A POTÊNCIA DAS NARRATIVAS DE FORMAÇÃO PARA O PROCESSO DE TESSITURA IDENTITÁRIA DOCENTE

Autores

  • Liliane Sant'Anna de Souza Maria Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Helena Amaral da Fontoura Faculdade de Formação de Professores - UERJ

Resumo

Este artigo traz uma reflexão sobre a constituição da identidade docente e a possibilidade metodológica de se inserirem as histórias de vida, na área da Educação, como um caminho para fortalecer a formação de professores da Educação de Jovens e Adultos. Situamos, brevemente, a formação docente em EJA com Haddad e Soares e discorremos sobre a trajetória da identidade a partir de Dubar e Hall, mais especificamente, na formação docente com base em Marcelo. A escolha por esses autores se junta ao objetivo deste trabalho - de entender o processo formativo trilhando outras lógicas de compreensão de práticas, como as narrativas dos sujeitos. Refletimos também sobre a experiência formativa a partir de Josso, tendo em vista que suas considerações contribuem para formar professores quando coloca como centralidade as narrativas de formação. Por meio da abordagem teórico-metodológica, analisamos as percepções individuais e coletivas dos futuros docentes e sua dimensão social, ao dar ênfase aos relatos conectados à cultura do sujeito que narra, o que corrobora para o entendimento dos percursos formativos e a constituição da identidade docente.  Assim, buscamos apoio nas reflexões de Josso, no que concerne aos percursos de vida de docentes em formação e sua influência e significado na formação de professores e Souza na perspectiva do falar do conhecimento de si nas vivências de escolarização. Objetivamos, com este trabalho, dar visibilidade teórica sobre os processos formativos em Educação de Jovens e Adultos. Para isso, partimos das narrativas de formação dos sujeitos que, ao exercer sua docência, vão tecendo sua identidade docente.

Palavras-chave: Identidade docente. Narrativas de formação. Experiências de formação em EJA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liliane Sant'Anna de Souza Maria, Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Docente e pesquisadora que atua na área da Formação Inicial de professores em EJA; Mestranda UERJ;

 

Helena Amaral da Fontoura, Faculdade de Formação de Professores - UERJ

Doutora em Ciência. Professora do Mestrado em Educação da Faculdade de Formação de Professores da UERJ. E-mail:

Referências

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CEB nº. 11/2000. Diretrizes Curriculares para a Educação de Jovens e Adultos. Brasília: MEC. maio. 2000.

_____. Lei nº 5692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1º e 2º graus e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 12 ago.1971.

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO. Parecer nº 699, de 28 de julho de 1972. Ensino Supletivo. Brasília, DF, 1972.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Sobre o conceito de formação na abordagem (auto)biográfica. Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 157-164, maio./ago. 2011. Disponível em: www.revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/viewFile/8700/6352>. Acesso em: 7 abr. 2014.

DINIZ PEREIRA, Júlio E. As licenciaturas e as novas políticas educacionais para a formação docente. Educação e Sociedade, (Cedes). Campinas, n. 69, p. 109-125, 1999. Qudrimestral.

DOMINICÉ, Pierre. L’ histoire de vie comme processus de formation. Paris: L’Hamarttan, 1990.

DUBAR, Claude. Trajetórias sociais e formas identitárias:alguns esclarecimentos conceituais e metodológicos. Educação e Sociedade, Campinas, v. 19, n. 62, p.1-9, abr. 1998. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid+50101- 7330199800010000&ing=pt&nvim=iso>. Acesso em: 9 abr. 2014.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

FONSECA, M.C.F.R; DINIZ PEREIRA, J.E.; JANNES, C.E; SILVA, L.P. O significado de um projeto de extensão universitária na formação inicial de educadores de jovens e adultos. ANPED. In: 23ª REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 2000, Caxambu. Anais da 23ª Reunião da ANPED, 2000.

HADDAD, Sergio. Educação de Jovens e adultos no Brasil: aspectos específicos da formação. São Paulo: Ação Educativa, Assessoria, Pesquisa e Informação. Relatório de pesquisa, 2001. Disponível em: . Acesso em: 9 mai. 2010.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 9. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

JOSSO, Marie-Christine. Cheminer vers soi. Suisse: L’Age D’Homme, 1991.

______. Experiência de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004. p.19-56.

MARCELO, Carlos. Desenvolvimento profissional docente: passado e futuro. Sísifo, Revista de Ciências da Educação, n. 8, p. 7-22, jan./abr. 2009.

PINEAU.G; MICHELE,M. Produire as vie: autoformation et autobiographie. Montreal: Edilig,1983.

RIBEIRO, Vera Masagão. A formação de educadores e a constituição da educação de jovens adultos como campo pedagógico. Educação & Sociedade, Campinas, ano XX, n. 68, p. 184-201, dez. 1999.

SANTOS, E. J. Serra. Concepções de currículo na educação de jovens e adultos trabalhadores. In: RIZO, Gabriela; RAMOS, Lilian. (Orgs.). Rio de Janeiro: Arco-Íris; EDUDUR, 2008. p.87-106.

SOARES, Leôncio. O educador de Jovens e adultos e sua formação. Educação em Revista Belo Horizonte, n. 47, p. 83-100, Jun. 2008.

______. As especificidades na formação do educador de jovens e adultos: um estudo sobre propostas de EJA. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.27, n.2, p.303-322,ago, 2011.

SOUZA, Elizeu Clementino. Histórias de vida, escritas de si e abordagem experiencial. In. ______. ; MIGNOT, Ana Christina Venancio (Orgs.). Histórias de vida e formação de professores. Rio de Janeiro: Quartet: FAPERJ, 2008, p. 89-98.

Downloads

Publicado

2015-12-29

Como Citar

DE SOUZA MARIA, L. S.; FONTOURA, H. A. da. A POTÊNCIA DAS NARRATIVAS DE FORMAÇÃO PARA O PROCESSO DE TESSITURA IDENTITÁRIA DOCENTE. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 106–121, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/20022. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

RELATOS DE PESQUISA