CÂNONES E ESPECTROS: FUNDAMENTALISMOS OU INDETERMINAÇÕES NA FORMAÇÃO DOCENTE

Autores

  • Natália Afonso Araújo Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Bruno Henrique da Silva Souza Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Andreia Aparecida Marin Universidade Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2021v30n3.60932

Palavras-chave:

Autonomia. Cânone. Espectros. Conhecimento pedagógico

Resumo

No presente texto, são discutidas questões relativas à forma como futuros(as) professores(as) lidam com a necessidade de construção de conhecimento pedagógico, quase sempre marcada por alguma ansiedade por encontrar pressupostos e fundamentos traduzíveis em desdobramentos pragmáticos. A questão central é uma oposição entre a tomada de referenciais teóricos centrada em cânones do campo da Educação ou a atualização de espectralidades que podem significar contágios constituintes. A busca de fundamentos e a constituição de plurivocidades atualizáveis são formas distintas de se buscar conhecimento que podem influenciar a formação docente. Ao que parece, desdobram-se delas, respectivamente, uma prática reiterada de referencialidade ou a motivação de posturas reflexivas e mais autônomas de leitura e escrita. Diálogos teóricos são estabelecidos com Merleau-Ponty, Derrida e Rancière, de onde são destacadas as ideias de investigação como trabalho autônomo, justiça com espectros que podem retornar e a atualização da defesa da autonomia e da igualdade de inteligências proposto por Jacotot.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natália Afonso Araújo, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Graduanda em Letras Português/Inglês na Universidade Federal do Triângulo Mineiro e professora de Inglês no Ensino Básico. Uberaba/MG, Brasil

Bruno Henrique da Silva Souza, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Graduando em Letras - Português/Inglês na Universidade Federal do Triângulo Mineiro e professor de Redação e Inglês no Ensino Básico.

Andreia Aparecida Marin, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Departamento de Educação. Área Filosofia e Educação. Grad. Biologia/USP e Filosofia/UFPR. Dra. Ciências/UFSCar.

Referências

BERTOLDO, L. A Psicologia da Composição: Uma perspectiva do vazio: Um lançar de olhos sob João Cabral de Melo Neto, 2014. Disponível em http://gefilassessoriacultural.blogspot.com/p/literatura.html, Acessado em 17 de janeiro de 2021.

BOURDIEU, P. Esboço de auto-análise. Trad. Sérgio Miceli. São Paulo: Cia das Letras, 2005.

CARVALHO, A.D. Hermenêutica da educação: um desafio aos cânones epistemológicos das Ciências da Educação. Revista Portuguesa de Pedagogia, ano 40, v.1, p.223-231, 2006.

CASTRO, M. C. O Beethoven de DeNora: o contexto está no texto. Per Musi, Belo Horizonte, n.26, p.77-85, 2012.

DERRIDA, J. Espectros de Marx: o estado da dívida, o trabalho do luto e a nova Internacional. Trad. Anamaria Skinner. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

DERRIDA, J. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Trad. Claudia M. Rego, Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2001.

DIAS, F. L. Espectros de Derrida na ficção brasileira contemporânea: 1964 e seus fantasmas consistentes nas obras A resistência, de Julián Fuks, e Lavoura arcaica, de Raduan Nassar. Cadernos literários, n.2, v.1, p. 41-51, 2017.

DUARTE, J. F. Cânone. E-Dicionário de Termos Literários, p.1-9, dez. 2009.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 1989.

GOEHR, L. The imaginary museum of musical works. Oxford: Claredon Press, 1992.

KANT, I. Resposta à pergunta: que é esclarecimento? In: ___________. Fundamentação da metafísica dos costumes e outros escritos. São Paulo: Martin Claret, 2002.

LENTINA, A. Editorial. Dossiê Queerizar os cânones luso-afro-brasileiro. Via Atlântica, n.33 p.11-17, jun.2018.

BERTOLDO, L. A Psicologia da Composição: Uma perspectiva do vazio: Um lançar de olhos sob João Cabral de Melo Neto, 2014. Disponível em http://gefilassessoriacultural.blogspot.com/p/literatura.html, Acessado em 17 de janeiro de 2021.

BOURDIEU, P. Esboço de auto-análise. Trad. Sérgio Miceli. São Paulo: Cia das Letras, 2005.

CARVALHO, A.D. Hermenêutica da educação: um desafio aos cânones epistemológicos das Ciências da Educação. Revista Portuguesa de Pedagogia, ano 40, v.1, p.223-231, 2006.

CASTRO, M. C. O Beethoven de DeNora: o contexto está no texto. Per Musi, Belo Horizonte, n.26, p.77-85, 2012.

DERRIDA, J. Espectros de Marx: o estado da dívida, o trabalho do luto e a nova Internacional. Trad. Anamaria Skinner. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

DERRIDA, J. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Trad. Claudia M. Rego, Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2001.

DIAS, F. L. Espectros de Derrida na ficção brasileira contemporânea: 1964 e seus fantasmas consistentes nas obras A resistência, de Julián Fuks, e Lavoura arcaica, de Raduan Nassar. Cadernos literários, n.2, v.1, p. 41-51, 2017.

DUARTE, J. F. Cânone. E-Dicionário de Termos Literários, p.1-9, dez. 2009.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 1989.

GOEHR, L. The imaginary museum of musical works. Oxford: Claredon Press, 1992.

KANT, I. Resposta à pergunta: que é esclarecimento? In: ___________. Fundamentação da metafísica dos costumes e outros escritos. São Paulo: Martin Claret, 2002.

LENTINA, A. Editorial. Dossiê Queerizar os cânones luso-afro-brasileiro. Via Atlântica, n.33 p.11-17, jun.2018.

MERLEAU-PONTY, M. Conversas. Trad. Fábio Landa; Eva Landa. São Paulo: Martins Fontes, 2004, 79p.

MERLEAU-PONTY, M. Elogio da Filosofia. Trad. A. Braz Teixeira. Lisboa: Guimarães Editores, 1998.

MERLEAU-PONTY, M. A dúvida de Cézanne. In: Textos escolhidos. Col Os Pensadores. Trad. Marilena Chauí. São Paulo: Abril Cultural, 1984. pp 113-126.

MILAN, B. Derrida caça os fantasmas de Marx. Entrevista: Especial para a Folha, de Paris. São Paulo: Folha de São Paulo, 26 de junho de 1994.

MELO NETO, J. C. Psicologia da composição. In: Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

PINTO, N. M. A estranha instituição da literatura no multiverso dos espectros. Alea, Rio de Janeiro, v.17, n.1, pp.114-126, jan-jun 2015.

RANCIÈRE, J. O mestre ignorante: cinco lições sobre a emancipação intelectual. São Paulo: Autêntica, 2015.

Downloads

Publicado

2021-12-27

Como Citar

AFONSO ARAÚJO, N. .; DA SILVA SOUZA, B. H.; MARIN, A. A. CÂNONES E ESPECTROS: FUNDAMENTALISMOS OU INDETERMINAÇÕES NA FORMAÇÃO DOCENTE. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 30, n. 3, p. 157–175, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2021v30n3.60932. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/view/60932. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGO DE REVISÃO