ESTUDOS DAS POLÍTICAS CURRICULARES

antecedentes, desenvolvimento, definições e estruturas de análises

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v16i1.66276

Palavras-chave:

Educação, Políticas curriculares, Ciclo de políticas

Resumo

O propósito deste trabalho foi analisar os antecedentes e o desenvolvimento do campo de estudos das políticas curriculares, suas definições e delimitações assim como também analisar as propostas das políticas curriculares baseadas no clássico ciclo de políticas idealizados por Harold Laswell. Traçando a evolução e desenvolvimento das políticas curriculares desde o surgimento do temo em meados dos anos 50 do século passado. Enfatizando a importância de adotar definições mais precisas que considerem os diferentes tipos de políticas curriculares. Concluímos com a analise dos enfoques de análise de políticas curriculares baseados no ciclo de políticas tomando como principal unidade de análise os atores envolvidos e que estas propostas podem complementar outros enfoques que utilizem os estudos das políticas curriculares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

José María García Garduño, Universidade Autônoma da Cidade do México, México.

Doutor em Educação pela Ohio University e Professor da Universidade Autónoma da Cidade do México.

Silvia Miracy Pastro Fiad , Universidade Autônoma de Tlaxcala, México.

Doutora em Educação pela Universidade Autônoma de Tlaxcala e Professora da mesma instituição.

Referências

AGUILAR, Luis. El estudio de las políticas públicas. México: Miguel Ángel Porrúa, 2000

CEDES – Unicamp. Políticas Curriculares e decisões epistemológicas. Educação & Sociedade, v. 21, n. 73, 2000 (número completo).

BUSNARDO, Flavia de Matos Giovannini; GOMES de Abreu; LOPES, Alice Casimiro. Propostas curriculares para biología no nivel médio: Disensos e negociaciones. En: LOPES, Alice Casimiro; DÍAZ, Rossane Evangelista; GOMES de ABREU, Rozana (Coords). Discursos nas políticas de currículo. Rio de Janeiro: FARPERJ, Quartet, 2011. p. 93-118

CONNELLY, F. Michael; CONNELLY, GerryConnelly, F.M. & Connelly, G. (2010). Curriculum policy. In: KRIDEL, Craig (Ed.) Encyclopedia of curriculum studies. Thousand Oaks, CA: Sage Publications, 2010. p. 224-227.

CORDERO, Graciela, GARCIA GARDUÑO, José María. The Tylerian curriculum model and the reconceptualists. Interview with Ralph W. Tyler (1902-1994). Revista Electrónica de Investigación Educativa, v. 6, n. 2, 2004. Disponible en: http://redie.uabc.mx/vol6no2/contenido-cordero.html .Acceso en: 10 feb. 2023.

DIAS, Rosanne Evangelista; LOPES, Alice Casimiro. As políticas de currículo para a formação de professores. Currículo sem fronteiras, v. 9, n. 2, p. 79-99, 2009,

DUSSEL, Inés. Las políticas curriculares de la última década en América Latina: nuevos actores, nuevos problemas. Madrid: Santillana, 2004.

ELMORE, Richard; SYKES, Gary Curriculum policy. En: JACKSON, Philip (Ed.) Handbook of research on curriculum. Nova Yorke: Macmillan, 1992, 1992. p. 185-225

KENDALL, Catherine. Curriculum policy and practice. Social Service Review, v. 29, n. 2, p. 117-124, 1955.

KIRST, Michael W; WALKER, Decker. An analysis of curriculum policy-making. Review of Educational Research, v. 41, n. 5, p. 479-509, 1971.

KLIEBARD, Herbert M. The tyler rationale. The School Review, v. 78, n. 2, p. 259-272, 1970.

LASSWELL, Harold, D. Lasswell. The emerging conception of the policy sciences. Policy sciences, v. 1, n. 1, p. 3-14, 1970.

LASSWELL, Harold, D. La orientación hacia las políticas. En: AGUILAR, Luis L. F Aguilar. El estudio de las políticas públicas. México: Miguel Ángel Porrúa p. 79-117, 1992

LAWTON, Denis. Class, culture and the curriculum. Boston: Routledge, 2011.

LEVIN, Benjamin. Curriculum policy and the politics of what should be learned in schools. En: CONNELLY, Michael; HE, Ming Fang; PHILLION, JoAnn (Eds). The SAGE handbook of curriculum and instruction. Los Angeles: Sage Publications, 2008. p. 7-24

LOPES, Alice Casimiro. Os parâmetros curriculares nacionais para o ensino médio e a submissão ao mundo produtivo: o caso do conceito de contextualização. Educação & Sociedade, v. 23, no 80, p. 386-400, 2002.

LOPES, Alice Casimiro. Políticas de currículo: mediação por grupos disciplinares de ensino de ciências e matemática. En: LOPES, Alice Casimiro, MACEDO, Elizabeth (Orgs.). Currículo de ciências em debate. Campinas: Papirus, 2004. p. 45-75.

LOPES, Alice Casimiro. Polìticas de currículo: questoes teórico-metodològicas. En: LOPES, Alice; DIAS, Rosanne; GOMES de ABREU, Rozana (Orgs.). Discursos nas políticas de currículo. Rio de Janeiro: FAPERJ, Quartet Editora, 2011. p. 19-45.

MACEDO, Elizabeth. Parâmetros Curriculares Nacionais: a falácia de seus temas transversais. In: MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa (Org.). Currículo: políticas e práticas. Campinas: Papirus, 1999. p. 43-58.

MOREIRA, Antônio Flavio Barbosa. Os parâmetros curriculares nacionais em questão. Educação & Realidade, v. 21, n.1, p 9-22, 1995a. Disponible: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71637. Acceso: 10 de dez. 2022.

MOREIRA, Antônio Flávio. O currículo como política cultural e a formação docente. Territórios contestados: o currículo e os novos mapas políticos e culturais. Petrópolis: Voces, 1995b. p. 7-20

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. Parâmetros curriculares nacionais: críticas e alternativas. Escola SA: quem ganha e quem perde no mercado educacional do neoliberalismo. Brasília: CNTE, 1996. p. 128-49.

MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa (Org.). Currículo: políticas e práticas. Campinas: Papirus, 1999.

MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa. Propostas curriculares alternativas: limites e avanços. Educação & Sociedade, v. 21, n. 73, p. 109-138, 2000.

OLIVEIRA, Ana de; LOPES, Alice Casimiro. A abordagem do ciclo de políticas: uma leitura pela teoria do discurso. Cadernos de Educação, n. 38, p. 19-41, 2011.

PACHECO, José Augusto. Políticas curriculares: a decisão (re) centralizada.". In: Actas do Seminário A territorialização das políticas educativas, Guimarães, Portugal, 1999.

PINAR, William, F. (Ed.). Curriculum theorizing: The reconceptualists. Berkeley, CA: McCutchan, 1975.

PINAR, William, F. (Ed.) Contemporary curriculum discourses. Scottsdale, Arizona: Gorsuch Scarisbrick, Publishers, 1988

PINAR, William F. La teoría del curriculum. Madrid: Narcea, 2014.

PINAR, William; REYNOLD, William; SLATTERY, Patrick; TAUBMAN, PETER. M. Understanding curriculum: An introduction to the study of historical and contemporary curriculum discourses. Nueva York: Peter Lang, 2008.

PRESSMAN, Jeffrey; WILDAVSKY, Aaron. Implementación. Cómo grandes expectativas concebidas en Washington se frustran en Oakland. México: Fondo de Cultura Económica, 1998

SEGUEL, Mary Louise. The curriculum field: Its formative years. Nueva Yorke: Teachers College Press, 1966.

SIMON, Hebert (1989). Naturaleza y límites de la razón humana. México: Fondo de Cultura Económica, 1989.

TAMAYO, Manuel. El análisis de las políticas públicas. En: BAÑÓN, Rafael; CARRILLO, Ernesto (Orgs.). La nueva administración pública. Madrid: Alianza Editorial, 1997. p. 281-312

UNESCO, International Bureau of Education. Curriculum policy. Disponible: http://www.ibe.unesco.org/en/glossary-curriculum-terminology/c/curriculum-policy#:~:text=Formal%20decisions%20made%20by%20government,a%20range%20of%20official%20documents . Acceso: fev. 5, 2023

YOUNG, Jon; LEVIN, Ben; WALLIN, Dawn. Understanding Canadian schools. Toronto: Nelson Thomson, 2007.

Publicado

31-03-2023

Como Citar

GARDUÑO, J. M. G. .; FIAD , S. M. P. . ESTUDOS DAS POLÍTICAS CURRICULARES: antecedentes, desenvolvimento, definições e estruturas de análises. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 1–13, 2023. DOI: 10.15687/rec.v16i1.66276. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/66276. Acesso em: 29 fev. 2024.