EDUCAÇÃO ETNOMATEMÁTICA NAS ESCOLAS INDÍGENAS KARAJÁ DE XAMBIOÁ

ETHNOMATHEMATICS EDUCATION IN SCHOOLS OF INDIGENOUS KARAJÁ XAMBIOÁ

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2017v26n2.32151

Palavras-chave:

Interdisciplinaridade, Educação escolar indígena, Formação de professor indígena

Resumo

Este trabalho apresenta uma investigação realizada com a comunidade indígena Karajá Xambioá, localizada no município de Santa Fé do Araguaia - TO. Para a coleta dos dados, empregou-se a metodologia etnográfica. Por meio de entrevistas e de observação, diretamente na comunidade, investigou-se o que os indígenas compreendem como educação escolar indígena diferenciada, na perspectiva do ensino intercultural, considerando os aspectos socioculturais dessa comunidade. O objetivo foi o de fazer um estudo investigativo da realidade educacional das escolas indígenas localizadas no território Karajá Xambioá. Foram analisados, entre outros aspectos, a necessidade premente dos professores e da comunidade de desenvolverem, nas escolas da aldeia, um estudo sobre o processo de ensino e aprendizagem que leve em consideração as matemáticas produzidas em seu contexto cultural e social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Haylla Rodrigues Aguiar, Universidade Federal do Pará

Mestranda em Educação Matemática pela Universidade Federal do Pará –UFPA, Campus de Belém –PA, Brasil.

Talal Suleiman Mahmoud, Universidade Federal do Paraná

Professor Doutor do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas, da Universidade Federal do Paraná -UFPR, Campus Universitário em Pontal do Paraná –CEM –PR, Brasil.

Elisângela Aparecida Pereira de Melo, Universidade Federal do Tocantins - UFT

Professora Doutora do Curso de Licenciatura em Matemática, da Universidade Federal do Tocantins -UFT, Campus Universitário de Araguaína –TO, Brasil.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

_______. Ministério da Educação. Plano Nacional de Educação. Brasília: MEC, 2001.

_______. Ministério da Educação. Referencial Curricular Nacional para a Educação Escolar Indígena. Brasília: MEC/SEF, 1998.

D´AMBRÓSIO, Ubiratan. Educação matemática da teoria à prática. 13. ed. Campinas, SP: Papirus, 1996. 120 p.

D´AMBRÓSIO, Ubiratan. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. 110 p.

FERREIRA, Mariana Kawall Leal. Idéia matemática de povos culturalmente distintos. São Paulo: Global, 2002, p. 336.

GRUPIONI, Luís Donizete Benzi. Contextualizando o campo da formação de professores indígenas no Brasil. In: GRUPIONI, Luís Donizete Benzi. Formação de professores indígenas: repensando trajetórias. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2006.

MONTEIRO, A.; POMPEU JR, G. A Matemática e os temas transversais. São Paulo: Moderna, 2001.

TORAL, ANDRÉ, A. Cosmologia e Sociedade Karajá. 1992. 280 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 1992.

Downloads

Publicado

2018-06-20

Como Citar

AGUIAR, H. R.; MAHMOUD, T. S.; PEREIRA DE MELO, E. A. EDUCAÇÃO ETNOMATEMÁTICA NAS ESCOLAS INDÍGENAS KARAJÁ DE XAMBIOÁ: ETHNOMATHEMATICS EDUCATION IN SCHOOLS OF INDIGENOUS KARAJÁ XAMBIOÁ. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 26, n. 2, p. 38–54, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2017v26n2.32151. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/32151. Acesso em: 17 set. 2021.

Edição

Seção

ARTIGO DE REVISÃO