DE CHARQUE, COUROS E ESCRAVOS: A CONCENTRAÇÃO DE RIQUEZA, TERRAS E MÃO-DE-OBRA EM PELOTAS (1850-1890)

Autores

  • Jonas Moreira Vargas

Resumo

O charque e os couros lideraram as exportações do Rio Grande do Sul durante o século XIX. Fundamental na alimentação dos escravos das plantations do sudeste e nordeste do país, o charque também foi responsável por aprofundar a integração dos mercados do sul com o restante do Brasil. Como resultado deste circuito mercantil, Pelotas tornou-se o principal complexo fabril da província, concentrando um numerosa escravaria e enriquecendo os seus proprietários – os charqueadores. A partir da análise dos inventários post-mortem de Pelotas entre 1850 e 1890, o presente artigo demonstra como a estrutura agrária, a mão-de-obra cativa, entre outros bens econômicos estavam concentrados nas mãos de poucas pessoas, enriquecendo uma elite em detrimento das camadas mais pobres da população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-06-30

Como Citar

VARGAS, J. M. DE CHARQUE, COUROS E ESCRAVOS: A CONCENTRAÇÃO DE RIQUEZA, TERRAS E MÃO-DE-OBRA EM PELOTAS (1850-1890). Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 26, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/15034. Acesso em: 19 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: História e Questão Agrária