De Ana Maria à Severina: o patrimônio cultural afetivo, as emoções e memórias em Ceilândia/DF

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2022v27n46.61856

Palavras-chave:

Ceilândia, Patrimônio afetivo, História das mulheres

Resumo

O presente artigo parte do estudo da história das mulheres e também da Educação Patrimonial, seguindo as premissas do Patrimônio Cultural  Afetivo, utilizando como ferramenta memórias femininas sobre a construção da então cidade-satélite de Ceilândia, zona periférica do Distrito Federal, e seus patrimônios culturais,institucionalizados e/ou afetivos ligados, em sua maioria, à construção da dignidade e cidadania de seus moradores, disponibilizadas pelo Arquivo Público do Distrito Federal - APDF. visa promover o conhecimento e a valorização do patrimônio cultural e história local analisando o papel desempenhado pelas mulheres como transmissoras de valores, conhecimentos e histórias na região administrativa de Ceilândia – DF. que se estabeleceu a partir de uma Campanha de Erradicação dos Invasores – CEI, trazendo análises e reflexões dos de Ana Maria, Antônia e Severia , visando contribuir com a visibilidade das memórias e histórias das mulheres e suas respectivas visões sobre a Ceilândia, visões e memórias carregadas de força e sensibilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline Aparecida Martins Zarbato, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul/Universidade Federal do Mato Grosso

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação (CPTL/UFMS) e do ProfHistória da UFMT, na graduação em História/FACH/UFMS. Tem doutorado em História Cultural (UFSC). Pós Doutora em História pela Unicamp. Pesquisadora externa do CITCEM/Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória/Faculdade de Letras da Universidade do Porto/Portugal. Coordena o Grupo de Pesquisa: Ensino de História, Mulheres e Patrimônio. Membro da ANPUH, Apehun/Argentina. Coordenadora de área do projeto Residência pedagógica/UFMS.

Sandra Maria Rodrigues, Secretaria de Educação do Distrito Federal

Professora de Educação Básica do Distrito Federal (SEDF) , especialista em História Cultural pela Universidade Federal de Goiás - UFG , Mestra pelo Mestrado Profissional em Ensino de História - PROFHISTÓRIA pela Universidade Federal do Mato Grosso - UFMT. Experiência na área de História do Brasil República, História da África, Patrimônio Cultural, didática do ensino de História, História das mulheres, documentos e narrativas.

Referências

ALVES, Lara Moreira. A construção de Brasília: uma contradição entre utopia e realidade. Revista de História da Arte e Arquitetura. Campinas - SP: Programa de Pós-Graduação em História, v. 2. n. 2, p. 123-132, 2005.

AMMANN, Safira Bezerra. Os incansáveis: Movimento popular de Brasília. Brasília: Cortez Editora, 1987.

CHUVA, Marcia. Arquitetos da Memória. Sociogênese das práticas de preservação do patrimônio cultural no Brasil. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.

COSTA, Cléria Botelho da; BARROSO, Eloísa Pereira (orgs.). Brasília: diferentes olhares sobre a cidade. Brasília: EdUnB, 2015.

DERNTL, Maria Fernanda. O Plano Piloto e os planos regionais para Brasília entre fins da década de 1940 e início dos anos 60. Revista Brasileira de Estudos Urbanos Reg. São Paulo, v. 21, n. 1, p. 26-44, 2019.

FENELON, Déa R. São Paulo: Patrimônio histórico-cultural e referências culturais. Revista Projeto História: Espaço e Cultura, São Paulo: EUC, n. 18, 2004.

FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína. Apresentação. In: Usos & abusos da história oral. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

FONSECA, Maria Cecília Londres. Para além da pedra cal: por uma concepção ampla de patrimônio cultural. In: ABREU, Regina; CHAGAS, Mario (orgs.). Memória e patrimônio - ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009, p. 59-79.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006.

GRAVARI-BARBAS, M. O sangue e o solo. O patrimônio, fator de pertencimento de um território urbano. Geosaberes. Fortaleza, v. 5, n. especial (1), p. 24-33, 2014.

HAHNER, June E. A mulher brasileira e suas lutas sociais e políticas: 1850-1937. São Paulo: Brasileira, 1981.

JESUS, Ana Maria de. Depoimento - Programa de História Oral. Brasília, Arquivo Público do Distrito Federal, 2002.

LEITE, Ivanise. Emoções, Sentimentos e Afetos: uma reflexão sócio-histórica. Araraquara: Junqueira e Marin Editores, 2005.

LEITE, Daniela Carvalho Bezerra. Feiras como espaços de hospitalidade e identidade coletiva: Feira permanente da Ceilândia/DF. Dissertação (Mestrado Profissional em Turismo). Brasília: Universidade de Brasília, 2015.

LONDRES, Maria Cecília. Referências culturais: base para novas políticas de patrimônio. Inventário nacional de referências culturais: manual de aplicação. Brasília: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 2000.

LOURO, Guacira Lopes. Mulheres na Sala de aula. In: PRIORE, Mary Del. História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2000, p. 441-481.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-Posições, v. 19, n. 2 (56), p. 17-23, 2008.

MESQUITA, Évellin Lima. Ceilândia: patrimônio-territorial e turismo. Monografia (Graduação em Turismo). Brasília: Universidade de Brasília, 2016.

NASCIMENTO, Severina Etelvina. Depoimento - Programa de História Oral. Brasília, Arquivo Público do Distrito Federal, 2002.

PEDRO, Joana Maria. Traduzindo o debate: o uso da categoria gênero na pesquisa histórica. Revista História, São Paulo, v. 24, n. 1, p. 77-96, 2005.

PERROT, Michelle. Os excluídos da história: operários, mulheres e prisioneiros. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

PERROT, Michelle. As mulheres ou os silêncios da história. Bauru SP: EDUSC, 2005.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. O imaginário da cidade. Visões literárias do urbano. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2002.

PESAVENTO, Sandra Jatahy, LANGUE, Frederique (orgs.). Sensibilidades na História: memórias singulares e identidades sociais. Porto Alegre - RS: UFRGS, 2007.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Sensibilidades no tempo, tempo de sensibilidades. Nuevo Mundo Mundos Nuevos. I Journée d´Histoire des sensibilités, Paris, EHESS, 04/03/2004.

SCOTT, Joan W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Revista Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 73-94, 1995.

SILVA, Antônia Alves da. Depoimento - Programa de História Oral. Brasília, Arquivo Público do Distrito Federal, 2002.

TAVARES, Nadir. Ceilândia, ontem, hoje… e amanhã?. Brasília-DF, Brasília, 1981.

TAVARES, Breitner Luiz. Feira do Rolo: na pedagogia da malandragem: memória e representações sociais no espaço urbano de Ceilândia-DF. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Brasília: Universidade de Brasília, 2005.

VASCONCELOS, Adirson. As cidades satélites de Brasília. Brasília: Centro Gráfico do Senado Federal, 1988.

Downloads

Publicado

2022-07-08

Como Citar

ZARBATO, J. A. M.; RODRIGUES, S. M. De Ana Maria à Severina: o patrimônio cultural afetivo, as emoções e memórias em Ceilândia/DF. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 27, n. 46, p. 263–284, 2022. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2022v27n46.61856. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/61856. Acesso em: 2 out. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Memória, patrimônio cultural e processos educativos: Diálogos e reflexões