Ensino de História e Educação Patrimonial: usos e apropriações na formação docente no ensino de EAD

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2022v27n46.62070

Palavras-chave:

Ensino de História, Educação Patrimonial, Educação a distância

Resumo

Este artigo tem o objetivo de explicar as concepções de patrimônio presentes em projetos preliminares desenvolvidos pelos estudantes de estágio supervisionado em docência em História do polo do município de Camocim do curso de EAD da Universidade Estadual do Ceará. A análise é feita para compreender as práticas e perspectivas dos discentes na inclusão do patrimônio cultural como atividade necessária ao ensino de história. Para alcançar esse fim, analisamos seis relatórios apresentados no fim da disciplina realizada em 2019 que consistiam na construção de intervenção pedagógicas na abordagem da educação patrimonial. Nessa análise serão observadas as escolhas, as experiências e as aplicações de conceitos, além da seleção de métodos, a partir da sua aproximação com a temática da “preservação” e “valorização” dos bens culturais e, ainda, as elaborações que os estudantes de História apresentaram para fundamentar teórica e metodologicamente as escolhas de temas, objetos de análise e as possíveis problematizações para vivências educativas, considerando conceitos como história local, identidade e diversidade cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adson Rodrigo Silva Pinheiro, Universidade Federal Fluminense

Doutorando em História Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF). É membro do grupo de Estudos e Pesquisa em Patrimônio e Memória (GEPPM/ UFC) e associado do Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS-BRASIL).

Raquel da Silva Alves, Universidade Estadual do Ceará

Doutora em História Social pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professora do ensino básico na rede municipal de ensino de Fortaleza e atua como professora tutora no curso de Licenciatura em História, modalidade a distância UAB-UECE.

Referências

ARAGÃO, Raimundo Freitas; SILVA, Nubélia Moreira da. A Observação como Prática Pedagógica no Ensino de Geografia. Fortaleza: Geosaberes, 2012.

BERGAMO, Marilene Terezinha. História, Memória e Identidade: Despertar a Consciência Histórica e o Sentimento de Pertencimento. (Projeto de Intervenção Pedagógica e Artigo - PDE) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, 2014. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2014/2014_unioeste_hist_pdp_marilene_terezinha_bergamo_dos_santos.pdf. Acesso em 12 nov 2021.

BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade: Lembrança de Velhos. São Paulo: T.A. Queiroz, 1994.

BRASIL. Portaria nº 137, de 28 de abril de 2016. Estabelece diretrizes de Educação Patrimonial no âmbito do Iphan e das Casas do Patrimônio. Brasília: DOU Diário Oficial da União. Publicado no D.O.U de 29 de abril de 2016. Disponível em https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/21512179/do1-2016-04-29-portaria-n-137-de-28-de-abril-de-2016-21512121. Acesso em: 01 nov. 2021.

BRASIL. PORTARIA IPHAN/MinC nº 375 de 2018, que institui a política de patrimônio cultural material do IPHAN e dá outra providencias. Disponível em: http://portal.imprensanacional.gov.br/materia//asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/41601273/do1-2018-09-20-portaria-n-375-de-19-de-setembro-de-2018-41601031. Acesso em: 01 nov. 2021.

DEMARCHI, João L.; SCIFONI, Simone. Patrimônio cultural e educação patrimonial: a operação historiográfica e a tática marginal. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 5, p. 01-17, 2019.

FERNANDES, José Ricardo Oriá. Educação patrimonial e cidadania: uma proposta alternativa para o ensino de História. Revista Brasileira de História. São Paulo: ANPUH, v. 13, nº 25/26, p. 265-276, 1992-1993.

FLORENCIO, Sônia Rampim; et al. Educação Patrimonial: histórico, conceitos e processos. 2 ed. Brasília: IPHAN/DAF/Cogedi/Ceduc, p. 05-28, 2014.

FREIRE, Paulo. Carta de Paulo Freire aos professores. Estud. Avançados, São Paulo, v. 15, n. 42, p. 259-268, 2001.

FREIRE, Paulo. Professora sim tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho d’água, 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GIL, Carmem Zeli de Vargas. Investigações em Educação Patrimonial e Ensino de História (2015-2017). CLIO: Revista de Pesquisa Histórica, v. 38, p. 107-127, 2020.

GIL, Carmem Zeli de Vargas; TRINDADE, Rhuan T. Z. (orgs.). Patrimônio cultural e ensino de História. Porto Alegre: Edelbra, 2014.

HALBWACHS. Maurice. A Memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

KRAAY, Hendrik. O Ritual Político e a Política dos Rituais: Festas Cívicas no Rio de Janeiro, 1823-1831. In: Encontro Regional de História, 11, 2004, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UERJ, 2004, p. 01-10.

NOGUEIRA, Antonio Gilberto Ramos. Diversidade de sentido do patrimônio cultural: uma proposta de leitura da trajetória de reconhecimento da cultura afro-brasileira como patrimônio nacional. Anos 90, Porto Alegre, v. 15, n. 27, p. 233-255, 2008.

NOGUEIRA, Antonio Gilberto Ramos. O campo do patrimônio cultural e a história: itinerários conceituais e práticas de preservação. Antíteses, [S.l.], v. 7, n. 14, p. 45-67, 2014. Disponível em: <https://www.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/19969>. Acesso em: 5 jan. 2022.

POLLAK. Michel. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 2, n. 3, p. 3-15, 1989.

SCIFONI, S. Conhecer para preservar: uma ideia fora do tempo. Revista CPC, 14 (27esp), p. 14-31, 2019.

SCIFONI, Simone. Desafios para uma nova educação patrimonial. Revista Teias, [S.l.], v. 18, n. 48, p. 05-16, 2016. Disponível em: <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/25231/19932>. Acesso em: 20 ago. 2020.

SCARDUELLI, Grasiele; GONÇALVES, Teresinha Maria. Memória, paisagem urbana e seus processos de identidade: o caso da Praça Nereu Ramos em Criciúma/SC. Revista de Arquitetura IMED, Passo Fundo, v. 9, n. 1, p. 01-23, 2020b. Disponível em: https://seer.imed.edu.br/index.php/arqimed/article/view/3875. Acesso em: 25 jan. 2022.

STEPHANOU, Maria. Narrar para criar; criar para tornar uma presença: o jardim e suas composições. In: KREUTZ, Roque A.; SCHNECK, Andréa C. B. (orgs.). Dramas, comédias e tragédias nas Picadas de Bom Jardim/Ivoti. Ivoti: Feevale, 2014, p. 9-14.

STEPHANOU, Maria. A Praça Nereu Ramos: o patrimônio cultural como fomento da memória e identidade urbana. Cinco Porcento Arquitectura Mais Arte, p. 01-23, 2020a.

TOLENTINO, Átila. O que não é educação patrimonial: cinco falácias sobre seu conceito e sua prática. In: TOLENTINO, Átila; BRAGA, Emanuel (orgs.). Educação patrimonial: políticas, relações de poder e ações afirmativas. Caderno Temático 5. João Pessoa: Iphan-PB; Casa do Patrimônio da Paraíba, 2016, p. 38-48.

TOLENTINO, Átila. Educação patrimonial decolonial: perspectivas e entraves nas práticas de patrimonialização federal. Sillogés, v. 1, n. 1, 2018. Disponível em: http://historiasocialecomparada.org/revistas/index.php/silloges/article/view/12. Acesso em: 20 ago. 2021.

UNESCO. Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial: Paris, 2003. Disponível em: http:// portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Recomendacao%20Paris%202003.pdf. Acesso Acesso em: 5 jan. 2022.

Downloads

Publicado

2022-07-08

Como Citar

PINHEIRO, A. R. S.; ALVES, R. da S. Ensino de História e Educação Patrimonial: usos e apropriações na formação docente no ensino de EAD. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 27, n. 46, p. 222–243, 2022. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2022v27n46.62070. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/62070. Acesso em: 2 out. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Memória, patrimônio cultural e processos educativos: Diálogos e reflexões