O AGRARISMO IPESIANO NOS PROJETOS DE PAULO DE ASSIS RIBEIRO

Autores

  • Carlos Leandro da Silva Esteves

Resumo

Este artigo pretende abordar algumas questões pertinentes à atuação dos escritórios de consultoria tecnoempresarial e seus agentes no trabalho de elaboração de projetos para a agricultura convertidos em políticas públicas por agências estaduais na primeira metade da década de 1960. Traço marcante na conjuntura política brasileira pré-1964, a atuação de técnicos e escritórios de consultoria tecnoempresarial junto a executivos estaduais no trabalho de elaboração e execução de políticas públicas voltadas para a promoção da racionalização do trabalho na agricultura, e do aumento da produtividade agrícola, ainda é tema pouco abordado por estudiosos do período. Pretendemos problematizar a atuação dos escritórios de consultoria na elaboração de políticas públicas para o agro a nível dos executivos estaduais, processo que contou com a presença de técnicos nos principais espaços de tomada de decisão no interior do Estado. Exemplos representativos desses espaços de formulação de projetos no âmbito da sociedade civil no período em tela são o Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais, o IPES, e o Escritório Técnico Paulo de Assis Ribeiro, coordenado pelo próprio Paulo de Assis Ribeiro, um dos mais importantes e influentes intelectuais orgânicos do período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-06-30

Como Citar

ESTEVES, C. L. da S. O AGRARISMO IPESIANO NOS PROJETOS DE PAULO DE ASSIS RIBEIRO. Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 26, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/15045. Acesso em: 16 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: História e Questão Agrária