ETAPA INICIAL DA DOCÊNCIA: PERCEPÇÃO DE PROFESSORES INICIANTES

Autores

  • Thais Elena Lotumolo Universidade Federal de São Carlos - UFSCar
  • Flávio Caetano da Silva Universidade Federal de São Carlos

Resumo

A presente pesquisa tem o objetivo de compreender quais são as percepções e os sentidos atribuídos por docentes iniciantes em carreira no campo das organizações escolares em que desenvolvem sua atividade profissional. O município de Hortolândia-SP- foi escolhido para a construção deste estudo. Para tanto, foram realizadas entrevistas com professoras pertencentes à rede de escolas públicas municipais da localidade retratada. Parte-se do princípio de que a etapa inicial da docência é um momento específico na carreira do educador, já que é um período de articulação de adversidades, dúvidas e alegrias. Portanto, é necessário atentar para esse momento que envolve a vida dos professores, visando oferecer auxílio para a jornada inicial do ato de lecionar. Por meio da coleta dos dados, construíram-se análises e foram compartilhadas as necessidades dos professores iniciantes, bem como suas experiências educacionais. A metodologia utilizada envolveu a análise do conteúdo das entrevistas, ou seja, foram consideradas as falas e as narrativas oferecidas pelas professoras iniciantes. Nesse sentido, ressalta-se a importância de considerar a relação entre os desejos de professores ingressantes e a forma de apoio oferecida pelos sujeitos do ambiente escolar. O estudo apresentado pretende ser um revelador da importância de se focalizar a etapa inicial da docência e de estimular a edificação de novas posturas e atitudes que venham ao encontro das percepções de um professor ingressante.

Palavras-chave: Docente iniciante. Percepções. Sentidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thais Elena Lotumolo, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Possui graduação em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Federal de São Carlos (2011) e mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2014). Atualmente é Formadora do Curso de Extensão a Distância em Formação Continuada em Conselhos Escolares dentro do Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares e trabalha com a Educação Infantil.

Flávio Caetano da Silva, Universidade Federal de São Carlos

Professor adjunto da Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, lotado no Ded - Departamento de Educação e credenciado no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSCar, atuando como vice coordenador do mesmo e na Linha de Pesquisa Educação, Cultura e Subjetividade.

Referências

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembrança de velhos. 3. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994. p. 37-39.

BOURDIEU, Pierre. Compreender. In: ______. et al. A miséria do mundo. Rio de Janeiro:Vozes, 1997. p. 693- 732.

______. Os ritos da instituição. In: BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas: o que falar quer dizer. São Paulo: EDUSP, 2008. p. 97-106.

CARVALHO, Marília Pinto de. No coração da sala de aula: gênero e trabalho docente nas séries iniciais. São Paulo: Xamã, 1999. p. 209- 226.

______. No coração da sala de aula: gênero e trabalho docente nas séries iniciais. São Paulo: Xamã, 1999. p. 121-215.

CORSI, Adriana Maria. Dificuldades de professoras iniciantes e condições de trabalho nas escolas. In: LIMA, Emília Freitas de. (Org.). Sobrevivências no início da docência. Brasília: Líber Livro, 2006. p. 53-65.

GONÇALVES, José Alberto M. A carreira das professoras do ensino primário. In: NÓVOA, António (Org.). Vidas de Professores. Portugal: Porto, 2007.p. 141- 170.

GOODSON, Ivor, F. Dar voz ao professor: as histórias de vida dos professores e o seu desenvolvimento profissional. In: NÓVOA, António (Org.). Vidas de Professores. Portugal: Porto, 2007. p. 63 -78.

HUBERMAN, Michaël. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, António (Org.). Vidas de Professores. Portugal: Porto, 2007. p. 31 – 62.

LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente. São Paulo: Cortez, 1998. p. 6- 36.

MARIANO, André Luiz Sena. O início da docência e o espetáculo da vida na escola: abremse as cortinas. In: LIMA, Emília Freitas de. (Org.). Sobrevivências no início da docência.Brasília: Líber Livro, 2006. p. 17- 26.

MOITA, Maria da Conceição. Percurso de formação e de trans-formação. In: NÓVOA, António (Org.). Vidas de Professores. Portugal: Porto, 2007. p. 111- 140.

MONTEIRO, Hilda Maria. Eu não sabia o que agora sei...: tornando públicas as minhas histórias secretas. In: LIMA, Emília Freitas de. (Org.). Sobrevivências no início da docência. Brasília: Líber Livro, 2006. p. 27-37.

NOGUEIRA, Maria Alice; NOGUEIRA, Cláudio M. Martins. Bourdieu & a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.128 p. (Pensadores & Educação, v.4).

NÓVOA, António. Os professores e as histórias da sua vida. In: ______. (Org.). Vidas de Professores. Portugal: Porto, 2007. p. 11- 30.

PAPI, Silmara de Oliveira Gomes; MARTINS, Pura Lúcia Oliver. As pesquisas sobre professores iniciantes: algumas aproximações. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 26, n. 3, p. 39-56, dez. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-46982010000300003&script=sci_arttext>. Acesso em: abr. 2012.

SILVA, Maria Helena Galvão Frem Dias da. O professor e seu desenvolvimento profissional: superando a concepção do algoz incompetente. Cad. CEDES [online], Campinas, v. 19, n. 44, p. 33-45, abr. 1998. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/ S0101- 32621998000100004>. Acesso em: set. 2012.

Downloads

Publicado

2015-12-29

Como Citar

LOTUMOLO, T. E.; DA SILVA, F. C. ETAPA INICIAL DA DOCÊNCIA: PERCEPÇÃO DE PROFESSORES INICIANTES. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 122–136, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/24038. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

RELATOS DE PESQUISA