RESPOSTA ECOTOXICOLÓGICA E PARÂMETROS FÍSICOS E QUÍMICOS EM RIO DE ÁREA COSTEIRA DO NORDESTE BRASILEIRO

Autores

  • Wanessa Kaline Araújo Moura Gomes UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Raquel Franco de Souza UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Guilherme Fulgêncio de Medeiros UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Maria Cristina Crispim Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Palavras-chave:

Cladócero, Toxicidade crônica, Rio Doce, Qualidade de água

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar a qualidade da água do rio Doce por meio da análise de parâmetros físicos e químicos e de ensaios ecotoxicológicos utilizando Ceriodaphnia dubia Richard, 1894 (Crustacea, Cladocera) e Ceriodaphnia silvestrii como organismos teste. As amostragens foram realizadas mensalmente de maio de 2012 a maio de 2013. Os locais de amostragem foram denominados LE, R2, R3, R4 e R5. A análise dos parâmetros físico-químicos evidenciou, no período de amostragem, maio de 2012 a maio 2013, que as águas do Rio Doce ao atravessarem a área dos pontos R3 e R4, de maneira geral, apresentaram valores mais baixos de temperatura, pH e cloreto. Também foi possível observar diferença no comportamento dos parâmetros em relação aos meses ao longo do ano. Os ensaios dos testes de toxicidade crônica indicaram a existência de toxicidade, para Ceriodaphnia dubia e Ceriodaphnia silvestrii, em todos os pontos amostrados. A alteração encontrada nos parâmetros físicos e químicos medidos em água e os resultados dos testes de toxicidade crônica sugerem que as diversas atividades desenvolvidas no entorno da Bacia podem estar contribuindo para as variações observadas. Como fatores que influenciaram os resultados dos testes ecotoxicológicos e dos parâmetros físicos e químicos apontados no estudo pode-se destacar a proximidade de áreas agrícolas, com consequente utilização indiscriminada de agrotóxicos, o descarte inadequado de resíduos destes produtos, a proximidade de vias de tráfego, além do descarte de esgotos domésticos e crescimento urbano desordenado, observados ao longo da drenagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wanessa Kaline Araújo Moura Gomes, UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutoranda em Meio Ambiente e Desenvolvimento - DDMA/UFRN

Raquel Franco de Souza, UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Departamento de Geologia Área: Geoquímica Ambiental

Guilherme Fulgêncio de Medeiros, UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Departamento de Oceanografia e Limnologia - DOL Área: Ecotoxicologia Aquática

Maria Cristina Crispim, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Departamento de Sistemática e Ecologia/ UFPB Área: Ecologia Aquática

Referências

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. 2005. Ecotoxicologia aquática – Toxicidade crônica – Método de ensaio com Ceriodaphnia spp (Crustácea, Cladocera), São Paulo, 15p.

Adissi, PJ, Almeida, CVB. 1999. O uso de agrotóxicos na horticultura de Natal e Extremoz. Relatório técnico. Natal.

Almeida, CVB. 2001. Agrotóxicos: percepção de riscos dos horticultores do litoral norte de Natal – RN. 2001. Dissertação de mestrado - Programa Regional de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente - PRODEMA/UFPB. Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa.

Américo, MCO, Lima, RFS, Lopes Junior, E. 2007. Processos sócio-ambientais em comunidades de crescimento desordenado. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, v.90, p.132-153.

Anjos, KMG. 2009. Investigação e avaliação da toxicidade aguda dos agrotóxicos mais utilizados no cinturão verde da Grande Natal (RN, Brasil) para o peixe –zebra (Danio rerio Hamilton Buchanan, 1822, Teleostei, Cyprinidae). Dissertação de mestrado - Pós-Graduação em Ecologia/UFRN. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Brasil. 2005. Leis, decretos, etc. Resolução CONAMA nº 357, de 17/03/2005. Diário Oficial da União, nº 53, de 18 de março de 2005. Brasília, 58-63p.

Botelho, RG, Rossi, ML, Maranho, LA, Olinda, RA, Tornisielo, VL. 2013. Evaluation of surface water quality using an ecotoxicological approach: a case study of the Piracicaba River (São Paulo, Brazil). Environ Sci Pollut Res.

Cairns, JJ. 2002. Environmental monitoring for the preservation of global biodiversity: the role in sustainable use of the planet. Int J Sust Dev World 9:135–150.

Callisto, M., Moretti, M., Goulart, MDC. 2001. Macroinvertebrados bentônicos como ferramenta para avaliar a saúde de riachos. Rev. Bras. de Recursos. Hídricos, 6: 71-82.

Castro, VLL. Águas subterrâneas no curso da Bacia do Rio Doce/RN: subsídios para um gerenciamento integrado. 2000. Tese de doutorado - Pós-Graduação em Recursos Minerais e Hidrogeologia – USP. Universidade de São Paulo, São Paulo.

Costa, CR, Olivi, P, Botta, CMR, Espindola, ELGA. 2008. Toxicidade em ambientes aquáticos: discussão e métodos de avaliação. Quim. Nova, 31(7): 1820-1830.

Cooney, JD. 1995. Fundamentals of Aquatic Toxicology: Effects, Environmental Fate, and Risk Assessment. Rand, GM., ed.; 2nd ed., Taylor & Francis: Washington, cap. 2.

Esteves, FA. 2011. Fundamentos de Limnologia. 3 ed. Rio de Janeiro: Interciência.

Fonseca, AL. Avaliação da qualidade da água na Bacia do Rio Piracicaba através de testes de toxicidade com invertebrados. 1997. Tese de Doutorado. Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo.

Fonseca, AL, Rocha, O. 2004. The life-cycle of Ceriodaphnia silvestrii Daday, 1902, a neotropical endemic species (Crustacea, Cladocera, Daphnidae). Acta Limnol Bras 16:319–328.

Forget, G, Gagnon, P, Sanchez, WA, Dutka, BJ. 2000. Overview of methods and results of the eight countries International Development Research Centre (IDRC) Water Tox Project. Environ Toxicol 15:264–276.

IDEC – Fundação Instituto de desenvolvimento do Rio Grande do Norte. 1991. Informativo do município de Extremoz, Natal/RN.

Jungclaus, GA, Lopez-Ávila, V, Hites, RA. 1978. Organic compound in a industrial wastewater: a case study of their environmental impacts. Environmental Science Technology. V. 12, p. 88-96.

Knei, JLW, Lopes, BWE. 2004. Testes ecotoxicológicos: métodos, técnicas e aplicações. Florianópolis: FATMA/GTZ. 289p.

Leblanc, GA. 2004. A Textbook of Modern Toxicology; Hodgson, E., ed.; 3rd ed., John Wiley & Sons: New Jersey, cap. 26.

Moura, WKA, Lima, RFS, Medeiros, GF, Barreto, WCAMP, Santos, MNR. 2010. Avaliação preliminar da toxicidade da água do rio Doce, Natal-RN utilizando Ceriodaphnia dubia como organismos teste. In: XI Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia - XI ECOTOX, 2010, Bombinhas - SC. ECOTOX 2010. São Paulo: Tec Art Editora Ltda.

Moura, WKA. 2011. Horticultura no baixo curso do Rio Doce, Zona Norte do Natal/RN: Avaliação da qualidade da água. Natal, 2011. Dissertação de mestrado - Programa Regional de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente - PRODEMA/UFRN. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Moura, WKA, Souza, RF, Souza, CR, Petta, RA, Diniz Filho, JB. 2013. Algumas implicações ambientais da horticultura na região do baixo curso do rio Doce, ZPA-9, zona norte do Natal/RN. Meio ambiente e saúde humana: práticas, vivências e saberes. Maria de Fátima Freire de Melo Ximenes e Raquel Franco de Souza (Org.). Natal/EDUFRN. 2013. Capítulo 11, Página 221 a 242.

Rand, GM. 1995. Fundamentals of Aquatic Toxicology. Effects, environmental fate and risk assessment. 2ª ed., Washington. 1125p.

Rand, GM, Wells, PG, Mc Carthy, LS. 1995. Introduction to aquatic toxicology. In: Rand, G.M. Fundamentals of Aquatic Toxicology. Effects, environmental fate and risk assessment. Washington. p. 3-67.

Rocha, O, Guntzel, A. 1999. Branchiopoda, Cladocera. In: D. Ismael, W. C. Valenti, T. Matsumura-Tundisi, T. & O. Rocha (eds.), Biodiversidade do Estado de São Paulo, Brasil: síntese do conhecimento ao final do século XX, 4: Invertebrados de água doce. São Paulo, Fapesp, 176p.

Ronco, A, Báez, MCD, Granados, YP. 2004. Ensayos Toxicológicos y Métodos de Evaluación de Calidad de Aguas - Estandarización, Intercalibración, Resultados y Aplicaciones; Morales, G. C., ed.; Centro Internacional de Investigaciones para el Desarrollo: Ottawa, cap. 3.

SERHID - Secretaria Estadual de Recursos Hídricos. 2006. Quantificação da oferta hídrica da região da Lagoa de Extremoz/RN. Plano Estadual de Bacias Hidrográficas. Natal.

Shaw, IC, Chadwick, J. 1998. Principles of Environmental Toxicology, Taylor & Francis: Philadelphia.

Soares, R. C. 2006. Diagnóstico e avaliação ambiental da Zona de Proteção Ambiental (ZPA–9), baixo curso do Rio Doce, Natal/RN. Dissertação de mestrado - Programa de Pós-Graduação em Geociências – PPGeo/UFRN. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Stahl, RGJr. 1991. The genetic toxicology of organic compounds in natural water and wastewater. Ecotoxicology and Environmental Safety, New York, v. 22, p. 94-125.

Shurin, JB, Dodson, SI. 1997. Sublethal toxic effects of cyanobacteria and nonyphenol on environmental sex setermination and development in Daphnia. Environ. Toxicol. Chem. 16(6), 1269-1276.

USEPA. 1992. Introduction to water quality based toxics control for the NPDES program. USEPA, Washington, DC, pp 1–9.

Viganó, L, Bassi, A, Garino, A. 1996. Toxicity Evaluation of Waters from a Tributary of the River Po Using the 7-Day Ceriodaphnia dubia Test. Ecotoxicology and Environmental Safety. 35, 199-28.

Zagatto, P. A., Bertoletti, E. 2008. Ecotoxicologia aquática: princípios e aplicações. 2ª ed. São Carlos: RiMa.

Downloads

Publicado

2016-09-30

Como Citar

GOMES, W. K. A. M.; SOUZA, R. F. de; MEDEIROS, G. F. de; CRISPIM, M. C. RESPOSTA ECOTOXICOLÓGICA E PARÂMETROS FÍSICOS E QUÍMICOS EM RIO DE ÁREA COSTEIRA DO NORDESTE BRASILEIRO. Gaia Scientia, [S. l.], v. 10, n. 4, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/25824. Acesso em: 1 out. 2022.

Edição

Seção

Ciências Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>