O TEATRO DO PODER E O CONTRATEATRO DO CAMPESINATO PARAIBANO: NEGOCIAÇÃO, TÁTICAS E RESISTÊNCIAS (1935-1945)

Autores

  • José Luciano de Queiroz Aires

Resumo

Esse artigo discute a relação entre a teatralização política estatal e as recepções realizadas por parte dos trabalhadores do campo, na Paraíba, entre 1935-1945. Parte-se da ideia de que os governos de Argemiro de Figueiredo e Ruy Carneiro, respectivamente, incentivaram a invenção de uma cultura política do espetáculo como parte do processo de busca de legitimidade política. Entretanto, essa espetacularização política oficial fazia parte das relações de forças empreendidas entre Estado e classes populares, processo esse mediado por resistências e negociações, no contexto do Estado Novo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-06-30

Como Citar

AIRES, J. L. de Q. O TEATRO DO PODER E O CONTRATEATRO DO CAMPESINATO PARAIBANO: NEGOCIAÇÃO, TÁTICAS E RESISTÊNCIAS (1935-1945). Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 26, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/15044. Acesso em: 16 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: História e Questão Agrária