresarial de sustentabilidade nos projetos de educação ambiental no contexto escolar: nova estratégia do capital. Rev. Contemporânea de Educação, v. 7, n. 14, p. 280-294, 2012. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rce/article/view/1672. Acesso em: 07 fev. 2023.

LOUREIRO, Carlos; LAYRARGUES, Philippe. Ecologia política, justiça e educação ambiental crítica: perspectivas de aliança contra-hegemônica. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p. 53-71, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tes/a/8VPJg4SGvJLhcK3xcrrnHRF/. Acesso em: 07 fev. 2023.

MACEDO, Elizabeth. Currículo: Política, Cultura e Poder. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 2, p. 98-113, 2006. Disponível em: https://www.curriculosemfronteiras.org/vol6iss2articles/macedo.htm. Acesso em: 07 fev. 2023.

MENDES, Carolina; TALAMONI, Jandira. Neoliberalismo e Educação Ambiental: uma leitura crítica sobre as relações público-privadas entre escolas e o agronegócio. PRACS, v. 11, n. 2, p. 67-87, 2018. Disponível em: https://docplayer.com.br/158288478-Neoliberalismo-e-educacao-ambiental-uma-leitura-critica-sobre-as-relacoes-publico-privadas-entre-escolas-e-o-agronegocio.html. Acesso em: 07 fev. 2023.

OLIVEIRA, Lucas; NEIMAN, Zysman. Educação ambiental no âmbito escolar: análise do processo de elaboração e aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Revbea, v. 15, n. 3, p. 36-52, 2020. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/revbea/article/view/10474. Acesso em: 07 fev. 2023.

RIBEIRO, Maria; MALVESTIO, Anne. O ensino da temática ambiental nas instituições de ensino superior no Brasil. Revbea, São Paulo, v. 16, n. 3, p. 347-361, 2021. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/revbea/article/view/11150. Acesso em: 07 fev. 2023

SALGADO, Stephanie; SÁNCHEZ, Celso. “Vou para o sul saltar o cerrado”: educação ambiental crítica, ecologia política e decolonialidade. In: OLIVEIRA, Carolina (coord.). Criando desde El Sur: ecofeminismo, soberania alimentar, racismo ambiental. Rio das Ostras, RJ: NUPEM Editora, p. 36-51, 2021.

SANTINELO, Paulo; ROYER, Marcia; ZANATTA, Shalimar. A Educação ambiental no contexto preliminar da base nacional comum curricular. Pedagogia em Foco, Iturama, v. 11, n. 6, p. 104-115, 2016.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil [livro eletrônico]. 2 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2008. 551 p.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas, SP: Autores Associados, 2011. 138 p.

SILVA, Silvana; LOUREIRO, Carlos. O sequestro da Educação Ambiental na BNCC (Educação Infantil - Ensino Fundamental): os temas Sustentabilidade/Sustentável a partir da Agenda 2030. ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, XII, Natal, 2019. In: Anais…. Natal: Ed. da UFRN, 2019. Disponível em: http://abrapecnet.org.br/enpec/ xii-enpec/anais/resumos/1/R0724-1.pdf. Acesso em: 24 jan. 2023.

SILVA, Silvana; LOUREIRO, Carlos. As Vozes de Professores-Pesquisadores do Campo da Educação Ambiental sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC): Educação Infantil ao Ensino Fundamental. Ciências & Educação, Bauru, v. 26, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ciedu/a/pnkHjbvq7Q65L6Y6HJZQsgg/?lang=pt. Acesso em: 07 fev. 2023.

SOUZA, Marcelo. Ambientes e territórios: uma introdução à ecologia política. 1. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2019. 350 p.

TEIXEIRA, L.; AGUDO, M.; TOZONI-REIS, M. Sustentabilidade ou “Terra de Ninguém”? - Formação de professores e educação ambiental. Rev. Trabalho, Política e Sociedade, v. II, n. 2, p. 43-64, 2017. Disponível em: http://costalima.ufrrj.br/index.php/RTPS/article/view/345. Acesso em: 07 fev. 2023.

TEIXEIRA, C.; TORALES, M. A questão ambiental e a formação de professores para a educação básica: um olhar sobre as licenciaturas. Educar em Revista, Curitiba, Edição Especial, n. 3, p. 127-144, 2014. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/38111. Acesso em 07 fev. 2023.

TOZONI-REIS, Marília; CAMPOS, Luciana. Educação ambiental escolar, formação humana e formação de professores: articulações necessárias. Educar em Revista, Curitiba, Edição Especial, n. 3, p. 145-162, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/cfc9PgJjwsyVc7wMkw4bJSz/?format=pdf. Acesso em: 07 fev. 2023.

VIEIRA, Maria; CAMPELO JUNIOR, Marcos; ZANON, Angela. Desenvolvimento sustentável e crise ambiental: novos percursos da ecologia política. Revista Sapiência: Sociedade, Saberes e Práticas Educacionais, v. 10, n. 2, p. 1-17, 2021. Disponível em: https://www.revista.ueg.br/index.php/sapiencia/article/view/11069. Acesso em: 07 fev. 2023.

WANDERLEY, Luiz. Indícios de Racismo Ambiental na Tragédia de Mariana: resultados preliminares e nota técnica. Relatório Preliminar. Grupo PoEMAS, 2015. Disponível em: https://www.ufjf.br/poemas/files/2014/07/Wanderley-2015-Ind%C3%ADcios-de-Racismo-Ambiental-na-Trag%C3%A9dia-de-Mariana.pdf. Acesso em: 26 jan. 2023.

WANDERLEY, Luiz; MANSUR, Maíra; MILANEZ, Bruno; PINTO, Raquel. Desastre da Samarco/Vale/BHP no Vale do Rio Doce: aspectos econômicos, políticos e socioambientais. Ciência e Cultura, v. 68, p. 30-35 2016. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252016000300011. Acesso em: 07 fev. 2023.

WUTZKI, Nathalie; TONSO, Sandro. A educação ambiental e a 2ª versão preliminar da base nacional comum curricular (BNCC): uma reflexão sobre a área de ciências da natureza. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 11., 2017, Florianópolis. Anais…. Florianópolis: UFSC, p. 1-9, 2017.

Downloads

Publicado

25-04-2023

Como Citar

COSTA, A. S. G.; VALVERDE, L. H. O. .; CAMPELO JUNIOR, M. V. O DISCURSO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO NEOLIBERALISMO: o campo social, as políticas públicas e reorientações possíveis. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 1–17, 2023. DOI: 10.15687/rec.v16i1.66124. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/66124. Acesso em: 13 abr. 2024.